25 C
Papeete
sábado, 13 julho, 2024
25 C
Papeete
sábado, 13 julho, 2024

A polêmica final do Dream Tour e o poder das redes

Um vídeo da final masculina do Dream Tour, o campeonato brasileiro de surf, entre Krystian Kymerson e Mateus Herdy compartilhado no Instagram está dando o que falar. A imagem, compartilhada pelo perfil @aosmidia_, é a da transmissão ao vivo do evento e mostra a mesma onda dividida pelos dois finalistas levantando questionamentos se houve ou não interferência.

Kymerson, que tem a preferência e está no pico entra na onda indo para esquerda, onde Herdy, um pouco mais afastado também rema até perceber que seu oponente vindo em sua direção. Ele então tenta desesperadamente sair, jogando a prancha para trás.

O ex-Top da WSL, Fábio Gouveia, que participava da transmissão, comenta que Mateus se arriscou muito ao remar naquela onda, mas que não chegou a atrapalhar Kymerson e que, portanto, não deveria ser computada uma interferência. Bruno Bocayuva, que também fazia comentários, concorda. Uma interferência chegou a ser computada contra Mateus Herdy, mas retirada logo em seguida.

Como as redes incentivam assuntos polêmicos e se retroalimentam disso, a postagem rapidamente ganhou centenas de comentários, a grande maioria criticando a decisão dos juízes da CBSurf em não marcarem interferência. Nomes de destaque do cenário nacional também deram suas opiniões:

Interferência clara! Sem discussões”, escreveu o ex campeão brasileiro de surf profissional e pai do atual nº1 do circuito mundial, Ricardo Toledo.

A regra é muito clara, interferência com certeza”, opinou o competidor do Challeger Series, Lucas Silveira. “Sou fã número um do Mateus Herdy, mas neste caso, foi interferência! Quando me perguntam porque parei de competir é por situações assim, juízes despreparados que acabam indo pela emoção! ”, desabafou Thiago Camarão.

O ex árbitro da WSL, Icaro Cavalheiro, também criticou a decisão dos juízes: “Interferência clara do camiseta preta sobre o camiseta vermelha. Com a remada excessiva e a subida na prancha pelo camiseta preta, a sessão quebra a frente do camiseta vermelha, aonde na imagem aberta fica claro de observar”, escreveu Icaro, em um longo comentário onde sustenta seus argumentos.

No Instagram da CBSurf muita gente também postou comentários criticando a entidade por não ter computado a interferência de Mateus Herdy, que acabou vencendo o campeonato, sobre Krystian Kymerson.

Mas se na web a coisa estava fervendo, na praia, durante a final o clima era outro. Não houve protestos e a torcida vibrou bastante durante toda a final. Para muita gente que estava acompanhando a bateria ao vivo, os dois não estavam tão próximos como aparentam as imagens da internet. E, de fato, ao longo da bateria e durante a premiação, nenhuma palavra sobre o ocorrido ou sensação de “revolta” no ar partindo do público ou dos competidores. Pelo contrário, ambos, Mateus e Krystian agradeceram a todos e não pouparam elogios um ao outro. Mais tarde, o também surfista profissional Messias Felix, publicou no Stories de sua conta do Instagram uma foto com os dois finalistas abraçados durante um after que rolou após o evento. Na legenda, a frase: “Enquanto vocês estão discutindo a gente está curtindo”.

polêmica final do dream tour
Mundo real x virtual: Fora da web, o clima era outro. Foto: Reprodução Instagram

Polêmicas à parte, possivelmente nunca haverá um consenso sobre se foi ou não caso de interferência. O único fato evidente é que as redes sociais são altamente inflamáveis e poderosas quando o assunto é reverberar assuntos polêmicos.

Receba nossas Notícias no seu Email

Últimas Notícias