Publicidade:

Joias do Atlântico: uma jornada rumo aos tubos na França

À primeira vista, parece simples. Identifique um swell em modelos meteorológicos, leia sua trajetória, decodifique seus dados e escolha o lugar certo; vá da teoria à prática e pontue.

Só que a realidade de um swell na Nova Aquitânia, das Landes ao País Basco, é muito diferente.

+ “Minha carreira é controversa; não é linear,” conta Maya Gabeira
+ A respiração revolucionará sua vida. Entenda e pratique
+ The Herb & Michael Ho, pelas lentes de Jack Coleman

“Mesmo que as previsões sejam excepcionais, você pode estar no lugar errado ou no momento errado”, analisa Rémi Arauzo. Fazer malabarismos entre o acaso e a perícia, jogando jogadas, é o pão de cada dia do surfista de Vieux-Boucau (Landes), bicampeão europeu de longboard em 2008 e 2010.

Por vários invernos, Rémi optou por compartilhar sua paixão por ondas grandes com Léo Havion. Juntos, eles combinam sua determinação inabalável sempre que os padrões climáticos ficam agitados.

“Pile ou Face” segue seus passos durante um swell de inverno no sul das Landes. Desde a análise do swell à sessão quase perfeita, passando pelos preparativos finais e pelos preciosos detalhes logísticos, mergulhe no quotidiano de dois surfistas que se alimentam de contratempos para encontrar o dia em que tudo se encaixa.

O surf começa aos 2’24. Verdadeiras joias do Atlântico; assista aos tubos na França:

Receba nossas Notícias no seu Email

+Notícias