Evento marca chegada da WSL à cidade de São Paulo, que será a sede do novo escritório para a entidade na América Latina

Por Redação HC, via WSL Brasil

Shows, painéis de debates, exposição, jogos, aulas de yoga e ginástica e muita festa, além de um imenso telão com highlights do Championship Tour (CT) da World Surf League – mais especialmente a etapa final do Campeonato Mundial de Surfe, que acontece em Pipeline, no Havaí – foram algumas das atrações da WSL ZONE, que reuniu aproximadamente 2 mil pessoas na Red Bull Station, no centro histórico de São Paulo, no último final de semana (dias 14 e 15).

Com um total de 20 horas, o evento promovido pela WSL, que teve apresentação da Oi e patrocínios de Havaianas e Red Bull, é comemorado como absoluto sucesso por seus organizadores.

Mineiro e Burle na WSL Zone em São Paulo

Uma das atrações da WSL Zone foi uma palestra com Adriano de Souza e Carlos Burle (divulgação)

“Estamos muito felizes com o êxito da primeira edição da WSL ZONE. Satisfeitos por poder levar a alegria e o estilo de vida do nosso esporte para a cidade de São Paulo e tantos fãs que estiveram no evento. A repercussão foi impressionante nas mídias e redes sociais e tudo isso nos enche de energia para os próximos capítulos dessa história. Todos estamos com vibrações positivas para a confirmação de mais um título mundial do Brasil essa semana, no Havaí”, afirma Ivan Martinho, CEO Latam da WSL.

Nos palcos ou nos corredores da WSL ZONE a todo instante os convidados se deparavam com grandes ídolos do surfe, entre eles Teco Padaratz (bi-campeão mundial no WQS), Adriano de Souza, o Mineirinho (campeão mundial de 2015 no WSL CT), Carlos Burle (a lenda das ondas gigantes), Davizinho Radical (campeão mundial de surfe adaptado) e a surfista Marina Werneck, entre outros.

“O evento foi especial, sobretudo por proporcionar uma visibilidade para o nosso esporte”, afirma Padaratz, hoje músico, que se apresentou com sua banda nos dois dias do evento. O ídolo do surfe confessa que, quando viu as cenas dos nossos ‘heróis brasileiros’ projetadas em tamanho gigante na parede do edifício vizinho da Red Bull Station, ficou emocionado.

“Com as imagens, muitos na festa puderam ver e conhecer mais da nossa história, que teve início nos anos 80, quando eu e Fábio Gouveia começamos no circuito mundial. Me sinto com o dever cumprido. Como se estivéssemos numa corrida de revezamento e a minha geração tivesse entregado o bastão em terceiro lugar, e a nova geração correu muito mais e nos colocou em primeiro, entre as maiores nações do surfe no mundo. Hoje lideramos com muita força e ainda vamos dar muitas alegrias aos fãs brasileiros e internacionais”, diz. “A WSL ZONE nos mostrou que agora o surfe chegou pra ficar!”, completa Padaratz.

Veja também:
– Filipe Toledo é eliminado em Pipe, e diz adeus ao título e a Tóquio 2020