30 C
Papeete
terça-feira, 21 maio, 2024
30 C
Papeete
terça-feira, 21 maio, 2024

Conheça a onda de Pipeline, palco da 1ª etapa do Mundial de surf

A onda de Pipeline, palco da primeira etapa do circuito mundial de surf, que começa na próxima semana, é sem sombra de dúvidas a mais admirada e temida do mundo.

Pipeline é chamada de a “Rainha da Costa Norte de Oahu”, uma das ilhas do Havaí, arquipélago localizado no meio do oceano pacífico e certamente faz jus ao título.

Oahu recebe as mais poderosas ondulações geradas no hemisfério norte durante os meses de inverno, com o desenvolvimento de fortes tempestades frontais, geralmente direcionadas ao Leste.

A costa norte da ilha, onde está localizada a onda de Pipeline, recebe a maioria dessas ondulações, principalmente aquelas de quadrante Noroeste, consideradas as mais fortes.

+ Grupo Globo transmitirá o Brasileiro de Surfe 

+ Quem é Luke Shepardson, o campeão do Eddie Aikau?

+ Cortes Bank épico [VÍDEO]

Essa poderosa ondulação, viaja livre por quilômetros de mar aberto, sem encontrar nenhum tipo de barreia até chegar à costa norte de Oahu. Pouco antes de atingir a praia, encontra três rasas bancadas de coral. É do encontro abrupto da energia desse swell com os corais que Pipeline se apresenta.

As três bancadas da onda de Pipeline

Onda de Pipeline
Somente em raras ocasiões quebram ondas na terceira bancada de Pipeline. Foto: Reprodução

A primeira bancada está localizada a cerca de 45-50 metros da costa. É a mais rasa e perigosa, e também a mais comum. A velocidade da onda quando atinge a bancada gera o tubo que dá nome ao pico: “Pipeline” (do inglês, cano longo, tubulação).

Depois temos a segunda bancada, a cerca de 75-100 metros, que funciona apenas quando a ondulação atinge os 10-12 pés. Com o mar maior, esta bancada permite que os surfistas entrem nas ondas mais cedo, fugindo ao drop rápido e vertical da primeira bancada.

Já a terceira bancada fica a 200-300 metros da costa, e só aparece em condições de mar extrema. É uma onda raríssima e pouquíssimas vezes surfada.

Uma onda linda e cativante, mas ao mesmo tempo feroz e letal. Não por acaso, Pipeline registra o sinistro recorde de onda com o maior número de acidentes graves e óbitos entre surfistas, ao mesmo tempo em que seduz com seus tubos enormes e beleza hipnotizante.

Oito campeões mundiais
Atual campeão mundial, brasileiro Filipe Toledo mostra evolução nas ondas de Pipeline. Foto: Brent Bielmann/ World Surf League

A onda é também bastante temperamental e nem sempre funciona de forma clássica. A condição ideal para Pipeline é a direção de Oeste / Noroeste e Noroeste, com período longo a mediano, por volta de 330 graus.

Essa mesma onda, quando quebra para o lado direito recebe o nome de Backdoor e funciona melhor ondulações de direção Noroeste com Norte / Noroeste, de 315 a 330 graus.

Mesmo localizada no berço do surf mundial, o Havaí, Pipeline só começou a ser surfada no início dos anos 1960. Antes, era considerada uma onda “impossível”, por conta de sua força e tubos largos. Somente quando a tecnologia de materiais e hidrodinâmica das pranchas permitiu a execução de curvas mais rápidas na execução de manobras, é que os primeiros surfistas começaram a se aventurar por lá.

Pipeline é das ondas mais desafiadoras ondas do mundo, que mede a coragem, a técnica e a capacidade instintiva de todo surfista.

No vídeo abaixo, produzido pelo site de previsões Surfline, uma explicação detalhada sobre o funcionamento de Pipeline:

Receba nossas Notícias no seu Email

Últimas Notícias