Publicidade:

VÍDEO: THE HERB & Michael Ho no Havaí pelas lentes de Jack Coleman

No surf, existem muitas lendas. Alguns já se foram deste plano, outros estão por aqui

Os Fletchers estão ligados à progressão do surf mundial, ao longo de quatro gerações.

Começou com a contribuição de Herbie Fletcher, hoje com 71 anos, que elevou o surf de ondas grandes para grandes voos. E continua com a última contribuição do seu filho Nathan.

+ Show de tubos em Ubatuba
+ A respiração revolucionará sua vida. Entenda e pratique
+ Fortes chuvas colocam Havaí em estado de emergência 

Esta família tem influenciado múltiplas gerações de surfistas, estando sempre na frente do surf moderno.

Herbie, lenda viva do surf, tem uma reputação irrepreensível ao longo de meio século de história. Possui vasto leque de habilidades, como designer de pranchas de surf, cinematografia, comércio de artigos de surf (como criador do “Astrodeck”), artista e claro, surfista de ondas grandes. Cresceu na Califórnia, e ainda muito novo decidiu que sua vida seria dedicada ao surf.

Constantemente a inovar, Herbie é responsável pelo movimento do longboard moderno nos anos 1970, e por apresentar ao mundo o surf de tow-in. Nos anos 1980, começou a registar numa câmera, ele e os seus amigos surfando, no que foi chamada a “revolução dos tubos”. Herbie editou essas gravações nas conhecidas séries “Wave Warriors”.

A sua filosofia de vida é: “Não pare. Não olhe para trás”.

Michael Ho nasceu em 1957, em San Mateo, Califórnia, filho de um ex-rapaz da praia de Waikiki, criado em Waimanalo, Oahu, e surfou pela primeira vez aos três anos.

Surfista profissional havaiano indestrutível de Sunset Beach, Oahu; 3º lugar no ranking mundial em 1978 e vencedor da Tríplice Coroa em 1983 e 1985; descrito pelo compatriota havaiano dinamarquês Kealoha como “o padrinho da costa norte”.

Ho se tornou um dos primeiros surfistas profissionais em tempo integral do Havaí e, em 1975, foi vice-campeão no Duke Kahanamoku Classic e no Pro Class Trials. Ho já estava sendo chamado de o melhor surfista de “posição” do mundo, o que significa que ele invariavelmente se colocava na seção mais crítica da onda usando de uma linha mais simples e limpa.

Ho teve bom desempenho em locais de turnês mundiais, mas nunca ganhou um evento do circuito profissional fora do Havaí. No North Shore, no entanto, ele foi uma força competitiva por mais de 25 anos: cinco vezes finalista do Pipeline Masters (vencendo em 1982, embora prejudicado por um gesso no pulso direito); finalista do Duke oito vezes (vencendo em 1978 e 1981); quatro vezes vencedor do Xcel Pro (1988, 1990, 1991 e 1996); duas vezes vencedor da Triple Crown (1983 e 1985); e competidor por quatro vezes no evento de ondas grandes Quiksilver in Memory of Eddie Aikau, em Waimea (terminando em quarto em 1990).

Em uma das conquistas competitivas mais notáveis ​​do surfe profissional, Ho foi vice-campeão no Pipeline Masters de 1997. Um dos pilares do Mundial Masters, evento anual para ex-profissionais com mais de 36 anos, Ho venceu o evento em 2000 e chegou às quartas de final do evento de 2011 no Brasil. Em 2012, Ho foi indicado para a Calçada da Fama do Surf em Huntington Beach.

Sem mais delongas, confira o vídeo dessas duas lendas vivas do surf em sessão recente no Havaí:



Receba nossas Notícias no seu Email

+Notícias