Publicidade:

Surf Ladies incentiva o surf feminino da iniciação até o nível profissional

Em todas as esferas, o surf é um esporte que cada vez mais se torna popular no Brasil. E entre iniciantes, amadores e profissionais, as mulheres também remam forte para conquistar mais espaço nesse universo predominantemente masculino. A próxima terça-feira (8), é o dia internacional para refletir sobre a luta e conquista das mulheres ao longo da história.

Veja também:

+ Na Onda Delas promove aulas gratuitas de surf para mulheres adultas em Búzios

+ BBQ Only Girls: o pioneiro projeto de surf trips internacionais para mulheres

+ A vez das mulheres nas poderosas ondas de Pipeline; vídeo

Pensando nisso, a Hardcore está produzindo conteúdos exclusivos sobre iniciativas que têm como missão colocar as mulheres como protagonistas dentro do universo do surf. Dois outros textos com outros projetos já foram publicados.

A reportagem desse domingo (6), é sobre o Surf Ladies. A iniciativa idealizada por Joana Meireles e Tayane Sales tem como missão fortalecer o surf feminino de várias formas. Com incentivo da base até a profissionalização, as ações acontecem com foco no surf feminino cearence.

As diferentes vertentes do Surf Ladies

A sede do Surf Ladies fica na Praia da Leste Oeste, no Ceará, onde acontecem aulas particulares de surf e a inclusão de uma turma social vinculada ao Projeto Juventude da prefeitura da cidade. O Surf Ladies também assessora algumas atletas, conta com uma equipe de imagem (também formada por mulheres), além de promover viagens de surf e campeonatos femininos profissionais.

“Nós atuamos em busca de inclusão e empoderamento do surf feminino”, conta a idealizadora Joana, que hoje administra todas as necessidades das diversas vertentes do projeto. “Resumindo, atuamos diretamente a partir do incentivo para começar a praticar o surf até a formação profissional de atletas de alta performance.”

Joana contou que a iniciativa nasceu de um grupo de caronas do Whatsapp. “Rapidamente a gente já tinha uma logomarca e um instinto próprio de empoderamento das mulheres no mar, devido ao machismo e preconceitos que vivemos nesse ambiente”. A partir dali, o Surf Ladies alcançou muitas pessoas e, principalmente mulheres, nas mais diversas áreas que o projeto abrange.

“Nosso diferencial é trabalhar em todos os alicerces em busca de fortalecer o surf feminino pela base e trabalhar também com a inclusão LGBTQIA+ e homens que queiram aprender a surfar com uma equipe 95% feminina”, esclarece Joana. 

 

Mamala Surf PRO 22

Nos dias 13 a 17 de abril, o campeonato organizado pelo Surf Ladies será válido para a segunda etapa do brasileiro da ABRASP. Trata-se do Mamala Surf PRO 22, que acontecerá justamente na Praia do Leste Oeste, e terá 25 mil reais em premiação. Além disso, esse evento contará com a inclusão de categorias paradesportivas.

Texto por Mariana Broggi

Receba nossas Notícias no seu Email

+Notícias