26 C
Papeete
domingo, 16 junho, 2024
26 C
Papeete
domingo, 16 junho, 2024

Silvana Lima e Israel Júnior campeões brasileiros de surf 2022

Silvana Lima e Israel Júnior são os novos campeões brasileiros de surf profissional. Os títulos foram definidos durante o Maresia CBSurf Pro Taíba 2022, sexta e última etapa do Circuito Brasileiro da 1ª Divisão, encerrado no último sábado (17), no litoral do Ceará.

Durante seis dias, todos os holofotes e olhares dos mais variados níveis do surfe nacional estiveram voltados para a Praia da Taíba, localizada no município de São Gonçalo do Amarante (CE). Os melhores atletas do surfe nacional disputaram as cobiçadas vagas para o Dream Tour de 2023, e os títulos da etapa e do circuito.

Os grandes campeões do último dia de duelos foram Silvana Lima e Israel Júnior. Com as melhores performances do evento, eles quebraram todos os recordes e tiveram suas vitórias validadas, não somente pelos árbitros, mas também pelo público, fãs, parentes, amigos e também pelos adversários, raridade em um esporte no qual a subjetividade abre espaço para inúmeras interpretações, pontos de vista e julgamentos.

+ As 22 melhores ondas do Tour de 2022

+ Mercado de ondas artificiais ganha força em São Paulo

+ Vivo e WLS firmam parceria

A primeira a unificar o título da etapa e do circuito foi a cearense Silvana Lima. Empurrada pela torcida, ela deixou sua melhor performance para a final, chegando a mandar um aéreo incrível que rendeu nota 8.17 e o maior somatório do evento entre as mulheres, 15.50 – na verdade ela já havia feito o mesmo somatório na semifinal – praticamente no meio da bateria, tendo apenas de administrar a liderança até o segundo toque da sirene.

Já o potiguar Israel Júnior teve de percorrer uma trilha, ou pra melhor dizer, escalada ainda maior que Silvaninha. Como veio do Round 1, o potiguar precisou avançar nada menos que nove baterias, e acreditem, ele venceu todas! Não houve uma bateria que o campeão do evento tenha avançado na segunda colocação. Simplesmente, nesse evento ele foi imbatível!

Estrutura do Maresia CBSurf Pro Taíba 2022. Foto: CBSurf

E na mais importante bateria de todas, a grande Final, Israel provou que era o cara a ser batido ao cravar uma nota 10,00 e ainda adicionar uma nota 9.0 para finalizar seu trabalho com o maior somatório da competição, 19 pontos, de vinte possíveis! Uma verdadeira façanha!

Com o resultado de ambos, cada um levou uma quantia de R$ 60 mil em dinheiro, R$ 30 mil pela conquista do título da etapa e mais R$ 30 mil de bônus oferecido pela CBSurf aos campeões do CBSurf Pro Tour 2022. Duas histórias de pura superação e que apenas o esporte é capaz de produzir, sendo justa e merecidamente recompensadas.

O grande dia

Silvana Lima. Foto: @pablonz

O sexto e último dia do Maresia CBSurf Pro Taíba 2022, que viria a consagrar Silvana Lima e Israel Junior, foi marcado por fortes emoções do início ao fim. Um verdadeiro teste pra cardíaco.

As disputas começaram pelas duas últimas baterias do Round 3 das mulheres. E o destaque dessa rodada foi a virada eletrizante de Vitória Carneiro sobre sua conterrânea Larissa dos Santos, na última bateria das oitavas de final, com direito a suspense pelo resultado após o término da bateria e muita comemoração.

Na sequência, tiveram início as baterias do Round 4, as quartas de final, com disputas mulher x mulher. Os duelos foram bem acirrados, com Yanca Costa superando Ariane Gomes, Monik Santos vencendo a paraibana da nova geração Ana Luiza, Vitória Carneiro barrando a postulante ao título do circuito Tainá Hinckel e Silvana Lima avançando para as semifinais, superando a catarinense Alexia Monteiro. Com o resultado, Silvana Lima só precisaria chegar à final para ultrapassar a pontuação de Tainá Hinckel e sagrar-se campeã do circuito.

Nas semifinais, Yanca Costa mostrou porque já foi campeã brasileira em 2020 na Taíba, superando Ariane Gomes, que apesar de ter feito excelentes apresentações, pegou uma Yanca abusando da tática de competição para conquistar a vaga na grande final. E Silvana cravou um 8.50 e mais um 7.0 para avançar com tudo.

Na final, Silvana mostrou toda a letalidade de seu surfe para atingir a mesma pontuação da semifinal e vencer a conterrânea Yanca Costa, dando início à comemoração pela conquista dos títulos da etapa e do circuito e que varou a noite!

Cara a ser batido

Israel Junior. Foto: @pablonz

Na categoria Masculina, os trabalhos do último dia começaram com as baterias do Round 7, as quartas de final. Destaque para a atuação do baiano Bino Lopes e Michael Rodrigues, este último protagonizando uma bateria de nível internacional com Deivid Silva. Bino Lopes, Michael Rodrigues, Israel Júnior e Messias avançaram para as semifinais, com destaque para Israel, vencedor de sua sétima bateria consecutiva.

