Criatura bizarra avistada na Nova Zelândia é conhecida como pirossomo, e é formada por centenas ou até milhares de zóoides, organismos auto-clonáveis que se unem e compartilham mesmo tecido

Por Redação HC

Durante uma filmagem na Nova Zelândia, dois mergulhadores se depararam com uma criatura rara e única: um pirossomo. O vídeo, publicado nesta terça (26), revela de perto a aparência deste ser pouco conhecido.

O que parece ser um único organismo cilíndrico, na verdade, é uma colônia de centenas ou até milhares de uma espécie de tunicados (ou zóoides) que, quando unidos, formam o gigante tubo.

Os pirossomos podem variar de alguns milímetros até doze metros de comprimento. Cada organismo pode se clonar inúmeras vezes. Mesmo em sua forma maior, não apresentam risco algum. Na verdade, são estruturas frágeis que podem desmontar com pequenas colisões.

Veja também: peixe raro aparece no Japão e gera receio por catástrofe

“Toda a colônia é moldada como um dedal gigante, com a ponta numa extremidade e a abertura na outra; em algumas espécies, esta abertura pode ter até dois metros de largura, suficientemente grande para caber um humano adulto inteiro”, relata a bióloga Rebecca Helm em post do Deep Sea News.

Apesar de causar certo espanto, o único mecanismo de defesa do “corpo de fogo”, como é conhecida a colônia, é sua bioluminescência, um brilho verde-azul que toma conta da estrutura quando perturbada.

Os zóoides utilizam o processo de filtragem para se mover à superfície e se alimentar. Durante a noite, os animais vão à superfície, sugam a água, coletam os planktons e outros microorganismos, expelindo os resíduos restantes. Esse processo gera um impulso na colônia e movimenta o tubo gelatinoso.

Durante o dia, quando o processo de alimentação é pausado, os pirossomos afundam cerca de 500 à 700 metros abaixo da superfície.

O vídeo da misteriosa criatura foi publicado pelo National Geographic.