28 C
Papeete
terça-feira, 21 maio, 2024
28 C
Papeete
terça-feira, 21 maio, 2024

Saiba como a luz do sol influencia o seu cocô

Novas pesquisas demonstraram pela primeira vez como a exposição à luz do sol pode influenciar diretamente na diversidade do microbioma intestinal em humanos.

A pesquisa feita por uma equipe canadense sugere que a exposição ultravioleta B de banda estreita (UVB) é modulada pela vitamina D e apresenta evidências de uma nova via de comunicação intestinal.

A nova pesquisa examinou 21 pacientes do sexo feminino que receberam três sessões de exposição a UVB de corpo inteiro de 60 segundos durante uma semana. Amostras de sangue e fezes foram coletadas de todos os indivíduos no início e no final do estudo para rastrear alterações nos níveis de vitamina D e na diversidade bacteriana intestinal. Metade dos sujeitos foi anotada como tendo tomado suplementos de vitamina D nos três meses anteriores ao inverno.

+ Como adaptar nosso corpo a situações extremas? 
+ Russell Bierke dilacera o cotovelo no coral

Os resultados revelaram aumentos significativos na diversidade de microbiomas alfa e beta intestinais apenas nos indivíduos que não tomavam suplementos de vitamina D. Este foi o primeiro estudo em humanos a detectar uma ligação direta entre a exposição da pele UVB e as alternâncias de microbioma intestinal.

“Antes da exposição ao UVB, essas mulheres tinham um microbioma intestinal menos diversificado e equilibrado do que aquelas que tomavam suplementos regulares de vitamina D”, diz Bruce Vallance, líder da pesquisa da Universidade da Colúmbia Britânica. “A exposição ao UVB aumentou a riqueza e a uniformidade de seu microbioma para níveis indistinguíveis do grupo suplementado, cujo microbioma não foi alterado significativamente”.

De acordo com a pesquisa, os indivíduos que não tomavam suplementos de vitamina D apresentaram um aumento de 10% nas concentrações de vitamina D no sangue uma semana após a curta exposição ao UVB. A falta de alterações microbiológicas nos indivíduos que consumiam suplementos de vitamina D sugere fortemente que a vitamina D é o fator mediador que liga a exposição aos UVB e a diversidade microbiana intestinal.

O que sabemos sobre vitamina D e desempenho esportivo

“Neste estudo, mostramos novos dados empolgantes de que a luz UVB é capaz de modular a composição do microbioma intestinal em seres humanos, putativamente através da síntese de vitamina D”, explica Vallance, embora ele indique que o mecanismo causal em jogo ainda é desconhecido. E a vitamina D pode não explicar a totalidade da ligação entre a exposição a UVB e a diversidade de microbiomas.

“É provável que a exposição à luz UVB, de alguma forma, altere o sistema imunológico da pele inicialmente e depois mais sistemicamente, o que afeta o quão favorável o ambiente intestinal é para as diferentes bactérias”, diz Vallance.

Tratamento de doenças

As novas descobertas são positivas para pacientes de doenças autoimunes e inflamatórias como a esclerose múltipla e a doença inflamatória intestinal.

Isso porque elas têm sido associadas a mudanças no estilo de vida e no ambiente de sociedades ocidentais que levam a uma menor exposição ao Sol — e subsequente queda na produção de vitamina D e deterioração da microbiota intestinal.

Além disso, acredita-se que dietas pobres em nutrientes e uso excessivo de antibióticos agravem a composição e funcionamento da microbiota.

O próximo estágio da pesquisa é explorar o efeito da luz UVB no microbioma em cortes maiores de seres humanos. Também será importante investigar melhor a ligação mecanicista entre a luz solar, a vitamina D e o microbioma.

“Os resultados deste estudo têm implicações para as pessoas submetidas à fototerapia com UVB e identificam um novo eixo intestinal da pele que pode contribuir para o papel protetor da exposição à luz UVB em doenças inflamatórias como EM e DII”, diz Vallance.

A nova pesquisa foi publicada na revista Frontiers in Microbiology.

Via Revista Go Outside

Receba nossas Notícias no seu Email

Últimas Notícias