Especialistas confirmaram que o bólido se dissipou a aproximadamente 36km de altitude e não chegou a atingir a superfície da Terra. 

Por Redação HC

Um meteoro foi registrado por uma câmera em Taquara,Região Metropolitana de Porto Alegre, na madrugada de sexta-feira (12/04).

O diretor científico da Bramon professor Carlos Fernando Jung, responsável pela captura das imagens, informou que o bólido entrou na atmosfera a 122,2 mil km/h, e começou a perder força. O especialista calcula que o meteoro foi extinto a 36 km de altitude, sem causar qualquer dano.

“Ele pesava 12 kg quando ele entrou na atmosfera, com o tempo ele diminuiu a massa, até que os fragmentos foram mínimos. O objeto foi totalmente consumido em sua passagem atmosférica, a cerca de 145 Km sobre o mar da costa do Rio Grande do Sul”, afirma.

O professor conta que no grupo Bramon cada cientista possui seu equipamento para realizar registros a parte, contribuindo assim para criação de um banco de dados maior.

“Cada pessoa adquire seu próprio equipamento, e mantém operando 24h. O grupo reúne vários profissionais, que trabalham de forma voluntária em prol de fazer o registro, a análise”, ressalta.

Segundo Jung, bólido é o nome dado ao meteoro quando ocorre a explosão. São meteoros que possuem a forma de uma “bola”, daí vem o nome popular de “bola de fogo”, explica o professor.

Bólidos podem ser seguidos de explosões ou explodirem no final. “Diariamente, a terra é bombardeada por meteoros, que entram aqui, são atraídos pela gravidade da Terra. É uma coisa comum. Durante o dia e a noite, não tem hora, nem lugar para acontecer. Mas não é normal a gente fazer um registro dessas proporções”, explica o professor.

Confira o vídeo compartilhado pela Band do momento em que o meteoro se dissipa próximo ao mar:

Veja também: cientistas instalam câmera em tubarão para experimento