Alex Ribeiro, que não foi beneficiado nem prejudicado pelo erro de prioridade e havia vencido a bateria original, termina eliminado após decisão polêmica

Por Fernando Maluf

Na sexta (1), durante a 5ª bateria do round 4 do Red Nose São Sebastião Pro, etapa de 3 mil pontos do QS que está rolando neste momento em Maresias, o juiz de prioridade cometeu um erro. Flávio Nakagima tinha a nota mais alta da bateria e deveria ter ganhado a segunda prioridade após uma remada de Michael Rodrigues. O juiz não viu a remada, Michael entrou na próxima onda, fez uma nota que entrou para sua soma e passou em segundo lugar. Alex Ribeiro, que não tinha nada a ver com essa situação, surfou muito a bateria inteira e passou na primeira posição, com tranquilidade.

Nakagima reportou o erro à organização. Após o encerramento das atividades, representantes da WSL América do Sul se reuniram com os quatro atletas da bateria: Rodrigues, Nakagima, Ribeiro e Deivid Silva, que tinha ficado em último.

A reunião foi simbólica, já que os atletas não tinha poder de voto. Não havia consenso entre eles. Em decisão unilateral, a organização decidiu que a bateria seria disputada novamente, desde o início, com os placares zerados. A decisão foi baseada em um termo do livro de regras que prevê essa escolha em caso de “incidente”.

A bateria foi para a água na manhã deste sábado (3). Deivid Silva, que havia ficado em último e cuja performance na bateria original não tinha sido influenciada pelo erro de prioridade, aproveitou a segunda chance e arrebentou. Alex Ribeiro e Michael Rodrigues disputaram a segunda posição. Michael conseguiu a virada na última onda e Alex, que tinha passado em primeiro lugar e também não foi beneficiado pelo erro dos juízes na sexta, foi eliminado.

Veja também: Tops do CT mostram as armas no terceiro dia do Red Nose Pro em Maresias

Imagem: Smorigo/WSL