26 C
Papeete
sábado, 18 maio, 2024
26 C
Papeete
sábado, 18 maio, 2024

Site aponta “corte do chat ao vivo” no El Salvador Pro em português. Entenda a polêmica

Em uma matéria publicada no site beachgrit.com, o jornalista Chas Smith lançou polêmica no decorrer do El Salvador Pro, a sétima parada do circuito mundial da WSL.

Na publicação, o jornalista Chas Smith escreve sobre o “corte do recurso do chat ao vivo” da transmissão do El Salvador Pro em português. Confira os trechos abaixo.

Confira:
+ Surf Ranch Pro: vídeo lado a lado da final alimenta controvérsia sobre julgamento (assista)

+ WSL responde à críticas sobre a transparência de notas no Surf Ranch Pro
+ “Os brasileiros terão de ser muito melhores para continuarem no topo,” diz Reinaldo “Dragão” Andraus

 

“Sim, parece que os fãs de surf do Brasil foram considerados um inimigo público, que precisa ser silenciado, e, ontem, a transmissão em português cortou o recurso de ‘chat ao vivo’ tirando suas vozes como Úrsula tirou a da pequena sereia.”

Continua o beachgrit.com:

“Mas você certamente notou a conversa de rolagem para o lado do feed do YouTube?

Ah, aqueles que participam lá não são tão charmosos, mas parecem gostar de desafiar os juízes, elogiar manobras de alto desempenho, bater papo.

Exceto que eles não são mais permitidos se sua língua nativa for o português.”

Enfim, você provavelmente acompanhou a revolta massiva por parte da comunidade do surf brasileiro e mundial após o desfecho do Surf Ranch Pro, por meio da qual os fãs, principalmente do Brasil, ficaram furiosos com resultados que muitos classificaram como suspeitos – os das baterias de Gabriel Medina e Italo Ferreira.

Tanto que após o Surf Ranch Pro, ambos atletas foram aos seus respectivos Instagram em busca de clareza e a fúria entre seus muitos admiradores aumentou.

Depois de alguns dias de silêncio, o CEO da World Surf League, Erik Logan, divulgou uma carta aberta criticando aqueles que levantaram a voz.

“Pesado e agora, possivelmente como punição por ‘assédio, intimidação e ameaças de violência’, o português foi banido,” escreve o beachgrit.com. Que continua:

“Impossibilitados de comentar ao vivo durante o El Salvador Pro, os fãs brasileiros verão que os surfistas australianos ou americanos são mais comercializáveis nos Estados Unidos e, portanto, recebem mais pontos por jogada ou… não? A China atacando bravos manifestantes na Praça da Paz Celestial silenciou a dissidência naquele país?”, finalizou o site beachgrit.com.

Acompanhe as novidades do El Salvador Pro aqui na HARDCORE.

Receba nossas Notícias no seu Email

Últimas Notícias