Publicidade:

Como manter sua dieta vegana em uma viagem

Realizar uma viagem com uma dieta vegana pode parecer assustador, mas acredite, é possível mantê-la com facilidade.

Leia também: 
+ Dicas de alimentos veganos para sua lista de supermercado
+ 7 dicas para surfistas vegetarianos
+ 5 reconhecidos surfistas veganos

A seguir, o correspondente da Outside Online, Nick Davidson, compartilha com suas palavras seu relato de uma longa aventura do Novo México até o Alasca, e de como conseguiu manter o veganismo em ação durante a trip.

No verão de 2013, apenas alguns meses depois de se tornar vegano, embarquei em uma longa viagem de Santa Fé, no Novo México, para o Alasca e além. Eu mal tinha ouvido falar de veganismo antes de me tornar um. E como é de se imaginar, a maioria das pessoas ao longo do caminho sabia ainda menos. Numa pizzaria em Anchorage, no Alasca, quando pedi uma pizza sem queijo, o garçom ficou parado, espantando e pensando como eu poderia consumir tal refeição.

Nos anos seguintes, minhas viagens ficaram mais fáceis de mensurar e as opções alimentares mais diversificadas. No entanto, ainda existem desafios, como as barreiras linguísticas, e a contínua falta de compreensão do que a dieta realmente implica. Mas não pense que você tem que ficar de olho em mecas veganas como Bali, Cingapura, Tel Aviv ou Portland. “Eu escolho meus destinos apenas para onde quero ir”, diz Amanda Burger, do blog vegano Burger Abroad. “Você pode facilmente encontrar comida vegana em qualquer lugar do mundo.”

Aqui estão algumas dicas e truques que aprendi com outros aventureiros para manter a dieta vegana durante a viagem:

Há um aplicativo para isso

A versão beta é surpreendentemente fácil de encontrar, graças a uma série de aplicativos voltados para a comunidade vegana. A HappyCow orientará você para os melhores restaurantes em mais de 180 países, com avaliações e fotos para que você saiba o que esperar. Há também opções gratuitas, como goVegn (iOS), PlantEaters(iOS) ou Vegman (iOS).

“O mundo está cheio de deliciosas frutas frescas e legumes, grãos, sementes, nozes, legumes e carnes à base de plantas”, diz Amanda. “E há tantas criações deliciosas inventadas por chefs habilidosos e apaixonados que estão esperando para serem devoradas.”

Aprenda a falar vegan

“Quando estava em Manaslu, no Himalaia nepalês, os cozinheiros do acampamento sempre me davam canela”, diz o montanhista Kuntal Joisher, que em maio fez o primeiro cume totalmente vegano do Lhotse, a quarta montanha mais alta do mundo. “Eu confiei que eles eram veganos e no terceiro dia eu os vi quebrando ovos na massa. Então, eu os ensinei e os ajudei a veganizar todo o seu cardápio.”

Veganagogo ajudará você a superar as barreiras da língua, traduzindo as principais frases veganas em 50 idiomas. Também inclui recursos visuais de animais e seus produtos com linhas através deles.

Cozinhar seu próprio alimento

Isso pode exigir mais esforço, planejamento e tempo, mas fazer a sua comida significa que você não ficará limitado a cardápios de restaurantes enquanto viaja. “Mercearias são suas melhores amigas”, diz o vegano Scott Jurek, autor de Eat and Run. Ele é fã de ficar em hostels com cozinhas comunitárias, onde suas opções são limitadas apenas pela sua criatividade e pelo número de bocas dos fogão que pode usar no momento.

“Algo simples como um curry com grão-de-bico é uma ótima maneira de interagir com as pessoas e compartilhar o estilo de vida.” Experimente o curry de grão-de-bico, a couve-flor e outras receitas de um vaso do Veganomicon.

Seja aventureiro

Não deixe sua dieta vegana sequestrar sua experiência de viagem. “Porque eu estava disposta a tentar algo novo que no papel parecia muito sombrio”, diz Scott , “Existe comidaa que nunca tinha ouvido falar, mas que são totalmente vegana”. Mesmo se Scott achar que ele não pode comer em um restaurante, ele vai de qualquer maneira porque gosta de aprender sobre novas culturas. “Eu quero falar com as pessoas e entendê-las.”

Embale sua comida

No chão ou no ar, mantenha sempre alguns petiscos à mão. A comida da companhia aérea é melhor e mais inclusiva do que nunca, mas algumas opções de refeição permanecem desanimadoras. Em vôos internacionais, Scott embala os bares veganos da Builder e proteínas em pó à base de vegetais que ele sabe combinar bem com a água. Uma dica do Scott: Um burrito vegano congelado vai derreter e estará pronto para comer na temperatura ambiente após o segundo filme do seu voo internacional.


Receba nossas Notícias no seu Email

+Notícias