Publicidade:

5 truques para lidar melhor com o sol de verão no surf

Esses últimos dias foram de muito calor na maior parte do Brasil. E apesar do verão não ser a melhor época para o surf na maioria do litoral brasileiro, é a estação do ano em que os surfistas ficam mais tempo expostos ao sol. Realmente, o clima dessa época é delicioso. O ponto forte para fazer com que as praias fiquem mais cheias durante esse período talvez seja o astral único de alegria, causado pelos dias mais quentes e mais longos que só essa estação proporciona.

Veja também:

+ Entenda a hipótese que pode explicar o maior avistamento de tubarões no Brasil recentemente

+ Guia Hardcore: Como lidar com as (perigosas) correntes de retorno

+ Praias do litoral norte quase ‘desertas’ para fugir de aglomerações em SP

Separamos, portanto, algumas dicas para que você continue aproveitando os raios de sol na água salgada, mesmo com condições menores de onda:

Horários alternativos

Uma das maiores questões que o surfista enfrenta durante a época mais queridinha dos brasileiros é justamente o excesso de crowd. Além disso, o sol dessa estação é realmente muito intenso e pode trazer prejuízos graves para a pele, como queimaduras, desidratação e maior risco de câncer de pele. Ao optar por surfar mais tempo cedinho ou no final da tarde, você une o útil ao agradável: pega onda com menos gente, tem menos chance de perder a sessão para o vento maral e ainda se preserva da exposição maléfica do excesso de sol. Ah! Isso sem contar que o visual dos horários alternativos é sempre mais bonito.

surf no nascer do sol
O visual do nascer do sol em uma sessão de surf zero hora – Foto: Shutterstock

Se hidrate MUITO!

O corpo humano é composto por cerca de 70% de água e os órgãos necessitam deste nutriente para manter o funcionamento regular. Sabe aquela história de se sentir fraco, cansado e com sono naqueles dias de muito calor? Então… Isso pode ser sintoma de desidratação. E fique esperto! A sede é um dos primeiros sinais de que o corpo está desidratando e ocorre quando a pessoa perde mais líquido do que ela ingere. Entre as sessões de surf não se esqueça de beber bastante água, porque mesmo dentro d’água a desidratação acontece. Outra boa sugestão é ingerir frutas com alta concentração de água e evitar refrigerantes e sucos industrializados.

Para se sentir mais bem disposto nos dias quentes, beba água – Foto: Shutterstock

Proteja os seus olhos!

Após um dia inteiro de sol e mar muitas pessoas se queixam de irritação nos olhos e mesmo quem não tem qualquer tipo de sintoma deve se atentar a esse cuidado. Isso porque, a concentração de sal da água do mar é diferente daquela presente nas lágrimas e, em casos sérios, pode causar até mesmo infecções. Além disso, os raios ultravioletas podem levar à queimadura da córnea e da retina, ou seja, o próprio sol oferece perigo aos olhos. Em caso de coceira, uma compressa de soro fisiológico gelado pode trazer alívio e diminuir na hora a vermelhidão. Para quem não tem qualquer tipo de sintoma, apenas lave o rosto e os olhos com água corrente. Essa simples atitude ajuda retirar a salina e as substâncias químicas que podem vir a irritar os olhos.

Não se esqueça de lavar o rosto e os olhos com água corrente depois da sessão de surf – Foto: Shutterstock

Não se esqueça do óbvio: o protetor solar

Sim, nós surfistas inevitavelmente passamos muito tempo de nossas vidas expostos ao sol. E por isso, é necessário prevenir os efeitos nocivos que a exposição solar traz. Mas fique tranquilo que tem sim como evitar esses malefícios. O ideal é aplicar o protetor solar 15 minutos antes de pegar sol e reaplicar a cada 2 horas. Além disso, tipos de pele diferentes podem exigir um fato de proteção diferente. Quem é mais branco, recomenda-se o fator de proteção 60; o surfista mais moreno pode usar o FPS 30 e para peles negras o FPS 15 já supre as necessidades. Não se esqueça de proteger também os pés, orelhas e lábios! Dentro da água, você também pode usar acessórios como boné e lycra, que é uma ótima alternativa, porque ela geralmente oferece proteção UV e elimina a necessidade de reaplicar o protetor a cada duas horas.

Lycra e protetor solar garantem a segurança da exposição solar – Foto: Shutterstock

Bônus: Quando for comprar parafina, lembre que existe opções ideais para diferentes temperaturas de água. Para o calor, a parafina ideal é mais firme e se você estiver usando uma de água fria, pode ser que ela fique parecendo chiclete quando entrar em contato com as altas temperaturas do verão. 

Bônus 2: Não deixe a sua queridinha prancha no sol e nem derretendo dentro do carro. Os raios solares, além de diminuírem a flexibilidade do equipamento, também podem gerar rachaduras, desbotar a pintura e amarelar a estrutura. E você não quer sua prancha com o bloco regredido, né?

 

 

Receba nossas Notícias no seu Email

+Notícias