Ryan Callinan e Benji Brand ficam nas primeiras posições na triagem e vão participar do Billabong Pipe Masters

Por Redação HC

O australiano Ryan Callinan confirmou nesta quarta (12) viver um dos melhores momentos de sua carreira ao vencer o Pipe Invitational e classificar-se para a disputa do Billabong Pro Pipe Masters. A segunda vaga no evento principal ficou com o havaiano Benji Brand, vice-campeão da triagem.

A vitória de Callinan, o fato de metade dos finalistas serem australianos (Soli Bailey ficou em 4°) e o desempenho dos estrangeiros em geral em relação aos locais são coisas que aos poucos parecem desmistificar o favoritismo atribuído aos nativos das ilhas em Pipe – ao menos em condições “humanas”. Sem o crowd absurdo e o controle exercido pelos xerifes do pico, os melhores competidores de outros países são tão bons quanto – se não melhores – que os “especialistas” em Pipe.

Veja também: Gabriel Pastori dá sua versão para “fuga” em agressão a Michael Rodrigues

Em defesa dos ditos especialistas, as condições estiveram longe do ideal durante toda o dia. Nas primeiras baterias do campeonato foram poucos tubos. Apenas 7 dos 32 competidores conseguiram fazer ao menos uma nota acima dos 5 pontos na primeira rodada.

O primeiro a conseguir um bom tubo e uma nota excelente foi o australiano Ethan Ewing – aquele que venceu John John Florence no Pipe Masters de 2017, e teria dado o título mundial a Gabriel Medina se juízes não tivessem dado uma mãozinha para o havaiano. O ex-top do CT mostrou um bom conhecimento do pico e era uma dos destaques até lesionar-se nas quartas-de-final.

Ethan Ewing era um dos destaques do Pipe Masters até se lesionar

Por já ter somado pontos no CT nas etapas da França e Portugal, Callinan não entra no Pipe Masters com o último seeding, saindo do caminho dos candidatos ao título na primeira rodada.

O surfista “pior” rankeado é Benji Brand, que enfrenta o líder do circuito, Gabriel Medina, e o australiano Connor O’Leary na sexta bateria do R1. O segundo seeding mais baixo ficou com Seth Moniz, único convidado a entrar direto no evento principal. Seth enfrenta Julian Wilson e Tomas Hermes na quinta bateria.

Caio, que compete em sua primeira etapa do CT desde Margaret River, é o terceiro seeding mais baixo e vai cair na quarta bateria, contra Filipe Toledo e Matt Wilkinson.

Um swell de Noroeste que começou a crescer ao longo do dia na quarta deve entrar direto e sem influências de outras ondulações na bancada de Pipeline nesta quinta. A expectativa é de tubos de 6 a 8 pés, principalmente para o Backdoor ao longo de todo o dia. A primeira chamada está marcada para as 15h30 no horário de Brasília. Assista ao vivo em www.worldsurfleague.com.

Imagens: Ed Sloane/WSL