27 C
Papeete
domingo, 21 julho, 2024
27 C
Papeete
domingo, 21 julho, 2024

Sobre os limites do corpo e a força do coletivo

-

O resgate de João Chianca é a prova incontestável do poder da união

O mundo do surf foi sacudido pelo grave acidente de João Chianca em Backdoor, Pipeline. Todos, surfistas ou não, podem compreender a brutalidade daquele wipeout.

Na noite do acidente, dormi mal. As cenas me afetaram profundamente e acordei com pesadelos. Tudo ressoava de maneira diferente na minha cabeça, e eu pensava na mãe de João: e se fosse meu filho ali?

No surfe, assim como na vida, frequentemente buscamos um controle, muitas vezes ilusório, diante do inesperado desenrolar dos fatos. Por isso, acredito que o acidente de Chianca não é uma questão de culpa, mas sim um lembrete de nossa inescapável relação com o imponderável.

Surfistas como Chianca enfrentam o oceano com um propósito que parece transcender o medo e o risco. Contudo, talento, paixão ou treino não são escudos contra a tragédia.

O acidente de Chianca, quase trágico, nos faz refletir sobre as consequências dos nossos atos. Surfar em Pipeline é mais arriscado do que em Maresias (SP), mas não há garantias ou controle sobre o que pode acontecer. O ambiente marinho nos torna vulneráveis, independentemente do pico escolhido.

Durante minha gravidez, compreendi o que significa não ter controle. Podemos fazer escolhas, é verdade, mas nenhuma delas determina completamente o que acontecerá.

No surfe, cada sessão traz um risco, e em todas as esferas da vida, nossas escolhas e ações têm repercussões, algumas imediatas, outras a longo prazo.

E se João não tivesse escolhido aquela onda? Se o resgate não fosse tão rápido? Se ele tivesse completado o tubo? A linha entre a conquista e o desastre é tênue e incerta.

“Se” não existe; e a lição sobre o que vimos no dia 3 de dezembro, é a respeito de uma força. O resgate de Chianca é a prova incontestável do poder da união e do coletivo, quando diferenças são deixadas de lado, e prevalecem a empatia e o compromisso com a vida.

A comunidade do surfe, muitas vezes vista como um grupo de individualistas egoístas e egóicos, mostrou coesão e cuidado que vão além.

A recuperação de João Chianca será, sem dúvida, um caminho desafiador. Que a resiliência e a união sirvam de inspiração. Não estamos sozinhos.

Janaina Pedroso
Janaina Pedroso
É mãe, surfista e jornalista, tudo junto e misturado, e em 2016 criou o site Origem Surf. Mora em Ubatuba, pertinho do mar que tanto ama. Foi colunista e blogueira da Folha de S.Paulo por quatro anos, colaborou para a Editora Trip e atua há mais de 20 anos na comunicação de diversas empresas. Como mulher, tem o propósito de ampliar a participação feminina no surf. Como surfista, experimentar o maior número de ondas possível.

Compartilhar essa Reportagem

Adrian Kojin

Alex Guaraná

Allan Menache

Edinho Leite

Jair Bortoleto

Janaina Pedroso

Luciano Meneghello

Phill Rajzman

Zé Eduardo

Thiago Consentine

Gabriel Davi Pierin

Jaine Viudes