O navio Queen Hind viajava em direção à Árabia Saudita quando naufragou no Mar Negro. Ainda não foram esclarecidas as causas do acidente

Por Redação HC

Equipes de resgate foram acionadas hoje (25/11) e trabalham incessantemente no Mar Negro, na costa da Romênia, para resgatar 14600 ovelhas presas em um compartimento de carga do navio Queen Hind que naufragou por motivos, até agora, desconhecidos. A tripulação de 22 homens foi resgatada e o desafio agora é salvar a imensa quantidade de animais. 

Ana-Maria Stoica, porta-voz dos serviços de resgate, disse não ter certeza sobre o fato dos animais estarem vivos: “A operação de retirada está em andamento … esperamos que as ovelhas no porão do navio ainda estejam vivas”, disse ela à AFP. 

Algumas dezenas de ovelhas já foram salvas, mas justamente porque, após o naufrágio, conseguiram sair do porão nadando, fato considerado uma exceção no caso, já que a maioria dos bichos ainda está enclausurado no porão. 

Mary Pana, presidente da Acebop, principal exportadora e criadora de ovelhas da Romênia, mostrou indignação com o caso e solicitou que investigações urgentes começassem a ser feitas: “Se não podemos proteger os animais durante o transporte de longa distância, devemos proibi-lo completamente”, afirmou.

A Romênia, terceiro maior criador de Ovinos da União Europeia, está na mira de ONG’s e ativistas que denunciam a política de exportação animal do país, acusando empresas de transportar os animais em condições que não favorecem o seu bem-estar. Sobre o recente caso do naufrágio, Gabriel Paun, da ONG Animals International, afirma que o Queen Hind estava sobrecarregado e que já apresentava problemas no motor desde o ano passado. Entretanto, ainda não é possível dizer se este foi o motivo do navio afundar. 

Veja mais:
– Francesa pega onda gigante e pode superar recorde de Maya Gabeira
– Praia de Itamambuca pode se tornar Reserva Mundial de Surf
– Italo Ferreira concorre a “Atleta da Torcida” no prêmio Brasil Olímpico