Publicidade:

Tom Curren surfando sozinho no México é muito mais que um filme de surf

Free Scrubber”, o mais recente filme da série “The Search”, da Rip Curl, traz a volta de Tom Curren aos filmes de surf nas ondas do México.

No auge da pandemia de Covid-19, Curren opta por fazer seu isolamento nas direitas quentes e perfeitas de Salina Cruz.

Acompanhado de seu amigo de longa data, Buggs Arico, e do cineasta australiano Andy Potts, Tom e seus amigos são surpreendidos quando, já em terras mexicanas, recebem a notícia de que as fronteiras foram fechadas para estrangeiros.

+ Lucas Silveira fez o combo mágico durante viagem: surf e snowboard

+ Seis livros extraordinários para você aproveitar o flat do Verão

+ Após 6 anos submersa no Havaí, câmera é encontrada (e continua funcionando)

Com isso, os três ficam três meses, sozinhos, sendo os únicos surfistas da cidade e com o point de Salina Cruz só para eles.

Tom Curren em ondas perfeitas e sem crowd é uma oportunidade boa demais para ser perdida. As câmeras rodaram.

Contudo, para além das linhas perfeitas de Curren e toda sua genialidade nas ondas, “Free Scrubber”, parece, de certa forma, tentar descontruir o mito e todo conceito “The Search” que nasceu com o próprio californiano.

Tom Curren Mexico
Tom Curren e seu quiver mexicano: A busca agora é outra. Foto: Andy potts

“Ficou entediante depois de um tempo”, dispara Tom Curren, respondendo de forma quase desatenta, quando o cineasta começa a falar sobre o assunto.

Temos, então, de certa forma, a desconstrução de um mito. O filme adota uma linguagem diferente daquela que estamos acostumados acompanhar nas películas de surf.

Sequências bem-humoradas mostram um Curren “humano”, praguejando após quebrar sua alaia ao meio após um tombo desajeitado ao escorregar das pedras para entrar no mar; ou enquanto corre a parede de uma onda, sem fazer nada, sob uma narração exagerada de Joe Turpel, numa clara zoeira com a WSL e suas “transmissões épicas”.

Enfim, a metafórica Busca de Tom Curren agora se tornou um paradoxo. E ele claramente não quer ser encontrado.

No entanto, há uma lacuna aqui, pois, apesar de tudo, a genialidade de uma pessoa que mudou os rumos do surf está ali.

Mas agora, talvez, chegou o momento de olharmos apenas para o homem.

Receba nossas Notícias no seu Email

+Notícias

Dia Mundial da Yoga: o...

Aproveitamos o Dia Mundial da Yoga, 21 de junho, para compartilhar um conselho precioso...

Montañita Surf City: Silvana Lima...

A brasileira Silvana Lima e o peruano Lucca Messinas foram os grandes campeões do Corona...

Dois ataques de tubarão no...

New Smyrna, uma das praias mais populares da Flórida, EUA, registrou dois ataques de...

Filipe Toledo é o campeão...

Pela primeira vez, Filipe Toledo consagrou-se campeão do Surf Ranch Pro, a sexta etapa...