Publicidade:

Gabriel Medina concede primeira entrevista sobre sua volta às competições

Após a conquista do tricampeonato mundial, Gabriel Medina optou por se afastar das primeiras competições do ano para cuidar da saúde mental. Agora, ele quebrou o silêncio e concedeu a primeira entrevista para o Esporte Espetacular sobre o seu retorno ao mundial. O vídeo foi ao ar no youtube na última segunda-feira, 25.

Veja também:

Rodrigo Koxa critíca a grande mídia e medições de possíveis recordes de onda surfada

Big rider Alex Botelho processa WSL depois de quase morrer afogado em Nazaré

Kelly Slater e mais 38 surfistas do CT inscritos no Challenger Series Snapper Rocks

Apesar do sucesso profissional em 2021, o surfista passou por diversos desafios, como o rompimento com o seu técnico e pai de criação Charlão, além de briga com a mãe. Por fim, no começo do ano, Medina também se separou da modelo Yasmin Brunet.

“Este tempo [afastado] me fez bem”, conta ele na entrevista. “Isso não é um segredo, é até um assunto interessante falar de saúde mental. Eu tive uma depressão, comecei a tratar com um psicólogo. Foi uma experiência muito louca porque eu nunca me imaginei nesse lugar, é assustador, as coisas param de fazer sentido para você”, finaliza.

Ao ser questionado sobre as razões que o levaram a depressão, Medina afirmou que não sabe exatamente o que levou a esse estado, mas pontuou que a briga com a família foi um dos fatores.

“Eu comecei [a competir] muito cedo, com 14 anos eu já tinha um patrocinador, já ganhava um salário e sempre tive uma gestão familiar, mas cheguei a um ponto em que precisava de profissionalizar a minha vida, queria estar mais incluído nas decisões. E somos humanos, cada um tem uma opinião, um jeito de pensar, faz parte. Não tenho falado muito com eles, espero que esteja tudo bem. O meu sonho é estarmos em harmonia e isso um dia vai acontecer”, falou.

Além disso, ele também confirmou que o rompimento com Yasmin foi um dos pontos desafiadores que acabou influenciando no seu quadro. “O fim do meu relacionamento foi uma consequência”, conta ele. “Não tem como você finalizar uma relação sozinho. Era algo que a gente sempre conversava, tinha diálogo e a gente chegou em um ponto que não estava mais funcionando, nem para mim e nem para pessoa que eu estava. A gente acabou decidindo isso. Acho que é normal, acho que todo mundo passa por situações assim, não seria diferente comigo. Mas foi bom. Na verdade, deu certo. Durante um tempo, aprendi bastante, vivi coisas incríveis e foi isso”, finalizou.

No entanto, segundo o surfista, apesar da conquista do tricampeonato, o ano passado foi um dos mais desafiadores no quesito pessoal. Na entrevista, Gabriel revelou que chegou a entrar chorando em algumas baterias do CT (Championship Tour) 2021, apesar de nunca ter mencionado publicamente nada sobre o assunto. “Eu tava bem triste, queria focar no meu trabalho e fico feliz por ter sido recompensado com o meu terceiro título mundial, mas não foi fácil”.

A volta de Gabriel Medina

Gabriel Medina estará de volta ao mundial a partir da etapa de G-Land, graças aos wildcards concedidos pela WSL.

O tricampeão sempre é um dos favoritos e leva muita vantagem, principalmente, em ondas tubulares como G-Land e Teahupoo. Dessa forma, apesar das dificuldades, ele ainda pode, inclusive, conseguir uma vaga na final e até alcançar o tetracampeonato.

“Eu quero vencer mais títulos mundiais, com certeza. Eu achei que ia parar no três, mas quero buscar mais e to animado e motivado. E eu acredito que to entrando no melhor momento da minha vida, tanto profissionalmente quanto pessoal”, revela ele. “[Também vou] aproveitar esse dom que Deus me deu que é surfar e quero deixar um legado. É isso que faz sentido para mim”, finaliza.

Aperte play e assista a entrevista sobre a volta de Medina após os seus desafios pessoais:

 

Receba nossas Notícias no seu Email

+Notícias