Publicidade:

Mundial de Longboard: Chloé Calmon faz o melhor resultado entre os brasileiros

A carioca Chloé Calmon foi quem fez a melhor campanha entre os brasileiros que competiram na primeira etapa do Mundial de Longboard, o Surf Ranch Classic, encerrado na quarta-feira (29) nas ondas artificiais do do Surf Ranch, em Lemoore, na Califórnia.

Chloé não conseguiu repetir a boa atuação do dia de abertura encerrou sua participação com a sexta colocação.

No entanto, a brasileira quase conseguiu virar o jogo, precisando de 6,24 na esquerda para entrar no grupo das quatro finalistas, mas caiu logo no início da onda dando adeus à disputa com 12,47 pontos. Ficou bem perto de avançar, pois, a francesa Alice Lemoigne se classificou com 12,90 pontos. Por fim, a brasileira marcou 5.000 pontos no Surf Ranch e agora ocupa a quinta colocada no ranking mundial.

Leia também:

+ Títulos mundiais de Longboard serão definidos na Califórnia

+ US Open: Lucas Silveira termina em 5º em Huntington Beach

Entre os homens, apenas três brasileiros competiram no Surf Ranch Classic: Augusto Olinto, Rodrigo Sphaier e Jefson Silva.

O bicampeão mundial Phil Rajzman teve problemas com o visto de entrada nos Estados Unidos e agora corre contra o tempo para conseguir participar do Malibu Classic, que fecha o WSL Longboard Tour 2021 na próxima semana em Malibu Beach.

Augusto Olinto, que foi semifinalista em 2020 na Austrália, terminou na penúltima posição. O vice-campeão mundial de 2019, Rodrigo Sphaier, ficou na 15.a e Jefson Silva na 14.a. Os dois não tinham participado da etapa da Austrália e marcaram 3.500 pontos no ranking no Surf Ranch Classic.

Já o título da etapa ficou com a bicampeã mundial Honolua Blomfield (HAV) e o francês Edouard Delpero.

Chloé Calmon mundial de longboard
Os campeões Edouard Delpero e Honolua Blomfield. Foto: WSL / Grant Ellis

Honolua sacramentou a vitória com a única nota 10 da primeira etapa do World Surf League Longboard Tour no Surf Ranch.

Foi uma vitória surpreendente pois norte-americana Soleil Errico vinha sendo o destaque do evento. Soleil foi a melhor da primeira fase com 15,57 pontos, com Chloe Calmon ficando em segundo com 13,46. Na semifinal, ganhou uma nota 9,03 e totalizou 16,23 pontos, ficando em primeiro lugar novamente.

Mas, na decisão do título, Honolua Blomfield surfou uma esquerda de forma espetacular, fazendo as manobras clássicas no bico do pranchão e se entocando nos tubos para ganhar a única nota 10 da competição. A havaiana somou o 10 com o 8,50 da segunda direita que surfou, para superar Soleil Errico por 18,50 a 16,47 pontos. A francesa Alice Lemoigne ficou em terceiro com 13,10 e outra norte-americana, Avalon Gall, em quarto com 12,34.

Chloé Calmon mundial de longboard
Edouard Delpero. Foto: Thomas Lodin/World Surf League

Na categoria masculina, Justin Quintal também foi o melhor no Qualifying, na semifinal e falhou na decisão do título. O atual campeão mundial venceu a semifinal por 18,07 pontos, somando notas 9,27 na direita e 8,80 na esquerda, mas acabou caindo nas duas direitas da final.

O norte-americano acabou em quarto lugar e o francês Edouard Delpero faturou o título com as notas 8,33 e 7,67 das primeiras ondas que surfou na final. Com os 16,00 pontos, superou os 14,30 do australiano Harrison Roach, os 10,76 do havaiano Kai Sallas e os apenas 8,67 do norte-americano Justin Quintal.

O ranking que define os títulos mundiais da temporada, computará os resultados destas duas etapas da Califórnia e da única em 2020, o Noosa Longboard Open na Austrália.

A última e decisiva etapa do Mundial de Longboard, Malibu Classic, terá janela aberta entre 3 e 13 de outubro, em Malibu, Califórnia.

Receba nossas Notícias no seu Email

+Notícias