O surfe de Craig Anderson e a edição de Kai Neville são as estrelas de The Quieter You Are The More You Can Hear. Assista

Por Fernando Guimarães

Craig Anderson sumiu durante um tempo, e tudo que se via dele eram clipes curtos de uma onda, ou às vezes nem isso, uma manobra apenas. A primeira coisa que se estranha ao ver um filme que estuda mais de perto o evasivo goofy-footer australiano, é que seu rosto não é mais juvenil. Não tem mais aquele olhar ingênuo que marcou suas primeiras aparições, no começo desta década. The Quieter You Are The More You Can Hear, dirigido por Kai Neville, foi exibido na Austrália e Estados Unidos há cerca de um mês, mas só na noite desta quinta (6) foi liberado na internet.

Não é o melhor filme de surfe de Kai Neville, mas é sua criação audiovisual mais bonita e madura até o momento, em uma sintonia espontânea com o arco descrito pela carreira de Craig nos últimos anos.

Veja também: Aspecto, o novo filme de Tomas Hermes

Os registros de paisagens e ações fora da água conversam com a identidade inconfundível do surfe de Anderson. Na Noruega, a câmera abre mostra a imensidão gelada como cenário de um ataque vertical a umas direitas perfeitas. Na sequência seguinte, ela fecha em Ando e o objeto passa a ser os detalhes de seu corpo, de seu surfe, desfilando em uma esquerda perfeita, azul e tropical sobre uma monoquilha 6’8″. A transição entre essas duas sessões é de arrancar um suspiro.

A articulação entre todos esses elementos é feita por uma cuidadosa edição da trilha sonora, criando um filme bonito e instigante.

E que fala por si, dispensando qualquer outra mensagem que não seu próprio título: quanto mais quieto, mais você ouve. Assista.