26 C
Papeete
quinta-feira, 23 maio, 2024
26 C
Papeete
quinta-feira, 23 maio, 2024

“Sempre foi tudo difícil pra mim…Com fé busco forças pra acreditar no sonho,” diz Italo Ferreira

O prazo do Rio Pro começa nesta sexta-feira, 23, no Maracanã do surfe brasileiro na Região dos Lagos do Rio de Janeiro. As previsões das ondas na Praia de Itaúna, indicam que a etapa brasileira do circuito mundial da WSL seja iniciada no primeiro dia da janela, que vai até 1.o de julho. A primeira chamada foi marcada para as 7h00 na Capital Nacional do Surfe.

Leia também:
+ CT de Saquarema: “Maracanã do Surfe” tem rede de hotelaria 100% ocupada
+ Descubra a mecânica das ondas de Itaúna e Barrinha

Algumas estrelas da seleção brasileira estiveram na coletiva de imprensa do evento, realizada na quarta-feira, 21, no Teatro Vivo Rio no Parque do Flamengo, na capital do Rio de Janeiro.

 

Vai dar Filipe Toledo em Saquarema?
Vai dar Filipe Toledo em Saquarema? Foto: WSL

Além do atual campeão mundial e tricampeão consecutivo da etapa brasileira do CT em Saquarema, Filipe Toledo, do também campeão mundial e campeão olímpico, Italo Ferreira, da Tatiana Weston-Webb, o presidente da WSL Latin America, Ivan Martinho, também fez parte da mesa.

Eles atenderam aos jornalistas após as boas-vindas do CEO da World Surf League, Erik Logan, da Prefeita de Saquarema, Manoela Peres, e do Secretário de Esporte e Lazer do Governo do Estado do Rio de Janeiro, Rafael Picciani.

“Estou feliz demais por estar de volta ao Brasil que eu amo e Saquarema é um lugar que me sinto muito confortável”, disse Filipe Toledo, que só perdeu uma bateria nos 4 anos do CT em Saquarema, em 2017. Depois, foi campeão invicto em 2018, 2019 e 2022, pois em 2020 e 2021, o evento não aconteceu devido a pandemia. “Eu vou pra Saquarema desde quando era criança. Vi meu pai competindo lá, vários ídolos meus também, então é sempre gratificante poder voltar. É um lugar incrível, que eu amo e que certamente me traz boas lembranças”.

Filipe foi campeão mundial em 2022 e assumiu a vice-liderança no ranking de 2023, com o título na etapa de El Salvador, encerrada na sexta-feira passada. Foi a 14.a vitória da sua carreira em 20 finais disputadas no CT e quatro delas aconteceram no estado do Rio de Janeiro.

Filipe Toledo se tornou o verdadeiro “Rei do Rio” no ano passado, quando conquistou o tricampeonato consecutivo em Saquarema, depois ganhou uma em 2015 na Barra da Tijuca, na capital carioca. Ele acabou igualando o recorde de 4 vitórias no Brasil em etapas válidas pelo título mundial, do australiano Dave Macaulay nas décadas de 80 e 90.

Em 3 das 4 vitórias no Rio de Janeiro, Filipe Toledo confirmou o título com aéreos que ganharam nota 10 dos juízes, a de 2015 no Postinho da Barra e nas de 2018 e 2022 em Saquarema. Ele tem 13 notas 10 em etapas do CT e falou quais foram mais especiais: “Eu acho que o aéreo do ano passado, na final com o Samuca (Samuel Pupo), foi marcante. Começando pelo dia das finais, 100% brasileiro, e fazer parte de mais um dia histórico pro surfe, pros fãs, pra WSL, foi marcante demais. Mas, teve o da final de 2018 também, que foi um dos aéreos mais bizarros que eu já mandei, então acho que Saquarema está entre os top-2 da lista”.

 

Italo Ferreira na etapa de El Salvador, 2022.


