23 C
Papeete
terça-feira, 23 julho, 2024
23 C
Papeete
terça-feira, 23 julho, 2024

Rio Waida e Molly Picklum vencem Ballito Pro

Rio Waida (IND) e Molly Picklum (AUS) venceram o Ballito Pro, conquistando a vitória nas finais contra Gatien Delahaye (FRA) e Macy Callaghan (AUS), respectivamente. As ondas se mantiveram entre três a quatro pés em KwaZulu-Natal.

A terceira parada do Challenger Series da World Surf League (WSL) de 2022, o Ballito Pro, aconteceu em condições desafiadoras, mas ainda assim proporcionou boas performances de alguns dos melhores surfistas do mundo, que lutam para se qualificar para o campeonato de elite do Tour. O dia começou com as quartas de final femininas e correu divisões alternadas até as finais.

O campeão do Ballito Pro, Rio Waida – Foto: Pierre Tostee/World Surf League

Vitórias consecutivas de Rio Waida

A final masculina chegou primeiro ao lineup com Rio Waida, da Indonésia, enfrentando Gatien Delahaye, da França, em um confronto emocionante onde os dois surfistas se mostraram altamente capazes de levar a disputa aos aéreos.

Waida atacou primeiro com uma abordagem um tanto conservadora, mas conseguiu um 7,50 logo no início da final. O surfista então encontrou um pequeno tubo limpo e acrescentou 5,17 ao seu total, pressionando ainda mais o francês cujas primeiras tentativas não tiveram sucesso. Enquanto Delahaye parecia afetado pela pressão, o indonésio manteve-se extremamente ocupado tentando aumentar a somatória em uma sucessão de direitas, bem surfadas, mas abaixo de sua pontuação no tubo.

O surfista de Guadalupe finalmente encontrou seu ritmo aos 15 minutos com um aéreo que valeu 5,57. Mas Waida não recuou e mandou um reverso em uma seção desafiadora que somou 8 pontos e deixou o oponente precisando de uma nota quase perfeita, 9,93. A bateria chegou ao fim e o Indonésio conquistou sua segunda vitória da temporada no Challenger Series de 2022.

Rio Waida após vencer o Ballito Pro – Foto: Alan van Gysen/World Surf League

O dinâmico surfista regular de Bali está forte, após vencer eventos consecutivos no Challenger em Sydney e hoje em Ballito, além de conquistar vitórias no QS no processo e uma aparição no CT no recente Quiksilver Pro G-Land. Ele agora assume a liderança com louvor no ranking e soma mais de 20.000 pontos, garantindo boas chances para o circuito de elite do ano que vem.

Veja também:
Red Bull Big Wave Awards 2022 divulga lista de vencedores
“Embaixadores da Costa” irão organizar o crowd em Biarritz
Ainda vale a pena surfar em Malibu?

Gatien Delahaye (FRA), duas vezes vencedor do Qualifying Series (QS), teve sua própria corrida épica no início da temporada com dois vice-campeonatos e um terceiro lugar no QS europeu. No entanto, ele não conseguiu trazer seu impulso para o Challenger Series e saiu na primeira rodada em ambos os eventos australianos. Seu segundo lugar em Ballito marca o maior resultado de  carreira e um passo importante rumo ao resto da temporada.

Com 7.800 pontos adicionados à sua contagem da temporada, Delahaye subiu para 9º no ranking do Challenger Series.

Waida e Delahaye já haviam derrotado Keanu Asing (HAW) e Leonardo Fioravanti (ITA), respectivamente, nas semifinais. Na sua primeira aparição no Challenger Series, Asing alcançou um grande resultado que o catapultou para o 18º no ranking. Fioravanti somou grandes pontos novamente e seguirá para a quarta etapa do Challenger Series como número 2 do ranking.

