23 C
Papeete
quarta-feira, 22 maio, 2024
23 C
Papeete
quarta-feira, 22 maio, 2024

Taylor Knox revela meditação de 5 minutos que revolucionou sua vida

Taylor Knox é um surfista profissional americano e pioneiro no esporte, tendo vencido competições como o circuito mundial de surf, em 1995, levando a equipe dos EUA ao ouro nos Jogos Mundiais de Surf da ISA de 1996 e garantindo o prêmio em dinheiro de 50 mil reais durante o primeiro Desafio de Ondas Grandes K2 em Todos Santos.

Mas cerca de 20 anos atrás, ele estava em um lugar ruim mentalmente. “Embora tudo do lado de fora parecesse ótimo; Eu tinha uma ótima carreira, estava em turnê – mas não estava feliz e realmente não sabia por quê”, diz ele. “Senti que tinha as respostas, mas não conseguia acessá-las dentro de mim.”

Veja também:
+ As férias catarinenses de Alex Ribeiro
+ Bethany Hamilton critica a nova política transgênero da WSL
+ Rayssa Leal dá show e é campeã mundial de skate street

Então um amigo sugeriu um novo tipo de meditação chamado Kelee – nomeado para a palavra sânscrita que significa “ter a ver com diferentes estados da mente”, bem como as palavras gregas e hebraicas que significam “recipiente”.

O conceito gira em torno de duas sessões de meditação de cinco minutos por dia, nas quais você aprende a pegar seu recipiente ou “Kelee” e tirar as coisas ruins e colocar as coisas boas. Knox era cético, tendo ideias preconcebidas de meditação; pensava que provavelmente isso não era para ele.

“Depois de um ano meio infeliz, meu amigo disse: ‘Por que você não vai e verifica por si mesmo? Você não vai usar um manto vermelho, raspar a cabeça e se tornar vegano’”, ele compartilha. “Então eu pensei, ‘OK, desde que seja prático e algo não muito hippie, então estou dentro’”, disse à sandiegomagazine.com.

Ele decidiu se encontrar com Ron Rathbun, fundador da Kelee Meditation, que criou o método há 35 anos, depois de lidar com sua própria dor na infância. Quando Rathbun começou a meditar, ele descobriu que quando sua mente estava quieta, ele era assaltado por grandes emoções.

Então ele desenvolveu o conceito de “Grande Kelee” e “Lesser Kelee”.

O primeiro é de onde vêm as emoções, enquanto o último é onde os pensamentos começam.

“Eu sentia os medos e parava e ficava quieto ali mesmo, e todos os medos e todos os meus problemas – que são basicamente os problemas de uma pessoa – simplesmente começavam a se dissolver”, diz Rathbun.

“Se você realmente prestar atenção na emoção, quando você a sente, você a sente vindo do seu peito, certo? Você não acha que a emoção vem da sua cabeça, você realmente a sente ”, diz o Dr. Daniel Lee, médico da UC San Diego que pesquisa Kelee. “E às vezes você pode sentir um peso, ou algo no peito, especialmente com uma emoção triste.” Então, diz ele, nossos pensamentos existem no Lesser Kelee “acima da superfície da mente”.

Para praticar a Meditação Kelee, você deve aprender o que é sentimento mental e como acessar o Kelee Maior e o Menor. “Se você tocar o topo da cabeça, é uma sensação física”, diz o Dr. Lee. “Se você remover o dedo do topo da cabeça, mas sentir mentalmente onde o dedo acabou de sair, então isso é sentir mentalmente a sua consciência.”

Essencialmente, você está aprendendo como se conscientizar dessas sensações, começando no topo da cabeça e depois relaxando pelo cérebro até o nível dos olhos. “[Então você pode] usar esse tipo de energia mental relaxada e mais suave”, diz o Dr. Lee. “A partir daí, você quer relaxar sua consciência de volta a um único ponto, como se estivesse no meio de sua cabeça, atrás de seus olhos ou atrás de seus seios da face. E isso é uma preparação para relaxar no Grande Kelee.”

Para entrar no Grande Kelee, relaxe sua consciência e “ela cairá naturalmente neste espaço”, diz ele. Relaxar nesse estado requer prática, mas com o tempo fica mais fácil. “Quanto mais tempo você aprende a passar lá, pode ficar mais quieto mentalmente”, diz o Dr. Lee. Para Knox, foi uma mudança de vida – embora tenha demorado alguns meses para ele se acostumar com a prática.

“Eu estava tão envolvido em minha cabeça e tinha tantos programas acontecendo. É como quando você tem um iPhone e não sabe, mas há todos esses aplicativos rodando [em segundo plano]”, diz Knox. “Essa é uma boa analogia do que esta meditação faz. É como se você pudesse ter todas essas coisas girando em sua cabeça, e então você meio que desliga tudo para economizar energia e obter alguma clareza.”

Com a meditação Kelee, ele aprendeu a ser mais paciente, um pai melhor e um surfista mais forte. Ele diz que apesar de ter feito uma cirurgia nas costas quando adolescente e mais de 30 anos de carreira no surf, seu corpo ainda está ótimo graças a Kelee.

“No passado, eu treinava fisicamente demais porque sentia que era assim que meu corpo reagiria melhor ou se recuperaria mais rapidamente”, diz Knox. “Mas o que percebi foi que o corpo segue a mente, não o contrário. Então eu precisava limpar minha mente e meu corpo ficou melhor.”

Depois que o Dr. Lee descobriu como a Meditação Kelee o ajudou em um nível pessoal, ele começou a usá-la na medicina. Ele descobriu que reduzia o esgotamento em enfermeiras da UC San Diego, diminuindo o estresse e a ansiedade. E o mais impressionante, ele descobriu que, à medida que as pessoas continuam fazendo isso, os estressores normais da vida as afetam menos.

“A marca registrada dessa prática é que as coisas que costumavam afetá-lo começam a afetá-lo menos e, com o tempo, não podem mais afetá-lo”, diz o Dr. Lee. “Você pode realmente perceber que há coisas que realmente não te incomodam.” Ele diz que é uma forma de se livrar das coisas que apertam seus botões ou sua bagagem. Knox compara a prática ao filme Benjamin Button, onde à medida que envelhece e fica mais experiente, ele fica mais saudável, porque tem mais clareza em sua mente.

Para Rathbun, esse é exatamente o ponto. Ele diz que quando começou a trabalhar com Knox, os amigos do surfista temeram que ele se tornasse uma pessoa diferente. “O que eles perceberam é que o amam ainda mais porque ele é um Taylor mais puro”, diz ele. “Kelee Meditation não o transformou em algo que ele não é. Isso o ajudou a se tornar quem ele realmente é.”

Este mês, a Fundação Kelee realizará um workshop discutindo a importância de estar centrado em um esforço para ajudar as pessoas a perceberem a necessidade de autocuidado para reduzir o esgotamento.

Fonte: sandiegomagazine.com

Receba nossas Notícias no seu Email

Últimas Notícias