Vice-campeão em 2014, Wiggolly Dantas sobe o degrau que faltava e conquista o Volcom Pipe Pro em final com Yago Dora, João Chumbinho e Seth Moniz

Por Fernando Guimarães

Wiggolly Dantas é o mais novo campeão do Volcom Pipe Pro! O surfista de Itamambuca, Ubatuba, conquistou o cobiçado título em Pipeline na noite deste sábado (1) após ser o melhor surfista de uma final quase 100% brasileira — João Chumbinho ficou em segundo, Yago Dora em terceiro e Seth Moniz em quarto. Como prêmio levou pra casa 15 mil dólares e 5 mil pontos no ranking do Qualifying Series 2020.

Veja também: Em Busca do Sonho Salgado: 30 dias de ondas perfeitas no México

Após três dias de ondas grandes e perfeitas, os surfistas tiveram que lidar com condições mais temperamentais em Banzai Pipeline. Uma ondulação predominantemente de norte fazia boa parte das ondas passar direto pela bancada e estourar mais perto de Off the Wall, fora da zona de competição; poucos tubos abriam e muitas notas importantes foram conquistas com manobras, e não nos canudos.

A mais importante de todas foi a nota oito de Wiggolly na grande final, surrando com seu backside de estilo impecável uma direita de tamanho razoável para o dia. Foi a melhor nota da bateria com folga, alcançada sobretudo graças à última manobra, uma pancada completamente invertida em uma junção assustadora.

João Chumbinho completou tubos pequenos e também fez boas manobras. Foi quem chegou mais perto de tirar Wiggolly da liderança, o primeiro a abraçá-lo ao final da bateria e um dos que ajudou a carregá-lo ao pódio, ao lado de Felipe Cesarano. Yago não encontrou boas oportunidades e Seth Moniz teve uma onda de difícil julgamento: passou por dentro de várias sessões numa esquerda, e quando saía de um tubo que parecia impossível foi engolido por uma mistura de uma direita e um backwash que vinham do outro lado; os juízes determinaram que a onda não foi completa e deram 2,5 a uma onda que, se completada com mais clareza, seria a melhor da final.

O havaiano era o claro favorito da equipe na cabine de transmissão, mas decepcionou seus apoiadores no palanque e na areia ao terminar na quarta posição.

A vitória aumenta o já grande prestígio da família Dantas no litoral norte de Oahu.

Weslley, irmão mais novo de Wiggolly, há alguns anos vem se destacando com um dos melhores surfistas de Sunset, além de já ter sido, também, um finalista do Volcom Pipe Pro, em 2018, quando terminou na terceira colocação, atrás de Josh Moniz (campeão) e Jamie O’Brien (vice).

Os dois se hospedam junto à família Rothman — o antigo “xerife” Eddie e seus filhos Makua e Koa — , que foi lembrada por Wiggolly em sua declaração após a final. Wiggolly, que está sem um patrocinador principal desde o início do ano passado, subiu ao pódio usando um boné da havaiana Dahui, e agradeceu não só aos Rothman como a toda a comunidade local.

A vitória também dá um bom impulso para Wiggolly, um ex-top do CT, em sua campanha pelo retorno à elite mundial. Entretanto, os cinco mil pontos dados ao campeão ainda precisarão de muitos outros resultados neste ano, que conta com a nova Challenger Series — uma série de oito etapas de 10 mil pontos ao longo do ano no Qualifying Series.

A presença de mais dois brasileiros na final ainda solidifica um inédito domínio verde e amarelo na onda mais importante de todo o surf competitivo, menos de dois meses após a decisão do título mundial na grande final do Pipe Masters entre dois brasileiros, Italo Ferreira e Gabriel Medina — que já havia sido campeão da etapa em 2018.

Resultados – Volcom Pipe Pro 2020

Final
Campeão: Wiggolly Dantas – 10,03
2º lugar: João “Chumbinho” Chianca – 7,83
3º lugar: Yago Dora – 6,30
4º lugar: Seth Moniz – 5,17

Semifinal 1
1. Wiggolly Dantas – 10,57
2. Yago Dora – 7,17
3. Leandro Usuna – 5,43
4. Matthew McGillivray – 3,63

Semifinal 2
1. João Chianca – 12,67
2. Seth Moniz – 9,17
3. Josh Moniz – 3,97
4. Cam Richards – 3,70

Veja também: Nat Young vence QS 5 mil em direitas de sonho no Marrocos