Publicidade:

Títulos mundiais de Longboard serão definidos na Califórnia

A World Surf League confirmou dois eventos para definir os títulos mundiais de Longboard que serão realizados na Califórnia (EUA). Será o retorno da modalidade após a etapa de Noosa, na Austrália, em fevereiro de 2020, antes do cancelamento das competições devido ao Covid-19.

O Cuervo Surf Ranch Classic acontecerá no dia 29 de setembro no WSL Surf Ranch e o Jeep Malibu Classic apresentado pelas Havaianas, será realizado entre 3 e 13 de outubro em Malibu Beach.

O Cuervo Surf Ranch Classic vai promover a primeira competição de longboard nas ondas artificiais do WSL Surf Ranch, construído por Kelly Slater em Lemoore, no interior da Califórnia.

Depois, os melhores surfistas de pranchões do mundo se enfrentam no oceano, com o Jeep Malibu Classic apresentado pelas Havaianas marcando a estreia do WSL Longboard Tour no icônico pico de First Point. Os pontos destes dois eventos, serão somados ao do Noosa Longboard Open 2020 na Austrália, para definir os campeões mundiais de 2021.

Leia também:

+ 4 brasileiros na inédita final do CT da WSL; entenda o formato

+ “Vc tá extremamente gorda”: Surfista denuncia preconceito em rede social

+ Inglaterra declara guerra a bodyboards fabricados na China

As duas etapas da Califórnia serão disputadas por 18 mulheres e 18 homens, selecionados pelos rankings de 2019 e 2020. Cinco surfistas do Brasil estão na lista. Na categoria feminina, a única é Chloe Calmon, terceira colocada na etapa de Noosa.

Na masculina, tem o campeão mundial de 2007 e 2016, Phil Rajzman, o vice-campeão de 2019, Rodrigo Sphaier, Jefson Silva e Augusto Olinto, que conseguiu o melhor resultado na Austrália, sétimo lugar. O peruano Lucas Garrido Lecca ficou em 13.o e completa o time sul-americano por ter sido o décimo colocado no ranking de 2019.

FORMATO DAS COMPETIÇÕES

Mundial de longboard california
Chloe Calmon na última competição em 2020 na Austrália. Foto: WSL / Thomas Bennett

No Surf Ranch, o formato da competição será igual ao utilizado nas etapas do CT realizadas na piscina. Cada um dos 18 homens e 18 mulheres, surfarão duas esquerdas e duas direitas. A maior nota da esquerda será somada com a maior da direita e os 8 que conseguirem as maiores pontuações, avançarão para as semifinais. Aí começa tudo do zero e os classificados voltam a surfar duas esquerdas e duas direitas, computando a maior nota surfando de frontside e de backside. Quem atingir as duas maiores pontuações, decidirão o título na grande final.

Em Malibu, serão seis rodadas em cada categoria para definir os campeões, em um formato igual ao das etapas do WSL Championship Tour no mar. Os 18 participantes são divididos em seis baterias de três surfistas na primeira fase. Os dois primeiros colocados em cada, avançam direto para a terceira fase, mas os que ficarem em último terão uma segunda chance de classificação nas duas baterias da repescagem.

Mundial de longboard california
Augusto Olinto foi o melhor brasileiro na Austrália. Foto: WSL / Thomas Bennett

Novamente, os dois primeiros colocados avançam, mas quem ficar em último nas baterias dessa segunda rodada, será eliminado em 17.o lugar. Na terceira fase, os duelos serão homem a homem, ou mulher a mulher, com os vencedores passando para as quartas de final, depois semifinais e para a grande final.

Nossos surfistas estão muito felizes por poderem vestir a lycra de competição novamente e pela oportunidade de finalizarem o circuito iniciado na Austrália no ano passado”, disse Devon Howard, diretor do WSL Longboard Tour. “O evento no Surf Ranch é garantido que terá ondas perfeitas durante todo o dia, então será um campo de batalha mais nivelado, com condições iguais para todos. E em Malibu, First Point é o melhor lugar possível para coroar os campeões mundiais de Longboard”.

Veja abaixo segue a relação dos 18 competidores da categoria masculina e as 18 da feminina. Caso haja cancelamentos por restrições de viagens internacionais ou qualquer outro motivo, serão chamados os próximos colocados do ranking. Após estas duas etapas na Califórnia, os surfistas que ficarem entre os 10 melhores em cada categoria, estarão classificados para o WSL Longboard Tour de 2022. Os que ficarem fora deste grupo, terão que conseguir suas vagas nos eventos promovidos pelos escritórios regionais.

CATEGORIA FEMININA: 

1.a em 2019: Honolua Blomfield (HAV)
2.a em 2019: Chloé Calmon (BRA)
3.a: Alice Lemoigne (FRA)
5.a: Lindsay Steinriede (EUA)
7.a: Tully White (AUS)
8.a: Kirra Seale (HAV)
8.a: Sally Cohen (HAV)
8.a: Zoe Grospiron (FRA)
11.a: Kaitlin Mikkelsen (EUA)
12.a: Soleil Errico (EUA)
13.a: Kelis Kaleopaa (HAV)
14.a: Ophelie Ah-Kouen (REU)
15.a: Mahina Akaka (HAV)
17.a: Natsumi Taoka (JPN)
19.a: Avalon Gall (EUA)
2.a em 2020: Sophia Culhane (HAV)
13.a em 2020: Haley Otto (HAV)
13.a em 2020: Keani Canullo (HAV)

CATEGORIA MASCULINA: 

1.o em 2019: Justin Quintal (EUA)
2.o em 2019: Rodrigo Sphaier (BRA)
3.o: Taylor Jensen (EUA)
4.o: Kaniela Stewart (HAV)
5.o: Kai Sallas (HAV)
6.o: Steven Sawyer (AFR)
7.o: Harrison Roach (AUS)
7.o: Tony Silvagni (EUA)
9.o: Ben Skinner (ING)
10.o: Lucas Garrido Lecca (PER)
10.o: Edouard Delpero (FRA)
12.o: Taka Inoue (JPN)
13.o: Cole Robbins (EUA)
15.o: Jefson Silva (BRA)
16.o: Phil Rajzman (BRA)
1.o em 2020: Joel Tudor (EUA)
2.o em 2020: Kevin Skvarna (EUA)
7.o em 2020: Augusto Olinto (BRA)

Receba nossas Notícias no seu Email

+Notícias