A temporada havaiana de competições já começou e com boas ondas. O HIC Pro, etapa de 3 mil pontos do QS, foi finalizado nesta quarta (31) com uma ondulação sólida de 6 a 8 pés em Sunset Beach, no North Shore de Oahu. O vencedor foi o havaiano-brasileiro Kiron Jabour. Fizeram a final e completaram o pódio, na ordem decrescente de classificação final, o taitiano O’Neill Massin e os sul-africanos Beyrick De Vries e Slade Prestwich.

Nenhum dos quatro finalistas estava sequer entre os 50 primeiros do QS antes de o campeonato começar, e o único deles que entrou nesse grupo foi Beyrick, que passou da 63ª para a 49ª posição. Ou seja: o evento teve implicações mínimas na corrida pelas vagas na elite no ano que vem e tudo que seguia em aberto para as duas etapas da Tríplice Coroa Havaiana continua em aberto.

Veja também: Lucas Silveira e o imortal surf de linha na perfeição marroquina

O evento teve a participação de alguns surfistas brasileiros, que optaram por já se preparar nas ilhas para as etapas mais importantes do ano. O melhor foi o catarinense Lucas Silveira, que chegou à quartas de final. Lucas mostrou mais uma vez que, se o circuito de qualificação fosse feito por um calendário de eventos em ondas grandes e perfeitas – mais parecido com o da elite -, teria muito mais facilidade em se qualificar.

 

View this post on Instagram

 

Fun first heat in Hawaii, waiting for the waves to come back now! Frames: @tessari

A post shared by Lucas Silveira (@silveiralvcas) on

O mesmo vale para Jerônimo Vargas, segundo melhor brasileiro ao lado do Victor Bernardo. Jerônimo venceu uma das melhores etapas do ano, no Chile, em tubos rasos e pesados sobre uma bancada de pedra, e levou 3 mil pontos por isso. Mais ou menos a mesma pontuação de alguém que chegou às oitavas de final no mar quase insurfável de Huntington Beach no US Open.

Raoni Monteiro, Alejo Muniz e Wiggolly Dantas – três ex-tops do CT – também participaram, mas não passaram das fases iniciais.

A outra história relevante desse campeonato foi o retorno de Dusty Payne às competições, dez meses após quase morrer no acidente em Pipeline. Dusty vacou em uma onda para o Backdoor, foi de cara na bancada, apagou, teve diversas fraturas em ossos do crânio e ficou internado em estado grave. Veja mais sobre seu retorno às competições aqui.

Highlights do segundo dia* em Sunset:

Texto: redação HC
Imagens: Tony Heff/WSL/reprodução

* atualizaremos com highlights da final assim que o vídeo for disponibilizado