Publicidade:

“Tenho pena deles nesse momento,” diz surfista sobre Rio Pro em Saquarema

Uma resposta de um surfista durante uma etapa do QS da WSL em Nias acendeu a chama para a questão de por que não há mais eventos da elite mundial do surf na Indonésia.

O assunto foi levantado por Luke Kennedy, na revista australiana Tracks, que citou a entrevista do surfista Mike Clayton Brown: após sua segunda bateria do dia, Brown “não pôde deixar de cuspir quando perguntado se ele estava assistindo o Rio Pro em Saquarema, no Brasil”, escreveu Kennedy.

>>> Barton Lynch: “WSL diz que não precisa de mim”

A resposta de Brown, que naquele momento surfava Nias, foi a seguinte:

“É tão perfeito (aqui). Este é o surf dos sonhos. Tenho pena deles neste momento.”

Em sua matéria, Kennedy opina que enquanto El Salvador teve seus momentos, a onda de Krui, que sediou etapa do QS da WSL, quebrou de quatro e doze pés de altura, e emenda contando que viu o 10 de Caio Ibelli em ondas de três pés, além do variado game de aéreos na etapa carioca, mas encerra exemplo com a máxima de que “Saquarema nunca vai ser Nias, com seus tubos largos e palmeiras”.

>>> Indonésia deve criar visto de 5 anos para nômades digitais

Claro, continua o jornalista, para realizar um CT, a WSL precisa garantir patrocinadores, autorizações e prêmios em dinheiro para um local. Não é simplesmente um processo de “lista de desejos” e o Dream Tour está feito.

No entanto, ele diz, “Nias certamente levou a melhor sobre Saquarema, e é claro que é bom para a WSL se mais pessoas estiverem assistindo os dois”.

Ele concorda que o Rio Pro em Saquarema deve existir, mas argumenta haver espaço para uma perna Indonésia também. “Afinal, é o lar das ondas mais perfeitas do mundo,” diz Kennedy.

A essa altura, as chances são altas de você ter questionado que a etapa de G-Land incluída do Dream Tour da WSL já é uma vitória por si só. Quanto a isso, Kennedy faz questão de lembrar que o período de espera do evento foi reduzido com a chegada do corte do meio do ano, e que “G-Land bombou antes e depois do período de espera”.

Enfim, para esse jornalista, dois eventos na Indonésia parecem razoáveis ​​ou talvez uma reversão ao plano original de ter o dia das finais como um evento móvel na região de Mentawai. “Isso poderia seguir-se a um evento regular final na Indonésia. Ou talvez eu esteja apenas sonhando,” finaliza Kennedy.

Se for pra sonhar, que seja com esses tubos que rolaram na rodada dos 32 do Nias Pro, finalizado no dia 26 de junho de 2022, em Nias:

Receba nossas Notícias no seu Email

+Notícias