ITALO FERREIRA
 – Enquanto Filipe Toledo coleciona 4 vitórias no Brasil, o campeão mundial de 2019, primeiro medalhista de ouro da história do surfe nas Olimpíadas e vice-campeão mundial na final do ano passado com Filipe no Rip Curl WSL Finals em Trestles, na Califórnia, Italo Ferreira, sonha em conseguir um primeiro título em etapas do CT no Brasil. O potiguar de Baía Formosa chegou perto da sua primeira final em Saquarema em 2022, mas terminou em terceiro lugar, perdendo para o vice-campeão, Samuel Pupo, nas semifinais.

O tabu pode ser quebrado agora no Vivo Rio Pro apresentado por Corona, mas teria que acabar com essa invencibilidade do Filipe Toledo nos três últimos anos. A vitória seria muito importante para Italo Ferreira nesta reta final da temporada. Ele foi vice-campeão na etapa do Surf Ranch, foi até as quartas de final em El Salvador e subiu para o oitavo lugar no ranking. A batalha nestas três últimas etapas do CT 2023, é chegar entre os top-5 que disputarão o título mundial e para brigar também por vaga nos Jogos Olímpicos de Paris 2024.

“Eu tive de abrir mão de Saquarema hoje (quarta-feira) que tinha altas ondas, para estar aqui na coletiva, mas tudo bem. Eu surfei de manhã, peguei umas boas, então estou de cabeça feita, mas vou tentar voltar pra pegar o final de tarde lá”, disse Italo Ferreira“Estamos viajando o ano inteiro, muitas coisas aconteceram, mas sempre sonhei, desde criança, de viajar o mundo surfando, competindo, fazendo o que eu amo. Graças a Deus, eu vivo esse sonho e, para mim, é algo muito gratificante”.

Italo agora luta para disputar outro título mundial e defender o ouro nas Olimpíadas da França: “Estou ali nos top-10 agora, tenho chances de entrar nos top-5 e, sem dúvidas, esse é um dos meus objetivos. Acho que vencer aqui no Brasil, seria algo muito marcante na minha carreira, seria muito positivo e eu venho trabalhando bastante para isso. Na verdade, sempre foi tudo difícil pra mim. Em 2019 foi assim, nas Olimpíadas também e estou na mesma posição novamente. É através da minha fé que eu consigo buscar forças pra acreditar no meu sonho e, no final, Deus vai alinhar meus caminhos para a gente ir seguindo”.

 

Ivan Martinho, Filipe Toledo, Tatiana Weston-Webb e Italo Ferreira (Foto: @WSL / Thiago Diz)


TATIANA WESTON-WEBB
 – Assim como Filipe Toledo e Italo Ferreira, a gaúcha Tatiana Weston-Webb também participou das duas decisões de títulos mundiais no novo formato do Rip Curl WSL Finals, com um sistema mata-mata entre os top-5 e as top-5 do ranking do CT. Tatiana chega no Vivo Rio Pro apresentado por Corona dividindo a quinta posição com a oito vezes campeã mundial, Stephanie GilmoreTatiana já está confirmada nas Olimpíadas de Paris 2024 e falou sobre a expectativa de competir diante da sua torcida em Saquarema, bem como a batalha por uma vaga entre as top-5 nestas três últimas etapas da temporada.

“Eu me sinto muito bem aqui no Brasil. Claro que sinto um pouco mais de pressão, para fazer uma performance incrível em frente do nosso povo brasileiro, mas isso é um privilégio e eu gostaria de ganhar o campeonato, como o Filipe (Toledo)”, disse Tatiana Weston-Webb“Eu sinto que meu surfe está ótimo e só está faltando aquele clic para conseguir um resultado mais expressivo, que vai rolar logo menos. Eu estou esperando esse momento, que ainda não aconteceu esse ano, mas meu objetivo é chegar no Finals 5 e disputar mais um título mundial”.

