Publicidade:

Julgamento da WSL: “É algo que não está no nosso controle,” diz Italo Ferreira

Às vésperas da abertura da janela do Saquarema Pro, a oitava etapa do Circuito Mundial da WSL, a elite do surf participou, nesta quarta-feira, 22/6, da coletiva de imprensa do evento, que foi transmitida online em tempo real pelo Instagram.

Na hora das entrevistas, um jornalista perguntou como os atletas se sentem com relação à questão das notas que vêm sendo administradas.

LEIA:
+ Enquanto os prós estão no Brasil, Kelly Slater surfa Uluwatu
+ CT Saquarema: Mateus Herdy entra no lugar de Barron Mamiya
+ Ricardo Toledo pede calma à torcida brasileira em Saquarema

Italo Ferreira respondeu essa e disse o seguinte: “É algo que não está no nosso controle; não vale a pena ficar no negativo, o foco está em surfar, e como disse o Gabriel, não deixar dúvidas na hora da bateria.”

Na mesa também estavam Tatiana Weston-Webb e Gabriel Medina.

Depois, o jornalista do Globo.com fez pergunta bastante específica aos três ali presentes: ele questionou se havia algum tipo de reunião de alinhamento por parte do head judge com os atletas antes de cada evento; se os critérios eram previamente explicados acerca de cada onda e se os surfistas têm liberdade para conversar sobre isso com o head judge.

Novamente quem respondeu foi Italo Ferreira, que não só não respondeu diretamente à pergunta do jornalista, como praticamente repetiu o que havia dito na resposta anterior. Ferreira disse que “o foco não é no negativo, que o foco está no surf”.

Em nenhum dos momentos, Gabriel Medina se manifestou acerca dessas perguntas sobre notas e julgamento.

Enfim, no final, uma jornalista da Jovem Pan pergunta a Gabriel Medina como o tempo afastado das competições influenciou em seu surf.

“Me sinto aliviado,” disse o brasileiro tricampeão mundial. “Consegui recarregar as energias. Passei por muitas coisas que não são segredo, enfim, hoje consigo ver a vida de forma mais leve e positiva. Vivemos viajando, é corrido, ficamos longe da família, por isso é bom estar próximo aqui dos meus amigos como o Italo e o Filipinho, assim nos sentimos em casa. Vejo que estou vivendo um sonho, e tenho a oportunidade de aprender e evoluir a cada dia.”

Medina também citou a oportunidade de estar com a torcida brasileira em Saquarema e disse que é com a “torcida brasileira que vemos o que realmente é uma torcida, apaixonada, sangue quente,” contou o brasileiro.

Receba nossas Notícias no seu Email

+Notícias