Publicidade:

Publicidade:

Publicidade:

Vale a pena surfar em jejum?



Sabemos que a alimentação adequada é fundamental para a saúde, e quando abordada no contexto do esporte, faz total diferença para o desempenho esportivo. O surfe é um esporte tipicamente matutino e com ele vem a dúvida: comer antes de ir para a água ou surfar em jejum?

Antes de responder à pergunta, é importante esclarecer que nossa principal fonte de energia são os carboidratos, armazenados no músculo e no fígado, em estoques chamados de “glicogênio” (glicogênio muscular e glicogênio hepático).

O glicogênio muscular fornece energia para o próprio músculo durante o exercício físico, já o hepático, é responsável por manter a glicemia (nível de glicose no sangue) estável.

Grande parte da energia que você utilizará durante a queda é proveniente deste estoque, o que permite que você surfe em jejum.

Contudo, o glicogênio demora cerca de 4h a 6h para ser formado, ou seja, se você prefere surfar em jejum, é importante atentar-se às últimas refeições do dia anterior, que devem fornecer quantidades suficientes de carboidrato.

Então posso surfar em jejum?

Bom… você pode, mas não recomendo se a queda for muito longa. Em exercícios prolongados os estoques de glicogênio hepático podem ser utilizados por completo e provocar um estado de hipoglicemia, colocando em risco sua segurança no mar.

Em caso de sessões de surfe mais prolongadas, a refeição pré surfe (30 a 60 minutos antes da queda) é importante para manter a glicemia estável por mais tempo.

Nessa refeição, devemos priorizar o consumo de carboidratos mais simples, como frutas, sucos naturais, pães ou tapioca, por exemplo, e evitar o consumo excessivo de gorduras, como leite e derivados, pasta de amendoim e abacate, já que este tipo de alimento demora um pouco mais para ser digerido e pode te causar desconfortos gastrointestinais durante seu surfe.

+ Vitaminas essenciais à alimentação de todo surfista

+ Os incríveis benefícios da beterraba para o surf 

+ Alimentos naturais baratos e poderosos

Agora suponhamos que você vá fazer duas quedas no mesmo dia (de manhã e final de tarde, por exemplo).

Caso consuma quantidades suficientes de carboidratos, você terá uma reserva energética para o primeiro surfe, mas que será utilizada.

Assim, é importante que após a primeira queda você consuma novamente carboidratos (para repor os estoques de glicogênio) e proteínas para reparação tecidual, contribuindo para que você tenha um bom rendimento também no segundo surfe do dia!

Texto escrito pelo surfista e nutricionista Yuri Gomes (CRN-3 59717)

Instagram: @nutriyurigomes

Receba nossas Notícias no seu Email

+Notícias

Consumo de álcool: por que...

Texto Bianca Vilela / publicado na Go Outside Me conta uma coisa: em um exame admissional...

Derek Hynd e a ffffonte...

Um dos gurus do surf moderno lidera praticamente sozinho uma revolução em design que pode mudar a maneira como surfamos para sempre. Leia!

Alex Ribeiro treinando forte em...

Na semana em que embarca para as etapas do Tour mundial na Austrália, o...

Russell Bierke, um dos tube...

Depois de se consolidar no topo dos surfistas de ondas grandes que conquistaram a...