Molly Picklum (AUS) a campeã do Ballito Pro – Foto: Pierre Tostee/World Surf League

Molly Picklum de volta à vitória

Em uma final feminina totalmente australiana, a ex-surfista do CT Macy Callaghan (AUS) enfrentou a estreante Molly Picklum (AUS). Callaghan lançou a primeira nota do placar da final com um único e poderoso golpe de backside de 5,00, e Picklum respondeu de maneira muito semelhante para um 4,67 para ficar na cola da liderança. A mais experiente das duas, Callaghan continuou construindo resultado com uma esquerda curta semelhante mais uma vez com um 5,67. Picklum mudou de estratégia e foi para a direita, onde os homens pontuarem bem mais cedo e, ali, ela encontrou um 5,83, ainda na segunda posição, mas agora com a maior pontuação da bateria.

Essa vantagem não durou muito, pois Callaghan encontrou uma parede melhor para explorar seu backside novamente para uma vantagem de 6,50 nos minutos finais da bateria. Com quatro minutos no relógio, Picklum forçou sua oponente a mostrar a intenção numa esquerda fechando, mudando a prioridade e abrindo uma porta escancarada para a chance final da novata de virar o jogo. Ela teve uma oportunidade com duas curvas rápidas à esquerda e postou um 6,57 para reivindicar a vitória nos segundos finais da final.

Molly Picklum pulou para 2º no ranking do Challenger Series – Foto: Pierre Tostee/World Surf League)

Três vezes vencedora do QS, a jovem surfista que não conseguiu fazer o corte do meio do ano em seu ano de estreia no CT, chegou ao Challenger Series com enorme motivação para recuperar sua vaga para a próxima temporada. Com um vice-campeonato na Gold Coast, um 17º em Sydney e agora a vitória em Ballito, Picklum passou da 4ª para a 2ª posição com cinco eventos restantes na programação.

Após uma passagem de três anos no Championship Tour, Macy Callaghan (AUS) também não fez o corte e optou por colocar um forte esforço de qualificação este ano tanto no QS, com duas vitórias já em 2022, quanto no Challenger com o vice-campeonato de hoje. Antes de hoje, a surfista de Avoca ainda não tinha conseguido passar da Rodada dos 16 nesta temporada do CS.

Seus 7.800 pontos somados a levaram para o Top 5 na qualificação do ranking.

Callaghan e Picklum já haviam derrotado Bronte Macaulay (AUS) e Caitlin Simmers (EUA), respectivamente, nas semifinais. Macaulay saltou de 14º para 6º graças ao resultado de hoje e Simmers cimentou ainda mais sua liderança no ranking do Challenger Series deste ano.

Vários outros surfistas tiveram boas performances na terceira etapa da temporada, incluindo Summer Macedo (BRA) e Dimity Stoyle (AUS), que subiram cerca de 30 posições no ranking feminino, bem como Frederico Morais (PRT) no masculino e muito mais.

Com a conclusão do Ballito Pro os rankings do Challenger Series atualizaram. Aqui estão os atuais potenciais qualificados para o 2023 Championship Tour:

Men’s Challenger Series Top 10:
1 – Rio Waida (IDN)
2 – Leonardo Fioravanti (ITA)
3 – Callum Robson (AUS) * Already qualified through CT *
4 – Dylan Moffat (AUS)
5 – Sheldon Simkus (AUS)
6 – Maxime Huscenot (FRA)
7 – Ryan Callinan (AUS)
8 – Michael Rodrigues (BRA)
9 – Gatien Delahaye (FRA)
10 – Mateus Herdy (BRA)
11 – Alejo Muniz (BRA)

Women’s Challenger Series Top 5:
1 – Caitlin Simmers (USA)
2 – Molly Picklum (AUS)
3 – Nikki Van Dijk (AUS)
4 – Teresa Bonvalot (PRT)
5 – Macy Callaghan (AUS)

Todos os eventos do Challenger Series serão transmitidos AO VIVO no WorldSurfLeague.com, no canal da WSL no YouTube e no aplicativo WSL gratuito. Os surfistas agora terão três semanas para se preparar para o próximo evento do Challenger Series 2022, o VANS US Open of Surfing, que abre em 30 de julho e mantém um período de espera da competição até 7 de agosto de 2022.

Receba nossas Notícias no seu Email

Últimas Notícias