Publicidade:

Publicidade:

Publicidade:

Chloé Calmon e Carlos Bahia são campeões do Oi Longboard Pro



Chloé Calmon vence peruana Maria Fernanda Reyes e conquista título do circuito Sul-Americano; vitória em Maresias emociona o local Carlos Bahia

Por Redação HC, via João Carvalho/WSL América Latina

Quatro decisões Brasil x Peru fecharam as últimas etapas do Oi Pro Junior Series e do Oi Longboard Pro, neste domingo na Praia de Maresias, em São Sebastião, litoral norte de São Paulo. Nos pranchões, deu Brasil com a carioca Chloé Calmon derrotando Maria Fernanda Reyes na decisão do título sul-americano da WSL América Latina e o local de Maresias, Carlos Bahia se impondo na decisão sobre Piccolo Clemente — que, com o vice, chegou a seu quarto título no circuito.

Mas os peruanos igualaram o placar em 2 a 2 no Pro Junior, com as vitórias de Raul Rios sobre o paulista Eduardo Motta, que valia a liderança no ranking para o vencedor, e de Sol Aguirre no duelo de bicampeãs sul-americanas com a catarinense Tainá Hinckel.

Mas, teve decisão no domingo em Maresias, com Chloé Calmon ganhando de Maria Fernanda Reyes. como na primeira etapa do Oi Longboard Pro, para festejar o primeiro título sul-americano.

“Foi incrível ter duas etapas da WSL no Brasil esse ano. É muito legal ver toda a comunidade do longboard aqui e acho que a gente estava precisando desse apoio”, disse Chloé Calmon. “Todo mundo sai dessa temporada supermotivado para evoluir pro ano que vem e eu estou muito feliz em ter conquistado esse título em casa. Eu não tinha esse título ainda e competir em casa o ano inteiro, lá no Rio de Janeiro onde moro e aqui em Maresias também, foi uma sensação incrível. Só me dá mais motivação pra ir pra Taiwan, fechar o ano com chave de ouro lá”.

A final do longboard feminino foi a primeira a entrar no mar na Praia de Maresias e a peruana Maria Fernanda Reyes precisava vencer para provocar uma bateria extra para decidir o título sul-americano. Ela deu trabalho e ficou na frente quase toda a bateria, com notas 6,00 e 4,00 nas duas melhores ondas. Mas, Chloé Calmon correu atrás e pegou uma onda no último minuto, que abriu a parede para a carioca mostrar toda sua habilidade no pranchão, indo até o bico para fazer as manobras que valeram nota 7,00 e a vitória por 11,80 a 10,00 pontos.

Um dos seus objetivos para esse ano foi cumprido no domingo, sendo campeã sul-americana invicta. Agora, Chloé parte para Taiwan tentar um título inédito para o Brasil, ser campeã mundial de longboard feminino na World Surf League, na primeira semana de dezembro. Das três etapas disputadas, venceu duas e a havaiana Honolua Blomfield ganhou a outra, sendo sua principal concorrente na grande final do Mundial de Longboard em Taiwan.

https://www.instagram.com/p/B4sIzHSgpTB/

VITÓRIA EM CASA – No Longboard masculino, o local de Maresias, Carlos Bahia, levantou a torcida que vibrava a cada onda surfada. Desde a semifinal contra o bicampeão mundial Phil Rajzman, quando os dois deram um show para o público que compareceu na praia no domingo. Bahia tirou uma nota 9,0 para bater o carioca e depois enfrentou outro bicampeão mundial, Piccolo Clemente. O peruano confirmou o tetracampeonato sul-americano no sábado e os dois fizeram mais um duelo emocionante, com a liderança mudando a cada onda.

Piccolo Clemente largou na frente com nota 7,25, mas Carlos Bahia respondeu com 8,50 para assumir a ponta. As ondas estavam pequenas no último dia do Oi Longboard Pro, com as séries demorando a entrar em Maresias, mas algumas abriam paredes mais longas para eles fazerem as manobras clássicas dos pranchões, o hang ten ou hang five no bico. A batalha prosseguiu assim, com Piccolo ganhando um 7,75 para recuperar a liderança, mas Bahia ainda surfou uma no final que valeu nota 6,95, para vencer por 15,45 a 15,00 pontos.

“Quero agradecer a toda a galera local, minha família, minha esposa Vanessa, a minha filhota, meu pai, porque foi aqui onde eu comecei, onde eu conheci tudo”, disse Carlos Bahia, entre lágrimas depois de ser carregado até a arena do evento. “Eu fiquei dois anos sem participar do Circuito Mundial, mas foi aqui onde eu aprendi tudo e eu precisava de uma vitória assim, em casa, em um evento internacional da WSL. Isso era um sonho que eu tinha e eu sempre digo para nunca desacreditar dos seus sonhos. Ganhar de dois bicampeões mundiais na minha casa, é uma honra para mim. Será certamente uma vitória inesquecível”.

https://www.instagram.com/p/B4sghweh-rk/

Veja também:
Havaianas anuncia patrocínio a Tati Weston-Webb
Praia de Itamambuca pode se tornar reserva mundial de surf
Vídeo: Chumbo e outros big riders nas primeiras bombas do inverno em Nazaré

+Notícias

Vale a pena surfar em...

Sabemos que a alimentação adequada é fundamental para a saúde, e quando abordada no...

Foi a melhor sessão de...

Será que o sábado, 16/01, foi o dia da melhor sessão de tow in...

Lar Mar: Felipe Arias deixa...

Aos poucos a comunidade do surf paulista e amantes do lifestyle praiano em geral...

Fotógrafo fratura as costas durante...

O fotógrafo australiano Ryan Moss fraturou as costas enquanto registrava imagens do swell histórico...