27 C
Papeete
domingo, 21 julho, 2024
27 C
Papeete
domingo, 21 julho, 2024

Lucas Fink sobre surfar Nazaré de skimboard: “Coisa de maluco”

Na semana passada, antes do início do Nazaré Tow Surfing Challenge, marcado pelo título de Lucas Chumbo, o brasileiro Lucas Fink protagonizou um dos momentos mais impressionantes da temporada de ondas grandes na Praia do Norte.

Lucas, que é o primeiro não-estadunidense a ser campeão mundial de skimboard, aproveitou a entrada do swell em Nazaré para desafiar os limites da modalidade e dropar as ondas gigantes do local com uma prancha bem menor, mais fina, sem quilhas e com menos estabilidade.

Durante a pandemia, vi que era hora de me redescobrir e me reinventar, e foi quando embarquei no mundo de ondas grandes. Foi um sonho que a vida me ofereceu, eu abracei e está sendo muito maneiro. É coisa de maluco surfar ondas desse tamanho com uma prancha que não é nem um pouco propícia para isso, mas a cada dia que passa a gente vai vendo que é possível e que as possibilidades com essa prancha são infinitas, tanto aqui em Nazaré como em qualquer tipo de condição que você esteja”, conta o atleta.

Diferentemente de uma prancha comum para encarar ondas gigantes, a de Skimboard tem 131 x 50 cm, espessura de aproximadamente 2 cm, pesa menos de 2kg, não usa alças (acessório que fixa o pé na prancha), nem quilhas, que auxiliam na estabilidade.

Lucas Fink Skimboard Nazaré
Para encarar o Canhão de Nazaré, Fink teve como mentor Lucas Chumbo (à direita na imagem). Foto: Reprodução / Red Bull

Para encarar o Canhão de Nazaré, Fink teve como mentor Lucas Chumbo. Ainda no Rio de Janeiro, eles realizaram treinamentos específicos, como os de apneia, antes de embarcar, em novembro, a Portugal.

Já tem alguns anos que estamos querendo colocar esse projeto do Fink de pé. Em 2020 viemos para Nazaré na temporada e conseguimos treinar bastante, foi um intensivão que trouxe bastante confiança ao Fink, então, quando retornamos ao Brasil, ele conseguiu se soltar, performar muito melhor e se sentir mais à vontade com o big surf completo. É irado ver como ele está evoluindo e como agora está se destacando aqui.

Veja também

+ Morando em Maui, Philippe Chagas mira o Challenger Series

+ WSL divulga surfistas do Championship Tour 2022

Eu brinco que meu pupilo foi muito rápido: em dois anos ele já sabe pilotar e fazer tudo o que a gente costuma fazer aqui em Nazaré. Eu diria que já conquistou a faixa azul e está pulando para a roxa“, conta Lucas Chumbo.

A onda gigante dropada por Fink, que pode vir a ser considerada a maior já surfada utilizando a prancha de skimboard na história, foi elogiada por ícones da modalidade, como o americano Garett McNamara.

Em Portugal, o brasileiro ainda aproveitará a janela de grandes ondas para, no início de 2022, retornar ao Brasil e focar na preparação visando ao Campeonato Mundial de Skimboard.

Sobre Lucas Fink:

Dos gramados para o mar. Fissurado por futebol, Lucas Fink jogava nas categorias de base do Flamengo antes de se aventurar no skimboard. E foi justamente na época que antecedia o Natal que ele ganhou a sua primeira prancha, aos sete anos. Em 2009, aos 10, ingressou no cenário competitivo.

De lá para cá, já faturou Título Mundial de Skimboard Profissional (2019) e foi vice-campeão mundial (2018), campeão Brasileiro Profissional (2015) e bicampeão mundial amador (2013 e 2014).

Receba nossas Notícias no seu Email

Últimas Notícias