28 C
Papeete
terça-feira, 21 maio, 2024
28 C
Papeete
terça-feira, 21 maio, 2024

Surfista lendário chama de terroristas skatistas que usaram bancos de obstáculo

O santista Alexandre Salazar, mais conhecido como Picuruta, surfista, professor, e maior recordista de títulos de surf brasileiro,10x Campeão Brasileiro Profissional e 3x Vice-campeão Mundial, desabafou em seu Instagram contra três jovens skatistas que usaram bancos novíssimos de obstáculo no Parque Municipal Roberto Mário Santini, o Emissário Submarino, em Santos, no litoral de SP.

Leia também: Skate no Brasil – da criminalização ao Olimpo

No vídeo que você assiste abaixo Picuruta aponta que o parque, pelo qual ele lutou muito, foi alvo “de três ou quatro vândalos” e relembra sua trajetória de 50 anos atrás, quando começou a “construir a estrada para os atuais campeões”.

Segundo o santista, os jovens precisam ser identificados e punidos.

“Não é porque são menores que podem ficar impunes. Eles têm de aprender a respeitar as pessoas e o patrimônio público”.

Veja: “A World Skate está forçando desrespeitosamente uma fusão”, diz Bob Burnquist

No desabafo, Picuruta disse que “não tinha como ficar quieto”.

Ele disse que não tem nada contra os skatistas, inclusive, citou como amigos skatistas consagrados, e destacou o fato de o parque ter uma pista, que estava fechada, para a modalidade.

Esse vídeo suscitou milhares de opiniões polarizadas sob a forma de comentários.

 

View this post on Instagram

 

A post shared by Picuruta Salazar (@picuruta_salazar)

O prefeito da cidade, Rogério Santos, se manifestou e disse: “É isso mesmo! Cada um precisa fazer a sua parte. Você é um exemplo no esporte e como cidadão. Sou seu fã”, respondeu.

O shaper e surfista Neco Carbone escreveu: “Que essa atitude do Picuruta nos sirva de exemplo… a gente não pode assistir essas coisas e não tomar uma atitude.”

O surfista e jornalista especializado, Edinho Leite, também se manifestou: “PqP, que falta de senso comunitário e educação”.

Já o skatista Leonardo M. Guimarães postou: “E que até onde eu saiba, o espaço é de domínio PÚBLICO. Aplaudir a fadinha nas olimpíadas é tão fácil, mas ver um menor andando pra se divertir num pico local deve ser um pesadelo né? 🤔 Skate não foi feito pra ficar limitado a pistas, skate foi feito pra RUA. Para expandir a criatividade até onde ela consiga chegar. Como diria um skatista que eu admiro muito, skate é uma ferramenta de reinterpretar o espaço, ou seja, de trazer um novo significado a determinados espaços.”

Outro skatista, Guilherme de Oliveira, disse: “Tá chapando, skateboard é isso, nunca ouviu falar em Barcelona? Macba? Se liga faz teu corre do surf e deixa os skatista em paz.
Cada um cuidando da sua vida…”

O skatista profissional Cleo Costa disse: “AO INVÉS DE FAZER ESSE SENSACIONALISMO TODO , POR QUE NÃO TROCOU UMA IDEIA FMZ COMO OS SKATERS?!
DEIXOU ELES ANDAREM PARA TIRAR PROVEITO PARA POSTAR O SEU VÍDEO AQUI E GERAR POLÊMICA ?!
50 ANOS DE SURF E NÃO APRENDEU NADA COM ELE 👎 🤢.
AMIGO DE A ou B NÃO VAI TE AJUDAR EM NADA 👎.
#CADEAHUMILDADE?!”

Outro internauta, Giovanni Zanella, pontuou: “A tradição do Skate “Street” é isso. Respeite também a origem do esporte. É muito mais fácil achar uma boa praia para surfar do que uma boa pista de Skate. O que resta é a rua!! Os melhores skatistas da categoria street andam muito na rua sim. Te admiro no surf mas não vem falar do Skate! Volta pra tua “praia” que o skate não é concerteza.”

Em réplica aos comentários pró-skatista, Picuruta copiou um trecho do Código Penal (Lei nº 2.848/40):

“Art. 163 – Destruir, inutilizar ou deteriorar coisa alheia:

Pena – detenção, de 1 (um) a 6 (seis) meses, ou multa.

Parágrafo único – Se o crime é cometido:

contra o patrimônio da União, Estado, Município, empresa concessionária de serviços públicos ou sociedade de economia mista;

por motivo egoístico ou com prejuízo considerável para a vítima

Pena – detenção, de 6 (seis) meses a 3 (três) anos, e multa, além da pena correspondente à violência.”

Picuruta ressaltou sempre ter lutado pelo surf, desde quando o esporte, que hoje tem campeões mundiais e olímpico, era, segundo ele, atividade de “vagabundo” e “maconheiro”.

O surfista conta que foi chamar a atenção dos skatistas e “o maiorzinho só faltou me bater. Falou que eu estava falando grosso, que deveria falar com ele com calminha. Eu falei: Com calma? Com uma pessoa como você. Tu pra mim é considerado como um terrorista”.

Ao G1, a Prefeitura de Santos diz por meio de nota que os bancos que aparecem no vídeo serão reparados.

A administração municipal ressalta que a área, que passa por reforma, será inaugurada nesta semana, quando também será lançada uma escolinha de skate no local.

Receba nossas Notícias no seu Email

Últimas Notícias