Publicidade:


Publicidade:

Surf nas Olimpíadas: entenda o formato da competição

O surf está nas Olimpíadas, quer você goste ou não.

Sua estreia Olímpica está prevista para julho de 2021 no Japão, entre os 33 esportes previstos.

Mas, afinal, quando e onde será realizada a competição? Qual o formato? E os critérios de julgamento?

+ Como vai ser o surf nas Olimpíadas
+ O que Italo Ferreira acha do surf nas Olimpíadas

Aqui está tudo o que você precisa saber sobre o formato do Surfe Olímpico na Tóquio 2020:

O formato

O evento reúne 20 atletas masculinos e 20 femininos competindo em três rounds, e três finais compostas de baterias de 30 minutos.

A primeira rodada conta com quatro atletas por bateria, enquanto a segunda rodada terá cinco. A partir da terceira rodada, a competição se transforma no formato de um contra um.

Durante as provas, cada surfista terá 30 minutos para pegar o máximo de ondas possível e receber uma pontuação de 0-10 para cada onda surfada. Entretanto, apenas as duas primeiras ondas de cada surfista são calculadas em sua pontuação final.

Devido à natureza do esporte, os surfistas são julgados com critérios ligeiramente diferentes dos outros atletas, de acordo com o que escreveu o Comitê Olímpico.

As ondas são pontuadas por um painel de juízes experientes usando um sistema de cinco pontos. Confira os critérios:

  • Compromisso e dificuldade: O fator mais importante e julga os tipos, grau de dificuldade e risco dos movimentos realizados. Além disso, como todas as ondas são diferentes, os atletas também são julgados pelo alto risco da onda que escolheram e pelo comprometimento do surfista em maximizar as oportunidades de pontuação potencial em cada onda.
  • Inovação e progressão: Além das manobras padrão em um repertório de surfistas, os juízes também vão pontuar aqueles que puxarem os limites do surfe moderno com movimentos progressivos, como variações aéreas ou deslizamento de rabeta.
  • Variedade: Embora a qualidade seja a mais importante, os juízes também estão atentos aos atletas que incorporam vários tipos diferentes de manobras na sua performance.
  • Combinação: Este ponto considera como um surfista pode conectar manobras de alta pontuação, como tubos, curvas e aéreos na mesma onda.
  • Velocidade, potência e fluxo: Este antigo mantra do surfe se refere ao estilo de um atleta em uma onda, mas também aos elementos técnicos sutis que separam os bons surfistas dos grandes. A capacidade de reagir às condições de mudança em uma onda e manter a velocidade adequada para realizar manobras de alta pontuação, a quantidade de potência que vai em cada movimento para que possa ser exibida no seu maior potencial, e um fluxo na forma como um surfista conecta cada movimento do início ao fim.Clique aqui e confira o calendário das competições de surf, que vai de 25 de julho a 1 de agosto.

Receba nossas Notícias no seu Email

+Notícias

Italo Ferreira e o aéreo...

Em seu pós-bateria, Italo Ferreira vai até o armário dos competidores, coloca sua prancha...

Treino na Jaguaruna em véspera...

A equipe dos Jaguaboys realizou mais uma expedição off-shore em busca das grandes ondas...

“Parei com carne vermelha e...

O Circuito Mundial de Surf de 2021 começou com muitas mudanças para Gabriel Medina. Como...

Possível ataque de tubarão em...

Um bodyboarder está desaparecido desde a semana passada na África do Sul e as...