Na semifinal, apesar das investidas potentes com seu backside fluido de base e lip, Bino não foi capaz de superar Israel, encerrando sua participação no evento. Na segunda semifinal, Messias mostrou porque é conhecido como Mr. Taíba e superou o surfista de elite do surfe mundial Michael Rodrigues, para carimbar seu passaporte à final. Com o resultado, Bino e Michael terminaram na honrosa terceira colocação, fazendo jus a receberem, cada um, R$ 11 mil de premiação.

A final Masculina foi a bateria mais eletrizante do evento, com os dois melhores atletas da competição. Messias até partiu pra cima em uma tentativa de construir um resultado que o permitisse chegar ao seu terceiro título nacional. Contudo, Israel mostrou o que todos queriam ver, uma performance convincente de campeão, e cravou uma nota 10.0 e outra 9.0 para a festa de sua torcida, tanto na Taíba, quanto em Baía Formosa (RN), sua terra natal.

Com o resultado, Israel embolsou R$ 60 mil e os dois títulos em disputa, e Messias terminou como vice-campeão, recebendo R$ 15 mil.

Magia do bastidor

Uma das passagens mais curiosas do último dia foram as “apostas” que rolavam na área dos atletas, todos tentando adivinhar as notas das principais ondas surfadas, e Janninfer de Souza, o Pingo, cravou a nota 5,70 que Vitória Carneiro se valeria para avançar para as semifinais.

Mas, foi Flávio Sukita, pai de Larissa dos Santos, que profetizou a média perfeita para Israel Jr. ao comentar uma de suas ondas na qual ele não conseguiu completar um aéreo daqueles impressionantes. Quando Israel chegou à área dos atletas, Sukita falou: “O dez ficou para a final”. Dito, e feito!

Sonho de Ícaro

Durante os seis dias de competição as boas ondas da Praia da Taibinha mantiveram aberta sua pista de pousos e decolagens e o que se viu foi um verdadeiro air show protagonizado pela grande maioria dos atletas, que têm o aéreo como uma de suas principais manobras progressivas.

Mateus Sena, com a primeira nota 10 ainda no primeiro dia de competição, Elivelton Santos, José Francisco Fininho, Luel Felipe, Janninfer de Souza, Marcos Correa, Naison Costa, Ian Gouveia, Diego Mendes, Messias Félix, Michael Rodrigues, Israel Júnior dentre muitos outros, foram nomes que elevaram o nível dessa competição a patamares estratosféricos. Quem acompanhou o evento do início ao fim, pôde ter uma dimensão do atual nível de evolução do surfe brasileiro e perceber que pra essa turma, o céu é o limite.

Plataforma de visibilidade 

Um dos principais objetivos da Confederação Brasileira com o CBSurf Pro Tour foi criar uma base sólida para alavancar e catapultar as carreiras dos atletas através de uma plataforma que ofereça ampla visibilidade tanto para os atletas, quanto a todos os parceiros que estiverem sobre o seu “guarda-chuva”.

Naturalmente, para crescer, se desenvolver e chegar aos objetivos projetados, primeiro precisava existir um projeto.

Agora, após os devidos ajustes evolutivos, em 2023 o Brasil e o mundo poderão se empolgar ainda mais com a trajetória que o surfe brasileiro vem tomando, de forma que isso se reverta em ganhos reais para os atletas e para toda a cadeia produtiva do esporte, com o incremento das premiações e a realização de grandes eventos, combinados à iniciativa do setor privado no suporte aos melhores surfistas em atuação no Brasil, promovendo o surgimento de novos patrocínios e apoios, tudo evoluindo junto ao mesmo tempo. A mudança está em curso.

Dream Tour 2023

O Circuito Brasileiro Profissional da 1ª Divisão de 2023 foi batizado de Dream Tour. Será composto no masculino, por apenas 64 surfistas, com 50 deles vindos do CBSurf Pro 1ª Divisão, outros 12 egressos do Circuito Taça Brasil e mais dois convidados, e 24 surfistas entre as mulheres, tendo direito a vaga as Top 16 da 1ª Divisão 2022, as sete melhores da Taça Brasil e mais uma convidada.

A promessa é de um circuito nunca antes visto na história do surfe brasileiro. O pontapé inicial foi dado. Os atletas estão com brilho nos olhos e faca na boca e as expectativas são as melhores. Então, que comecem os jogos.

Premiação

A premiação do MARESIA CBSurf Pro Taíba 2022 é de R$ 280 mil, distribuídos de maneira igualitária entre homens e mulheres, de acordo com o Livro de Regras da CBSurf. Os primeiros colocados tanto no masculino, quanto no feminino, levam R$ 30 mil cada. O restante da premiação será distribuída entre os atletas melhores colocados.

*Por George Noronha

Receba nossas Notícias no seu Email

Últimas Notícias