Griffin Colapinto narra uma pequena aventura para se aliviar, já dentro da água, antes do início de sua bateria no Quiksilver Pro

Por Redação HC

Tinha um velho conhecido do surf que gostava trocar a expressão “cagou no pau” pra “cagou no jon”, quando alguém fazia uma bobagem muito grande.

O californiano Griffin Colapinto quase transformou a expressão em realidade minutos antes de sua bateria de estreia no Quiksilver Pro, em Hossegor. Ele mesmo narrou sua pequena desventura na entrevista, depois de vencer Kanoa Igarashi e Soli Bailey.

Eu já estava na água, faltavam 10 minutos para a bateria começar. Eu tinha acabado de tomar um café e bateu uma vontade sinistra de fazer o número 2, mas estava com minha roupa 3´2… Remei até o outside, tirei a lycra, tirei a roupa de borracha, despejei as crianças e aí faltavam só dois minutos pra começar a bateria, coloquei a roupa de novo correndo, cheia de água dentro. Fiquei com medo de, quando levantar pra surfar alguma onda, aparecerem minhas pernas cheias de água.

 

Ver essa foto no Instagram

 

#2 reason we love @griffin_cola.

Uma publicação compartilhada por Stab Magazine (@stab) em

No final, deu tudo certo. Nesse caso, Griffin conseguiu surfar mais leve e vencer sua bateria.

Você, amigo surfista, com certeza já viveu alguma experiência parecida. Ou não? Quer contar pra gente como foi? Fica à vontade.

Veja também:
Gabriel Medina vence bateria de estreia no Quiksilver Pro
Filipe Toledo vence, mas deixa bateria com dor nas costas