Caio Ibelli vence Kelly Slater e Jordy Smith e chega à semi do Margaret River Pro. Italo Ferreira perde John John

Por Fernando Guimarães

O campeonato retornou definitivamente ao Main Break na madrugada deste domingo para a realização das oitavas de final e quartas de final masculinas e das quartas de final femininas do Margaret River Pro. A grande história do dia é a chegada de Caio Ibelli à semi final, após vencer Kelly Slater, nas oitavas, e Jordy Smith, nas quartas. Ele disputará uma vaga na decisão com o atual líder do ranking, John John Florence, que passou por Italo Ferreira nas quartas e irá distanciar-se de seus rivais na disputa pelo título mundial independentemente do resultado no último dia de competição no oeste australiano. Na disputa feminina, a Tatiana Weston-Webb representará o Brasil na semi final, sua primeira em 2019, após vencer com ótima atuação a estadunidense Courtney Conlogue.

Além de Caio e John John, outras destaques foram o despertar de Julian Wilson nas competições em 2019, ao garantir-se na semi final e com boas e convincentes atuações, e a primeira vitória de Lakey Peterson em toda sua carreira sobre Stephanie Gilmore, com direito a uma atuação de gala no Main Break.

Veja também: WSL abandona projeto de unidade do Surf Ranch na Flórida

Com ondas de até seis pés em um swell que tinha previsão de perder força ao longo do dia, a ação contrastou fortemente com a injeção de adrenalina que foram as baterias corridas na bancada de The Box na manhã do sábado.

A maior nota deste domingo representa bem a diferença entre os dois dias: um 9,80 de Lakey Peterson, conseguido com duas manobras muito fortes e críticas, mas que teriam passado despercebidas em meio ao um vídeo com os melhores momentos de The Box.

Apesar desse contraste inevitável com a ação insana do dia anterior, os surfistas não podem reclamar de falta de oportunidades: séries muito constantes entraram durante todas as baterias, permitindo inclusive aos atletas sem a prioridade surfar diversas ondas com potencial razoável.

Italo Ferreira demonstrou isso com um início frenético na primeira bateria do dia. Pegou uma onda atrás da outra, conectando manobras com muita velocidade. Michel Bourez tentou ser mais seletivo, mas acabou simplesmente pegando menos ondas, em que teve mais dificuldade em colocar tantas manobras.

John John venceu Sebastian Zietz em um duelo equilibrado e se classificou para um aguardado duelo com Italo nas quartas.

Na sequência, Caio Ibelli encarou seu primeiro desafio no dia, o onze vezes campeão mundial Kelly Slater.

Existe algo de inamistoso entre os dois desde que Caio criticou abertamente a postura de Slater durante o ano passado, quando o onze vezes campeão mundial deixou de ir a etapas do circuito alegando estar lesionado, enquanto ia surfar em outros picos ao redor do mundo. No final da temporada, Slater foi beneficiado com um convite para disputar o circuito em detrimento de Caio, que havia quebrado o pé e perdido três quartos do ano.

Caio venceu Slater com folga, apresentando m surfe muito potente em uma linha limpa, bonita.

“Queria mostrar para as pessoas que eu mereço uma chance aqui”, disse ele em sua entrevista após a vitória — uma das melhores dos últimos tempos, por sinal. Caio foi duramente criticado por sua postura na virada do ano, e a mídia internacional foi rápida em apontar que o brasileiro pouco teria a acrescentar ao circuito, esquecendo-se de seu currículo: campeão mundial Pro Junior, estreante do ano de 2016, responsável por eliminar duas vezes seguidas John Florence no ano do primeiro mundial do havaiano, finalista em Bells Beach perfeito e por aí vai.

Foi surfando, e não falando, que Caio mostrou que merece estar entre os melhores do mundo.

Jordy Smith amassou Conner Coffin, assim como o fez Seth Moniz contra Jack Robinson. O local do oeste australiano, por sinal, apesar de ser um excelente tube-rider — especialmente no pico em frente à sua casa — novamente deixou a desejar em condições que exigissem um surfe mais completo e variado.

Na sétima bateria das oitavas, Julian Wilson ressurgiu ao fazer grande apresentação contra o estreante Peterson Crisanto.

Nas quartas femininas, outro ressurgimento: Tati Weston-Webb, após um começo de ano adormecido, despachou Courtney Conlogue com um potente e certeiro ataque de backside.

Sally Fitzgibbons cortou o barato de Caroline Marks com uma outra ótima atuação no Main Break e Carissa Moore fez o mesmo com a estreante Brisa Hennessy. O último duelo entre as mulheres foi um atropelo de Lakey Peterson sobre Stephanie Gilmore, com a melhor média do campeonato feminino até agora nesta que foi a primeira vitória de sua carreira contra Steph.

John John venceu Italo Ferreira na abertura das quartas masculinas, mas teve uma leve ajuda dos juízes — é difícil acreditar que outro surfista receberia 9,23 por uma onda exatamente igual à sua.

Caio Ibelli voltou a mostrar que seu lugar é entre os melhores do mundo — e disputando os lugares de cima — ao vencer Jordy Smith em condições em que a maioria das pessoas daria amplo favoritismo ao sul-africano. A bateria foi emocionante e muito bem surfada em ambos os lados, com viradas e reviradas até os últimos momentos. Vale uma visita ao heat replay da WSL.

O evento ficou paralisado por cerca de 30 minutos depois dessa bateria, após um free-surfer avistar e a organização confirmar a presença de um tubarão próximo ao line-up.

Na volta, Kolohe Andino venceu Seth Moniz e confirmou um novo salto no ranking, assim como Julian Wilson, que passou por seu compatriota Ryan Callinan. Ainda que não tenham sido tão bem valorizadas pelo painel de juízes, suas ondas foram algumas das melhores de todo o campeonato.

Não há uma previsão concreta para o encerramento do campeonato, cuja janela tem ainda mais uma semana inteira. A próxima chamada acontece na noite deste domingo, 20h30 no horário de Brasília.

Margaret River Pro – oitavas de final masculina

1. Italo Ferreia 13,74 x 12,14 Michel Bourez
2. John John Florence 13,67 x 12,40 Sebastian Zietz
3. Caio Ibelli 14,50 x 10,26 Kelly Slater
4. Jordy Smith 14,16 x 10,77 Conner Coffin
5. Seth Moniz 14,20 x 9,97 Jack Robinson
6. Kolohe Andino 15,26 x 12,73 Owen Wright
7. Julian Wilson 16,27 x 11,70 Peterson Crisanto
8. Ryan Callinan 14,57 x 14,07 Kanoa Igarashi

Quartas de final:

1. John Florence 17,73 x 15,36 Italo Ferreira
2. Caio Ibelli 15,26 x 15,24 Jordy Smith
3. Kolohe Andino 13,90 x 13,34 Seth Moniz
4. Julian Wilson 13,40 x 11,60 Ryan Callinan

Quartas de final – feminina:

1. Tatiana Weston Webb 14,26 x 13,10 Courtney Conlogue
2. Sally Fitzgibbons 15,50 x 14,40 Caroline Marks
3. Carissa Moore 13,84 x 8,50 Brisa Hennessy
4. Lakey Peterson 18,83 x 12,16 Stephanie Gilmore

Semifinal masculina:

1. John Florence x Caio Ibelli
2. Kolohe Andino x Julian Wilson

Semifinal feminina:

1. Tatiana Weston-Webb x Sally Fitzgibbons
2. Carissa Moore x Lakey Peterson