26 C
Papeete
sábado, 20 julho, 2024
26 C
Papeete
sábado, 20 julho, 2024

Gabriel Klaussner é o campeão no ranking final do Circuito Banco do Brasil de Surfe

O ubatubense Gabriel Klaussner é o campeão no ranking das três etapas do Circuito Banco do Brasil de Surfe, válidas pelo World Surf League (WSL) Qualifying Series. Ele e Silvana Lima, campeã do ranking feminino, foram premiados com convites para participar do único Challenger Series na América Latina esse ano, o Corona Saquarema Pro apresentado pelo Banco do Brasil, que será realizado nos dias 1 a 8 de novembro na Praia de Itaúna, em Saquarema.

+ Gatien Delahaye e Yolanda Hopkins vencem o Rip Curl Pro Anglet 2022

+ Matheus Navarro bate todos os recordes do Circuito Banco do Brasil de Surfe em Ubatuba

+ Kilian Jornet quebra recorde do curso UTMB, canadense Mathieu Blanchard fica em segundo

O grande nome do surfe feminino brasileiro em todos os tempos, Silvana Lima, garantiu o primeiro lugar no ranking do Circuito Banco do Brasil na quinta-feira, quando passou para a segunda fase desta última etapa em Ubatuba. Já Gabriel Klaussner, tirou a liderança do ranking do catarinense Heitor Mueller na sexta-feira, mas ainda era ameaçado por três surfistas. Ele precisava passar mais uma bateria no sábado e conseguiu achar boas ondas em Itamambuca, para fazer o maior placar do dia, 14,20 pontos, somando notas 8,00 e 6,20.

“Agora sim consegui mostrar um pouco do que eu sei fazer e estou muito feliz com meu primeiro título na WSL como profissional”, disse Gabriel Klaussner. “A primeira bateria de QS que eu passei na minha vida, foi na primeira etapa do Circuito Banco do Brasil, no mesmo dia do meu aniversário lá na Ferrugem (Garopaba-SC). E três etapas depois, consigo meu primeiro título”. Ele também falou sobre a expectativa de competir no Challenger Series de Saquarema: “Eu confio muito no meu surfe e vou dar meu máximo lá em Saquarema”.

O Circuito Banco do Brasil de Surfe estreou esse ano com o conceito de descobrir novos talentos nas três regiões do país. A meta foi atingida e um deles é o campeão Gabriel Klaussner, de apenas 17 anos de idade. Na primeira etapa em Santa Catarina, ele ficou em quinto lugar perdendo nas quartas de final na Praia da Ferrugem, em Garopaba. Na segunda, foi até as semifinais na Praia de Stella Maris, em Salvador, na Bahia. Em Ubatuba, terminou em 13.o lugar, que foi suficiente para garantir a primeira posição no ranking.

Ele e o experiente Wiggolly Dantas, eram as últimas esperanças de algum surfista de Ubatuba se classificar para o domingo decisivo do Circuito Banco do Brasil de Surfe. Mas, acabaram perdendo a batalha pelas duas últimas vagas para as quartas de final, para os catarinenses Lucas Vicente e Alejo Muniz. Gabriel Klaussner ficou em último na bateria com o campeão mundial Pro Junior da WSL em 2019 e os ex-tops da elite do CT, Alejo e Wiggolly.

“Estou feliz demais, porque eu sabia que ia ser uma bateria superdifícil”, destacou Lucas Vicente, após a vitória. “Eu já competi com o Alejo (Muniz) duas vezes. Ele me ganhou na Argentina, eu ganhei dele na Praia do Santinho (Florianópolis-SC) e o Guigui (Wiggolly Dantas) e o Gabriel (Klaussner) também surfam demais. O mar estava difícil, mas eu estava confiante e achei umas esquerdinhas boas para vencer. Estou amarradão e meu objetivo aqui é ganhar o campeonato, para entrar na corrida pelas vagas para o Challenger Series”.

