Publicidade:

Backdoor Shootout: dia 3 incrível com tubo enorme de Bethany Hamilton

Há uma semana teve início a edição 2022 do Backdoor Shootout, competição em Pipeline que conta com surfistas convidados, homenageia Duke Kahanamoku e traz o surf em diferentes formas, desde pranchinha até o stand up paddle.

Veja também:

John John Florence dispara no ranking da Tríplice Coroa

Tony Laureano: Foco em Nazaré

Moana Jones fala como contribui na continuidade da cultura do surf

O formato do evento é bem diferente do habitual. Além de não haver competição direta entre competidores e sim disputa entre equipes, a melhor parte é que o Backdoor Shootout só vai para a água em condições clássicas de surf.

São oito equipes no total que tem o direito de surfar livremente durante sua apresentação. Depois são feitas as somatórias (a nota máxima de uma onda é 12 pontos) e, no final do evento, define-se o grupo campeão, além do melhor surfista.

Todos os dias “ON” do evento, foram espetaculares na Rainha do North Shore e ontem (12), o terceiro dia, não foi diferente. As equipes foram para a água na seguinte ordem: Snapt4, Team Peru, Da Hui Wax, Team Florence, WSL Women’s, Volcom, Quiksilver e, por último, a Da Hui Japan.

Uma curiosidade sobre o evento é que esse ano é a primeira vez que uma equipe 100% feminina é convidada e a WSL Woman’s, que conta com Carissa Moore, Coco Ho, Malia Manuel e Moana Jones, deu show no seu terceiro dia.

A big rider Bethany Hamilton, que foi atacada por um tubarão e perdeu um braço, pegou um tubo enorme e mesmo sem sair arrancou uma nota 6. A jovem Moana Jones achou a saída de uma daquelas ondas perfeitas de Pipeline e tirou 6.5. Assista as imagens:

 

O Backdoor Shootout só precisa de mais um dia de evento para terminar.

Vale a pena ver Pipeline quebrando clássico no penúltimo dia de apresentação do evento. Aperte o play!

 

 

Receba nossas Notícias no seu Email

+Notícias