Publicidade:

Pesquisadores descobrem um dos maiores recifes de coral do mundo

Um verdadeiro achado! Um grupo de cientistas apoiados pela Unesco descobriu um dos maiores recifes de coral do mundo. Localizado no Taiti, o ecossistema está a mais de 30 metros de profundidade e em bom estado de preservação.

“O estado impecável dos corais em forma de rosa e a extensão da área que cobrem os tornam uma descoberta muito rara”, afirma a Unesco.

Veja também:

Aquecimento global: países estão sendo engolidos pelo mar

O Brasil está perdendo suas praias, entenda o motivo

Gato surfista: vídeo divertido viraliza na internet

O recife tem três quilômetros de comprimento, entre 30 e 65 metros de largura e entre 35 e 70 metros de profundidade. Além disso, alguns corais medem dois metros de diâmetro, segundo as pesquisas.

A descoberta foi na chamada zona crepuscular do oceano, onde existe pouco conhecimento. “É uma área pouco explorada. O que conhecemos bem são as áreas entre zero e 30 metros”, explicou à AFP Laetitia Hedouin, bióloga marinha especialista em corais do centro de pesquisa francês CNRS e do órgão de pesquisa internacional CRIOBE.

Segundo Laetita, desde 2019, a Polinésia Francesa sofreu um forte processo de branqueamento dos corais e este, aparentemente, não foi afetado.

A expedição aconteceu em novembro de 2021 e contou com equipamentos tecnológicos de mergulho para descer até essa profundidade. Foram mais de 200 horas de mergulho para analisar o recife e a reprodução do coral.

Para o futuro, mais pesquisas serão feitas naquela região com o intuito de continuar as investigações para compreender melhor o bom estado de conservação do recife, apesar da mudança climática.

Detalhes do coral – Foto: YouTube/Alexis Rosenfeld

Berçário da vida marinha

Os recifes de coral são o verdadeiro berçário da vida marinha. Mais de um quarto de todas as espécies de peixes dependem deles para seu ciclo de vida. No entanto, com o aquecimento global e, consequentemente, com a acidificação das águas do mar (a redução do pH dos oceanos), cerca de 50% dos corais de águas rasas foram destruídos.

No entanto, é isso que torna a descoberta ainda mais importante e rara. “A descoberta deste recife em tão bom estado é uma boa notícia e pode inspirar à futura conservação deste ecossistema. Achamos que os recifes mais profundos podem estar mais bem protegidos do aquecimento global”, finalizou Hedouin.

Clique aqui para ver o vídeo do recife de coral e entenda mais da descoberta:

Receba nossas Notícias no seu Email

+Notícias