25 C
Papeete
terça-feira, 21 maio, 2024
25 C
Papeete
terça-feira, 21 maio, 2024

60% dos japoneses querem cancelamento dos Jogos Olímpicos

Uma pesquisa entre os japoneses a menos de três meses antes do início dos Jogos Olímpicos descobriu que quase 60% da população do Japão quer que as Olimpíadas de Tóquio sejam canceladas.

A pesquisa, conduzida entre 7 e 9 de maio pelo conservador Yomiuri Shimbun, mostrou que 59% queriam o cancelamento dos Jogos, contra 39% que disseram que eles deveriam ser realizados. O “adiamento” – opção descartada pelo COI – não foi oferecido como opção.

Leia também: 
+ Entenda o formato da competição de surf nos Jogos Olímpicos
+ Surf nas Olimpíadas de Paris em 2024 será em Teahupoo
+ Entrevista Fernando Aguerre: O surf nas Olimpíadas

Dos que disseram que as Olimpíadas deveriam continuar, 23% disseram que elas deveriam acontecer sem espectadores. Os espectadores estrangeiros foram proibidos, mas a decisão final sobre o público doméstico será tomada em junho.

O Japão luta para conter o aumento nos casos de Covid-19 alimentados por novas variantes mais contagiosas e estendeu o estado de emergência em Tóquio e em várias outras regiões até o final de maio, ao passo que a equipe médica alerta que os serviços de saúde em algumas áreas funcionam à beira do colapso.

As Olimpíadas, que sofreram atraso de um ano por conta da pandemia, estão programadas para começar em 23 de julho – clique aqui e confira a programação completa do surf nos Jogos Olímpicos de Tóquio.

O Comitê Olímpico Internacional (COI) e os organizadores insistem que medidas serão tomadas para garantir a segurança dos atletas e demais visitantes.

Outra pesquisa conduzida no fim de semana pelo TBS News descobriu que 65% queriam os Jogos Olímpicos cancelados ou adiados novamente, com 37% votando para descartar o evento e 28% pedindo outro adiamento.

O vice-presidente do COI, John Coates, disse no sábado que embora o sentimento japonês sobre os Jogos “fosse uma preocupação”, ele não podia prever nenhum cenário em que a extravagância esportiva não aconteceria.

Na segunda-feira, o primeiro-ministro do Japão, Yoshihide Suga, disse que o COI teria a palavra final, insistindo que seu governo não priorizou os Jogos em detrimento da saúde pública.

Questionado em uma reunião do comitê parlamentar se os Jogos continuarão mesmo se as infecções por Covid-19 aumentarem, Suga respondeu: “Nunca coloquei as Olimpíadas em primeiro lugar”.

“Minha prioridade tem sido proteger a vida e a saúde da população japonesa. Devemos primeiro prevenir a propagação do vírus,” acrescentou Suga.

Uma visita do presidente do COI, Thomas Bach, ao Japão, originalmente prevista para ocorrer na próxima semana, está sendo organizada para junho, informou a Fuji News Network na segunda-feira, 10/5.

Embora nenhum atleta de destaque tenha se oposto publicamente aos Jogos neste verão, a estrela do tênis japonesa Naomi Osaka disse que chegou a hora de discutir os méritos de realizar o evento no meio de uma pandemia.

“É claro que quero que as Olimpíadas aconteçam, mas acho que há muitas coisas importantes acontecendo, especialmente no ano passado”, disse ela em entrevista coletiva antes do Aberto da Itália.

“Muitas coisas inesperadas aconteceram. Para mim, sinto que está colocando as pessoas em risco… então definitivamente deveria ser uma discussão, o que eu acho que é agora. No final do dia, sou apenas um atleta, e há toda uma pandemia acontecendo, então, sim.”

Receba nossas Notícias no seu Email

Últimas Notícias