Publicidade:

Bem-vindo, Oceano Antártico!

A National Geographic Society reconheceu oficialmente a existência do corpo de água ao redor da Antártica como um oceano separado: agora, a Terra possui cinco oceanos identificados, com a inclusão do Oceano Antártico. Essa é a primeira mudança do tipo desde 1915. Os outros oceanos do nosso planeta são Atlântico, Pacífico, Índico e Ártico.

De acordo com a entidade, seus cartógrafos decidiram que “a rápida corrente que circula Antártica mantém as águas distintas”, classificando cientificamente o local  com um oceano por si só. Um comitê de políticas de mapas vinha considerando a mudança há anos, e rastreando o Oceano Antártico, que passa a ser “o único oceano a ser definido por sua corrente, ao invés dos continentes que o cercam”, publicou a revista National Geographic.

+ A origem e o futuro do big surf na África do Sul

+ Tudo sobre o surf nas Olimpíadas de Tóquio

+ Gabriel Medina pressiona COB para levar Yasmin Brunet a Tóquio

O World Wide Fund (WWF) também publicou nota informando que o Oceano Antártico é o mais jovem dos oceanos do mundo, formado quando a Antártica e a América do Sul se separaram há cerca de 30 milhões de anos.

“Poucos ambientes selvagens remanescentes da Terra são mais valiosos ou vulneráveis ​​do que a Antártica e o Oceano Antártico ao redor. O ambiente marinho oferece uma rica vida vegetal e animal, incluindo pinguins, focas, baleias e albatrozes.”, explica a WWF.

A decisão da National Geographic Society de classificar e reconhecer cinco oceanos na Terra, com a inclusão da Antártica, é emblemática e aconteceu em 8 de junho, Dia Mundial dos Oceanos.  A data tornou-se oficial no calendário da Organização das Nações Unidas (ONU) e foi criada com o objetivo de relembrar a importância dos oceanos para o equilíbrio da vida no planeta, chamando a atenção para questões cruciais como a despoluição e a proteção da vida marinha.

A organização declarou o período entre 2021 e 2030 como a Década da ONU da Ciência dos Oceanos para o Desenvolvimento Sustentável. A meta é mobilizar cientistas, políticos, empresas e sociedade civil para a pesquisa e inovação.


Receba nossas Notícias no seu Email

+Notícias