QUARTAS DE FINAL

Lucas Vicente vai disputar a última quarta de final com o paulista de São Sebastião, Murillo Coura. Já Alejo Muniz, que está em quinto lugar no ranking do Challenger Series 2022, dentro do grupo dos dez que se classificarão para a elite do World Surf League Championship Tour de 2023, fará um duelo catarinense com Lucas Rosario. Na chave de cima das quartas de final, que vai apontar o primeiro finalista do Circuito Banco do Brasil de Surfe em Ubatuba, tem mais três surfistas do litoral paulista.

Na bateria que vai abrir o domingo decisivo, às 8h00 na Praia de Itamambuca, está um local da Praia de Maresias, em São Sebastião, Eric Bahia, contra o argentino José Gundesen, que vem competindo desde a primeira fase do campeonato, iniciado na quinta-feira. Já o segundo duelo será entre o guarujaense Gabriel André e outro representante de São Sebastião, Igor Moraes. Estes dois farão um confronto direto por vaga entre os oito primeiros colocados no ranking regional da WSL Latin America, que se classificarão para o Challenger Series de 2023.

SEMIFINAIS FEMININAS

Nas últimas semifinais femininas do Circuito Banco do Brasil de Surfe em 2022, que serão iniciadas as 9h40 no domingo, logo após as quartas de final masculinas, a campeã Silvana Lima é a única brasileira entre as classificadas. Ela vai disputar a segunda vaga para a grande final com Melanie Giunta. Na primeira bateria, a também peruana Daniella Rosas enfrenta a australiana Sophie Fletcher.

Daniella Rosas ganhou da brasileira Laura Raupp uma bateria fraca de ondas na Praia de Itamambuca, que ficou lotada no sábado para assistir uma etapa da World Surf League que não acontecia em Ubatuba desde 2011. Na segunda quarta de final, a australiana Sophie Fletcher derrotou a última surfista da cidade, Kiany Cristina. Depois, teve um duelo peruano e um brasileiro para definir as últimas classificadas para o domingo.

Na bateria entre Melanie Giunta e Arena Rodriguez Vargas, entraram mais ondas boas para as duas mostrarem o seu surfe. A disputa foi definida por uma pequena diferença de 11,27 a 11,14 pontos. Depois, as condições ficaram difíceis de novo no confronto cearense entre as duas surfistas patrocinadas pelo BB Asset, carteira de investimentos do Banco do Brasil, com Silvana Lima derrotando Juliana dos Santos por 9,07 a 6,40 pontos.

“Graças a Deus, já estou há mais de 20 dias sem sentir dores no joelho. Esse é o terceiro evento que estou competindo sem dores, então estou superfeliz por isso”, disse Silvana Lima, que já teve que fazer cirurgia nos dois joelhos. “A gente está amarradona que voltou a ter mais campeonatos no Brasil, para vivermos esse sonho novamente. A nova geração está vindo aí com tudo e estou feliz por ainda estar aqui, firme e forte, com 37 anos, me classificando mais uma vez para as semifinais. Só tenho que agradecer a Deus, por continuar vivendo isso”.

“Investir no surf é remar junto” é o lema do Circuito Banco do Brasil de Surfe, que está sendo realizado com patrocínio do Banco do Brasil e BB Asset Management. Esta terceira e última etapa de 2022 é transmitida ao vivo pelo perfil da WSL Brasil no TikTok e pelo WorldSurfLeague.com. Notícias do evento podem ser acessadas no www.wsllatinamerica.com.

ATIVIDADES EXTRAS

Além da competição, o Circuito Banco do Brasil de Surfe promove várias atividades extras e o público que lotou a Praia de Itamambuca no sábado ensolarado, aproveitou todas as atrações. As crianças se divertiram no Espaço Kids, com oficinas de arte do artista Tom Veiga. Muita gente aproveitou também as aulas gratuitas de surfe, futevôlei, beach tenis, yoga, além do “Beach Market”, com empresas clientes do Banco do Brasil apresentando seus produtos nos estandes montados na arena do evento.

Receba nossas Notícias no seu Email

Últimas Notícias