Publicidade:

Mulher surfista? Confira dicas para a saúde íntima no verão

Mulher surfista? Que drope a primeira onda, a surfista que nunca sofreu as consequências de um biquíni molhado no corpo por mais tempo que deveria.

Com a chegada do verão, alguns episódios desagradáveis podem aparecer e prejudicar a saúde íntima feminina.

+ Nove sucos para revigorar e curar

+ Os pilares de uma boa saúde: surf x nutrição x imunidade

Principalmente se for você for uma rata de praia. No entanto, há certos cuidados que podem evitar grandes complicações.Abaixo o ginecologista Dr. Domingos Mantelli dá dicas para as mulheres manterem a saúde íntima em dia durante a estação mais quente do ano.

Confira:

“Ficar com o biquíni molhado ou até mesmo usar roupas sintéticas, pode tornar corrimentos mais recorrentes nessa época do ano”, alerta o médico.

Para Mantelli, é fundamental manter a higienização adequada e evitar a umidade prolongada na região da vagina.

“Trocar os biquínis úmidos por secos, apostar em roupas mais leves e ventiladas como saias e vestidos e, principalmente, buscar orientação médica sempre que notar algo errado”, adverte.

Dentre as doenças ginecológicas que surgem mais no verão, o médico destaca a candidíase, a tricomoníase e a vaginose.

Entenda cada uma:

– Candidíase
“É causada pelo fungo do gênero “cândida”, microrganismo que pode ser transmitido durante o ato sexual, embora não seja considerada uma DST (doença sexualmente transmissível) ”, explica Mantelli. A doença causa coceira e dores vaginal, para urinar e no ato sexual, além de corrimento branco com odor cítrico. O problema tem cura, e o tratamento deve ser feito com medicação antifúngica via oral e creme vaginal, por uma semana”, ressalta.

– Tricomoníase
Doença causada pelo parasita Trichomonas vaginalis e a transmissão é por via sexual. O mal causa inflamação da vagina acompanhada de corrimento amarelo-esverdeado com odor desagradável. A doença causa dores ao urinar e durante o ato sexual. Se não for tratada, a doença pode suscitar em infertilidade e câncer do colo do útero. O tratamento é feito com medicamento via oral.

– Vaginose bacteriana
Causada principalmente pela bactéria chamada Gardnerella Vaginalis, seu principal sinal é um corrimento amarelo ou branco-acinzentado, com um odor forte, e que piora durante as relações sexuais e na menstruação. Também pode provocar ardor e um pouco de coceira. O tratamento também é realizado com medicamento via oral e creme vaginal.

– Infecção Urinária
A infecção urinária pode ocorrer em qualquer parte do sistema urinário como rins, bexiga, uretra e ureteres. Esse tipo de infecção é comum em mulheres devido ao tamanho da uretra feminina. Os principais sintomas são: ardência ao urinar, excesso de vontade de urinar, e urina escura e com forte odor, além de dores pélvica e retal. Em casos mais graves há sangramento na urina.

Para evitar problemas, o ginecologista sugere algumas dicas simples que podem minimizar os riscos de desenvolver tais doenças:

– Evite usar calças apertadas, prefira utilizar vestidos e saias, além de calcinhas de algodão;

– Sempre apare os pelos pubianos. Isso facilita a higienização;

– Faça sempre uma higiene íntima após o ato sexual, urinar e evacuar. Troque o absorvente durante a menstruação. O sabonete utilizado deve ser o neutro ou o íntimo e com indicação do ginecologista;

–  Não utilize sabonete comum na higiene íntima e, após a lavagem externa, utilize toalha higiênica. O uso regular e descuidado do papel higiênico pode causar irritação local;

–  Lave as roupas íntimas com água e sabão e seque-as ao sol. Não seque peças íntimas em ambientes fechados e úmidos como banheiros;

–  Não compartilhe sabonetes, peças íntimas e toalhas.

Dr. Domingos Mantelliginecologista e obstetra – autor do livro “Gestação: mitos e verdades sob o olhar do obstetra”. Formado pela Faculdade de Medicina da Universidade de Santo Amaro (UNISA) e residência médica na área de Ginecologia e Obstetrícia pela mesma instituição. Mais aqui.


Receba nossas Notícias no seu Email

+Notícias