 

Ivan Martinho, Filipe Toledo, Tatiana Weston-Webb e Italo Ferreira (Foto: @WSL / Thiago Diz)

 

IVAN MARTINHO – O presidente da WSL Latin America, Ivan Martinho, também falou aos jornalistas sobre a expectativa de promover mais um grande campeonato. Assim como no ano passado, o Vivo Rio Pro apresentado por Corona em Saquarema é o que apresenta a maior arena do mundo, com mais de 3.000 m2 de área construída nas areias da Praia de Itaúna, para a maior torcida do mundo vibrar pelo show garantido dos melhores surfistas do mundo.

“Foi mais um ano de muito trabalho, mais de 500 pessoas envolvidas nesse projeto e a gente se dedica para construir algo especial todos os anos”, destaca Ivan Martinho“Tem muita coisa em jogo dentro d´água, com certeza vai ter um show como sempre, o espetáculo é garantido e fora d´água a gente se esforça para chegar no mesmo nível disso. Começa trazendo uma coletiva num formato diferente como hoje aqui e mais uma vez agradeço a Vivo por ter cedido esse espaço, o Teatro Vivo Rio, essa casa de show espetacular, onde muito gente famosa, bacana, passa aqui nesse palco e para nós é um orgulho estar aqui com esses holofotes”.

WSL ACADEMY – “Quinta-feira, 22, a gente tem um projeto de educação executiva lá na área vip do evento na Praia de Itaúna. No ano passado, tivemos um feedback de muita gente impressionada com a estrutura do evento, então eu trouxe a ideia de compartilhar um pouco desse conhecimento do que a gente faz, do ponto de vista do negócio, ao viabilizar um evento como esse. Então, a gente criou o WSL Academy, que é um evento de educação corporativa, para compartilhar esse conhecimento. Nesse ano, tivemos a adição de muitas marcas novas chegando no surfe, o que é incrível e que também tem trazido muitos bons frutos, como patrocínio para os atletas, por exemplo, o que é ótimo para nós”.

“Na sexta-feira, a gente começa de fato o campeonato e vocês poderão ver uma estrutura nova, ainda maior, ainda mais inovadora, cheia de surpresas em um capricho enorme de todas as ativações das marcas patrocinadoras. No domingo, tem um presente para a Região dos Lagos, especialmente para a cidade de Saquarema, uma apresentação da EDA, a Esquadrilha de Demonstração Aérea, popularmente conhecida como Esquadrilha da Fumaça. A gente teve a inspiração de tantas manobras aéreas em Saquarema, então achamos que isso seria muito legal também, até para comemorar os 150 anos de Santos Dumont, o pai da aviação. Com certeza, vai ser um show para a Praia de Itaúna lotada assistir pela primeira vez, essa apresentação da Esquadrilha da Fumaça na Região dos Lagos do Rio de Janeiro”.

IMPACTO ECONÔMICO – “A gente sempre ouvia que o evento era o Natal para a cidade, movimentando o comércio, serviços, restaurantes, hospedagens, então quis medir isso. Fizemos uma parceria com a EY, que tem uma metodologia própria de estudo do impacto econômico. No ano passado, eles mensuraram que o impacto de retorno do evento foi de 73 milhões de reais, um número que nos impressionou bastante. Ficamos felizes por trazer um número para aquela impressão que todos tinham, do quanto o evento gerava de fato o negócio. É claro que esse impacto é ainda maior, na medida que o evento é transmitido para milhões de pessoas, que podem se interessar em surfar e visitar Saquarema, que está superequipada no ponto de vista de hotelaria, gastronomia, para receber turistas o ano todo, não só durante o evento. E esse ano, vamos repetir esse estudo com a EY projetando um retorno acima de 80 milhões de reais, então vamos ver se a gente consegue chegar lá”.

Clique aqui e confira as baterias da primeira fase do Rio Pro.


Texto editado de João Carvalho / WSL Latin America Media Manager

Receba nossas Notícias no seu Email

Últimas Notícias