Publicidade:

Publicidade:

Publicidade:

Peter Mel, “The Condor”, surfa a onda da história em Mavericks. VÍDEO


Houve muitas ondas históricas em Mavericks ao longo dos anos. Mas esta do Peter Mel, do dia 8 de janeiro, parece ser a mais épica até o momento.

Como a de Jay Moriarty, que ficou famosa na capa da Surfer Magazine de 1994 e o tubo de Shane Dorian em 2010.

+ Gerry Lopez tem algo a falar sobre ondas
+ Uma viagem á cultura surf do Havaí nos anos 1970
+ Tom Curren e J-Bay: uma masterclass de surf e uma aula de humanismo

Mas depois de uma vida inteira de dedicação e sacrifício, na sexta-feira (8/1/21), Peter Mel levou as coisas a um nível totalmente diferente.

Com seu filho, John, assistindo do canal, Mel rema em uma bomba absoluta, define sua linha de fundo e espera que a coisa se endireite e salte.

À medida que a onda sobe e desaba, ele se coloca em posição para percorrer o que só pode ser considerado o melhor tubo de todos os tempos em Mavericks.

A filmagem foi capturada pela equipe da Powerlines Productions, que assumiu como missão documentar toda a loucura da Mavs ao longo das décadas.

“Palavras não podem descrever o que assisti hoje”, escreveu John no Instagram. “51 anos e acabou de definir o padrão do que todos estarão perseguindo agora para conseguir a melhor onda lá fora. Parabéns @peter_mel, eu te amo pai.”

O waterman australiano Jamie Mitchell fez um post seu Instagram no qual ele diz que este foi o tubo mais insano que já viu alguém pegar em Mavs. Confira o que ele escreveu:

“Os dias estavam começando a ficar confusos. É difícil lembrar que dia foi o quê e qual swell foi qual dia etc. Mas ontem, sexta-feira, 8 de janeiro, ficará para sempre na história como #petemelday. Tudo começou tão sonhador e perfeito quanto você pode imaginar na Mavs. Água óleo de vidro, maré baixando, ondulação crescente e direção perfeita, como você pode ver na foto acima. Está mais para um point break indonésio. Eu tinha acabado de surfar minha última onda da sessão e estava sentado no jet-ski conversando com Pete e John e Pete estava encerando seu 9’8 para remar. Nada menos que 30 minutos se passam e John grita, aqui vai o #condor. Eu olho, mas não consigo ver ninguém remando perto do bowl, então eu olho mais profundo para a esquerda e aqui está ele cavando atrás do bowl. Começamos a gritar e acho que para mim foi por medo pelo meu amigo porque eu sei o quão pesada é a posição em que ele está agora, mas o medo se transforma em pura adrenalina enquanto ele passa pela fenda na tigela e fica ereto no buraco mais louco em que já vi alguém lá fora. Então ele relaxa de alguma forma e 30 anos de amor, suor e lágrimas se juntam enquanto ela respira e se abre (quando 99,99% das ondas prendem você) e o cospe no canal. Uma vida inteira de compromisso sendo recompensada diante de nossos olhos. Foi lindo irmão, eu te amo e obrigado por me inspirar e a todos os outros nas últimas 3 décadas.”

 

+Notícias

Top 10 do ranking brasileiro,...

Uma reportagem feita pela jornalista Patrícia Calderón denunciando a precariedade com que vive a...

Koa Rothman e John John...

As ondas estão massivas, anuncia Koa Rothman em seu novo vídeo no seu canal. "O...

Moana Jones conquistando seu espaço...

No início do mês publicamos a notícia do desentendimento da brasileira Tatiana Weston-Webb com...

VÍDEO: Honolua de gala

Continuam a sair os vídeos do super swell que chegou no Havaí no último...