27 C
Papeete
quarta-feira, 12 junho, 2024
27 C
Papeete
quarta-feira, 12 junho, 2024

Surfista atacado por tubarão: “Foi surreal”

Na semana passada, um surfista de 36 anos da Flórida foi atacado por um tubarão em Pepper Park Beach, em Fort Pierce.

De acordo com a entrevista abaixo, a agressão o deixou com um ferimento profundo no pé e no tornozelo direitos, o que exigiu atendimento médico de emergência.

 

Veja também:  
+ Rasgada de front side: descubra o passo a passo
+ 10 erros comuns que skatistas iniciantes deveriam evitar
+ Gabriel Popó sofre grave lesão e precisa de ajuda

 

Picarelli descreveu o incidente como uma experiência “surreal” e disse que durante o ataque, a sensação foi como se ele estivesse “em uma máquina de lavar”.

Apesar dos ferimentos, ele manteve a calma e conseguiu remar de volta à praia com a ajuda de outros surfistas que estavam por perto.

Como a maioria dos surfistas da Costa Leste sabe, os ataques de tubarão na Flórida não são incomuns, e o estado tem o maior número de ataques de tubarão nos Estados Unidos.

Esse marca o terceiro ataque na Flórida este ano.

Assista no vídeo abaixo ao surfista relembrando o ataque sofrido por tubarão:

Vídeo: ABC 7 Chicago / YouTube

O que fazer ao ver um tubarão na água?

Controle o pânico se o bichano vier. Caso ele se aproxime, não tente agredi-lo ou afastá-lo. Espere ele ir embora.

Tentar escapar não é uma boa ideia, afinal ele é bem mais rápido do que você. Sair remando “de fininho” também – a não ser que você saiba rezar para todos os tipos de deuses.

A coisa certa a fazer é criar coragem para se sentar com as pernas dentro d’água – é melhor perder o pé do que tomar uma dentada no tronco –, respirar fundo e se movimentar o menos possível.

Certamente, se o tubarão intencionar o ataque, será muito difícil escapar da situação. Além disso, a reação do animal é imprevisível nessa situação.

Foi o que aconteceu com o sul-africano Shannon Ainslie, que foi atacado por dois tubarões brancos em Nahoon Reef, em 2000.

Tudo aconteceu tão rapidamente e de surpresa que eu, sequer, notei o que estava se passando”, diz o surfista de 26 anos. “De repente eu me encontrei encarando um tubarão com a boca aberta, colado em mim, me mostrando todos os seus dentes.”

Se ele te atacar, Botha diz que “a primeira coisa a fazer é tentar enfiar os dedos nos olhos do tubarão”. E não puxe seu braço, deixe que o tubarão solte.

Se a fera te cuspir, evite movimentos bruscos e mantenha a roupa de borracha no corpo, para ajudar a estancar o sangue. Se estiver sem john, estanque o sangue amarrando o leash próximo à artéria.

Resumindo:

  • Surfe acompanhado e com a luz do dia. Evite wetsuits de alto contraste, sangramentos expostos e urina;
  • Não tente se afastar ou agredi-lo. A reação dele será recíproca – e as consequências bem piores;
  • Se o ataque acontecer, tente enfiar o dedo nos olhos do tubarão e não tente se soltar. Isso pode agravar a lesão;
  • Se for mordido, mantenha o john ou amarre o leash perto da artéria para evitar a perda de sangue.

 

Receba nossas Notícias no seu Email

Últimas Notícias