29 C
Papeete
sexta-feira, 14 junho, 2024
29 C
Papeete
sexta-feira, 14 junho, 2024

Johnny Cabianca, shaper de Medina, revela detalhes das pranchas do tricampeão

Johnny Cabianca, o mago que faz as pranchas de Gabriel Medina, revelou em recente entrevista ao The Inertia, alguns detalhes sobre os equipamentos que o tricampeão mundial já usou e tem usado.

Leia mais:

Shaper de Saquarema vende camiseta com garfo no logo da WSL

Ricardo Toledo pede calma à torcida brasileira em Saquarema

Sino conta a verdadeira história do início de Gabriel Medina

O shaper da Cabianca Surboards também cresceu em Maresias e fez a primeira prancha de Medina quando o surfista tinha apenas quatro anos. Em 2005, Cabianca se mudou para o País Basco para ‘shapear’ pela Pukas, mas a relação com Gabriel ainda continuou.

Quatro anos depois, quando o surfista tinha 14 anos, ele foi campeão (com louvor) do Grom Search, na França, ao tirar duas notas 10 na final. Naquele dia, o atual tricampeão mundial estava usando uma Cabianca shapeada a mão e a parceria deles perdurou durante toda a carreira. Desde 2015, o shaper abriu a sua própria empresa, a Cabianca Surboards, por onde eles seguem o trabalho com muita confiança.

Quiver das etapas

Johnny destacou o quiver do brasileiro para a etapa de El Salvador. “Fiz 10 pranchas para o Gabriel para a competição em El Salvador. Eu nunca tinha ido para lá, mas a informação era que era uma onda poderosa e longa, então todas as pranchas estavam entre 6’0” e 6’2”, e feitas para condições mais sólidas. Mas como as ondas estavam menores, ele só surfou de 6’0” o tempo todo.”, disse Johnny.

Gabriel Medina tem 1,80m de altura e pesa cerca de 77kg e as medidas das pranchas usadas em El Salvador também foram reveladas. “Ele levou seu modelo DFK, que tem um rocker mais curvo que seu outro modelo The Medina. As 6’0”s tinham 19 polegadas de largura, duas e 7/16 polegadas de espessura, com um volume de 29 litros.”

Para a etapa de Saquarema, que abre a janela nessa quinta-feira (23), o shaper também explicou como compôs o quiver do atleta. “Ele tinha tantas pranchas que sobraram daquela viagem à Indonésia que não foi preciso fazer mais pranchas maiores que 6’0”. Acabei de fazer outra 5’11” do modelo DFK. Elas tem as mesmas medidas das 6’0”, apenas com um volume um pouco menor de 28,5 litros”, explicou.

Mas afinal, quantas pranchas?

Se você, caro leitor, tem curiosidade em saber quantas pranchas o tricampeão mundial leva para cada etapa, então hoje é seu dia de sorte. Cabianca contou que, antes, fazia cerca de 10 pranchas por etapa, isto é, umas 100 pranchas por ano. No entanto, recentemente essa regra mudou. “Ele me disse que queria simplificar esse processo, porque não precisava de tantas pranchas. Fez sentido e foi um sinal de sua maturidade”, contou.

Além do quiver de pranchas, a pausa que Gabriel Medina deu na carreira também foi uma das pautas da entrevista. Segundo Cabianca, foi um momento importante para o amadurecimento do atleta. “Em El Salvador, ele estava com Italo, Filipe e Yago, e você podia sentir que ele estava muito mais aberto e relaxado com esses caras. Ele também é muito próximo de Jack Robinson. Jack ficou com Gabe no Brasil por algumas semanas e você pode ver o vínculo deles. O Gabriel amadureceu e por estar mais aberto a mais pessoas, acho que isso o deixou feliz. Ele parecia muito confortável”, contou.

Por fim, o shaper finalizou falando que o surfista segue evoluindo muito no seu surf e que ele está “tentando acompanhar e vendo onde ele [Medina] vai nos levar”.

 

 

Receba nossas Notícias no seu Email

Últimas Notícias