Publicidade:

Wesley Dantas bate seus próprios recordes no segundo dia do Iquique Pro

Quiksilver Iquique Pro prosseguiu em mais um dia de ondas excelentes no Chile, para a estreia dos cabeças de chave da primeira etapa do World Surf League (WSL) Qualifying Series com status QS 3000 na América do Sul esse ano. As condições do mar melhoraram na quarta-feira, com as séries de 3-5 pés abrindo paredes perfeitas para manobras, formando belos tubos e até rampas para os aéreos nas direitas de La Punta, na Playa Cavancha de Iquique.

+ Tubos quadrados em Naufragados. Vídeo

+ “Italo Ferreira será um nome icônico que define essa era.”

+ Júlia Santos e Marcos Corrêa vencem Red Bull Pool Clash; Mineirinho e Pedro Scooby marcaram presença

Na quarta-feira foram realizadas mais 24 baterias, com o dia começando pelas oito que restavam para fechar a primeira fase do Quiksilver Iquique Pro Junior. Depois, rolaram as 16 que marcaram a estreia dos cabeças de chave do Quiksilver Iquique Pro QS 3000, enfrentando os 32 surfistas que se classificaram na primeira fase disputada na terça-feira. Foi nas baterias da categoria Pro Junior Sub-20, que o chileno Martin Vidueira surfou o primeiro tubaço do dia. Ele ficou entocado lá dentro e saiu fazendo uma série de manobras, para receber a primeira nota 9,00 dos dois primeiros dias de competição em Iquique.

Chileno Martin Vidueira foi o primeiro a conseguir uma nota excelente de 9 pontos (Crédito: Nicolás Diaz / Iquique Pro)

O chileno Martin Vidueira bateu o recorde de nota do brasileiro Weslley Dantas na terça-feira e o outro foi superado três baterias depois, ainda pela categoria Pro Junior. O jovem Heitor Mueller, de 17 anos de idade, chegou no Chile embalado pelo título na etapa do QS 1000 encerrada no domingo em Salvador, na Bahia, Brasil. Ele assumiu a liderança no ranking regional da WSL Latin America com a vitória e estreou bem no Pro Junior, aumentando o maior placar do Quiksilver Iquique Pro, de 15,04 para 15,27 pontos.

Heitor Mueller estreou com vitória no Pro Junior e depois na etapa do QS 3000 (Crédito: Kemichh / Iquique Pro)

LIDERANÇA DO RANKING – Depois, Heitor Mueller voltou a competir à tarde, para fazer sua primeira defesa da liderança do ranking da WSL Latin America no Chile. Ele precisava avançar, pois um concorrente direto já tinha vencido o confronto anterior. Com a classificação para a terceira fase do Quiksilver Iquique Pro, Ryan Kainalo passou à sua frente. Mas, Heitor achou boas ondas de novo para surfar um belo tubo e mostrar seu frontside agressivo, manobrando forte para vencer a bateria e se manter em primeiro no ranking.

Os dois faziam parte dos cabeças de chave que entraram direto na segunda fase, que já começou com show de surfe nas direitas de La Punta. O peruano Miguel Tudela, campeão do QS 1000 realizado nas Ilhas Galápagos, no Equador, derrotando o jovem Ryan Kainalo na final, ganhou a primeira bateria somando notas 8,00 e 7,00. Na segunda, entrou outro surfista que representou seu país na estreia do surfe como modalidade olímpica nos Jogos de Tóquio, o chileno Manuel Selman. Esta bateria foi adrenalizante, uma das melhores do campeonato.

Manuel Selman é um dos candidatos para um inédito título do Chile em Iquique (Crédito: Nicolás Diaz / Iquique Pro)

O atual campeão sul-americano Pro Junior da WSL Latin America, Cauã Costa, largou na frente com nota 7,17 em um tubo de frontside nas direitas de La Punta. Depois, destruiu outra onda muito boa que igualou a nota 9,00 recorde do campeonato. O chileno Manuel Selman também deu um show nas duas últimas ondas que surfou e valeram 8,43 e 7,60, com os dois fazendo as maiores pontuações do Quiksilver Iquique Pro até ali, 16,17 e 16,03 respectivamente.

Cauã Costa fazendo mais uma grande apresentação nas direitas de La Punta (Crédito: Nicolás Diaz / Iquique Pro)

RECORDISTA ABSOLUTO – As ondas continuaram bombando e na bateria seguinte o brasileiro Weslley Dantas retornou ao topo das listas de recordes do Quiksilver Iquique Pro QS 3000. Ele foi impecável na escolha das ondas e destruiu as direitas de La Punta com seu backside, que já tinha feito as maiores marcas do primeiro dia. Weslley só surfou três ondas nos 25 minutos da bateria. Na segunda, ganhou 8,80 e a última arrancou 9,23 dos juízes, totalizando incríveis 18,03 pontos de 20 possíveis.

Weslley Dantas chegou bem perto do recorde histórico desta etapa de Iquique, realizada em 2018 e em 2019. Ela não aconteceu em 2020 e em 2021 por causa da pandemia e está retornando agora, com o Quiksilver & Roxy Iquique Pro. A maior somatória nos dois primeiros anos foi registrada em 2018 pelo peruano Alonso Correa, 18,25 pontos. Os 18,03 de Weslley aparecem agora em segundo lugar, superando os 17,74 do também brasileiro João Chianca, da sua vitória na final do Heroes de Mayo Iquique Pro de 2019.

Weslley Dantas foi o grande destaque nos dois primeiros dias do QS 3000 do Chile (Crédito: Nicolás Diaz / Iquique Pro)

Na terceira fase, o recordista absoluto do Quiksilver Iquique Pro QS 3000 vai enfrentar o também brasileiro Leo Casal, campeão da categoria Pro Junior na última edição desta etapa em 2019, o chileno Manuel Selman e o argentino Radziunas Franco. Mas, este confronto só vai acontecer na sexta-feira. Depois de dois dias só de competições masculinas, a quinta-feira será iniciada com a estreia das mulheres nas direitas de La Punta.

Receba nossas Notícias no seu Email

+Notícias