27 C
Papeete
sábado, 13 julho, 2024
27 C
Papeete
sábado, 13 julho, 2024

CETESB aponta doze praias impróprias em Ubatuba, cidade natal do atual campeão mundial de surf

Na última semana, a comunidade de surfistas, bem como locais e turistas, foram surpreendidos pelo relatório da Companhia Ambiental do Estado de São Paulo (CETESB), que trouxe revelações impactantes sobre a balneabilidade das praias de Ubatuba durante o período de amostragem de 30 de julho a 27 de agosto. No total, 12 pontos da cidade estão impróprios para banho. São eles: Picinguaba, Itamambuca, Iperoig, Itaguá Av Leovegildo 1724, Félix, Rio Itamambuca, Perequê-Açu, Itaguá Av Leovegildo 240, Enseada, Perequê-Mirim, Lázaro e Praia Dura.

Leia mais:

+ A polêmica final do Dream Tour e o poder das redes

+ Critério de julgamento para o Rip Curl Finals valorizará o surf aéreo

+ Opinião | Caramba: 26 anos se passaram… e os olhares sob o surfe mudaram

O documento chocou ao classificar praias tradicionalmente consagradas para o surf, como Itamambuca e Félix, com bandeira vermelha, sinalizando condições impróprias para banho. Os picos, que são conhecidos não apenas por suas ondas, mas também por sua beleza natural, são verdadeiros refúgios de surfistas e pessoas em busca de maior contato com a natureza.

No entanto, o relatório da CETESB sinalizou uma mudança drástica nessa narrativa. Alguns fatores devem ter sido determinantes para a classificação negativa, incluindo a ausência de saneamento básico, o grande volume de chuvas, a poluição dos rios e o acúmulo de lixo. A situação compromete não apenas a qualidade da água, mas também as areias das praias, resultando em impactos na saúde dos frequentadores, sejam eles moradores, surfistas ou visitantes.

Além disso, a praia do Perequê-açu, que abriga a sede da Escola Municipal de Surf de Ubatuba, também recebeu bandeira vermelha e, consequentemente, as aulas foram suspensas. O resultado do relatório afeta não apenas os surfistas e banhistas, mas principalmente as crianças da rede pública de ensino que tinham nas aulas de surf uma oportunidade de conexão com o mar e com a cultura do surf.

A população de Ubatuba aguarda ansiosamente o próximo boletim da CETESB, que deve ser divulgado em breve. A esperança é que, com condições favoráveis, as aulas de surf na Escola Municipal do Perequê-Açu possam ser retomadas.

Outros esportes aquáticos, como a corrida de canoa, a prática caiçara e havaiana, além das saídas de barcos de passeio, também ficam comprometidos devido às condições desfavoráveis das águas em várias partes de Ubatuba.

Por outro lado, praias mais urbanizadas, como a Praia Grande, surpreenderam ao receber a classificação de própria para banho. Apesar da presença de prédios e um maior fluxo de pessoas, as condições da água permaneceram favoráveis. Outras praias do centro de Ubatuba também foram classificadas com bandeira verde, incluindo a Vermelha do Centro, que é conhecida por ter altas ondas, além de ser o berço do campeão mundial, Filipe Toledo.

O resultado do relatório é um sinal claro de que a situação das praias de Ubatuba está sob ameaça. É fundamental reconhecer a urgência de ações concretas para reverter essa preocupante situação. O saneamento básico, a gestão adequada de resíduos e a conscientização da população são passos cruciais para manter as águas costeiras limpas e seguras. Além disso, medidas eficazes por parte da prefeitura e de organizações ambientais são necessárias para garantir que os paraísos naturais de Ubatuba permaneçam intactos para as atuais e futuras gerações.

Confira relatório da CETESB aqui.

Receba nossas Notícias no seu Email

Últimas Notícias