26 C
Papeete
sexta-feira, 19 julho, 2024
26 C
Papeete
sexta-feira, 19 julho, 2024

Rip Curl Pro Playa Grande QS 1000 é adiado para quinta-feira

A condição desfavorável do vento na quarta-feira em Mar del Plata, motivou o adiamento do início da nona edição do Rip Curl Pro Playa Grande na Argentina. Esta é a segunda etapa do World Surf League (WSL) Qualifying Series (QS) da temporada 2023/2024 da WSL Latin America. Nas ondas da Playa Grande, estarão em jogo mais 1.000 pontos nos rankings sul-americanos classificatórios para o Challenger Series 2024, a divisão de acesso para o World Surf League (WSL) Championship Tour (CT).

O Rip Curl Pro Playa Grande é um dos campeonatos mais tradicionais da América do Sul, acontece desde 2013 sempre na Semana Santa, como o Rip Curl Pro Bells Beach, que também vem tendo o seu início adiado na Austrália, aguardando por melhores condições do mar. Na “Capital Nacional do Surf” da Argentina, a expectativa é de que a nona edição do campeonato comece nesta quinta-feira. A primeira chamada do dia foi marcada para as 8h00 em Mar del Plata e a competição será transmitida ao vivo pelo WorldSurfLeague.com.

Fizemos uma reunião com os surfistas e ficou decidido que o campeonato não começa hoje”, destacou Roberto Perdigão, Tour Manager da WSL Latin America. “Tem swell, mas o vento Leste/Nordeste mexeu bastante o mar e afetou a qualidade das ondas. Então, amanhã (quinta-feira) teremos uma chamada as 8h00 para as duas categorias, masculina e feminina. A gente vai decidir qual vai começar, mas a tendência é que seja pelos homens, em função do maior número de participantes. O masculino é no formato de 32 atletas e o feminino de 16”.

+ Quem leva o prêmio de pior vaca do Brasil?

Vai ser a hora dos argentinos entrarem nos rankings regionais da WSL South America, que classifica os surfistas da América do Sul para disputar vagas para o CT no Challenger Series. Nenhum participou da abertura da temporada 2023/2024, semana passada no Equador. Agora, são maioria entre os inscritos nas categorias masculina e feminina, para tentar conquistar a primeira vitória da Argentina em casa. Os brasileiros ganharam as oito edições e os quatro títulos do QS 1000 feminino foram divididos entre Equador e Peru.

VITÓRIA ARGENTINA – As principais apostas para quebrar esse tabu, são o experiente Leandro Usuna, único argentino a participar da estreia do surfe nas Olimpíadas de Tóquio no Japão, Nacho Gundesen e Franco Radziunas. Lele e Nacho ficaram muito perto de se classificar para o Challenger Series esse ano, nas duas etapas que fecharam a temporada 2022/2023 no Brasil. Já entre as mulheres, as principais candidatas ao título são a experiente Ornella Pellizari e Josefina Ané, vice-campeã na segunda final feminina do Rip Curl Playa Grande em 2018.

Leandro Usuna também foi finalista uma vez, contra Flavio Nakagima em 2016. Dois anos depois, Facundo Arreyes foi o segundo argentino a chegar na decisão, mas perdeu para Wesley Santos. Os outros brasileiros que festejaram vitórias no QS da Argentina, foram Alejo Muniz no ano passado, Matheus Navarro em 2019, Thiago Camarão em 2017, Robson Santos em 2015, Alex Ribeiro em 2014 e Jihad Khodr na estreia do campeonato em 2013. A categoria feminina foi incluída em 2017 e a equatoriana Dominic Barona ganhou as duas primeiras, com a peruana Daniella Rosas repetindo o bicampeonato em 2019 e 2022.

O Rip Curl Pro Playa Grande é uma realização do Biologia Club e homologado pela World Surf League como segunda etapa da temporada 2023/2024 da WSL Latin America. É um dos campeonatos mais tradicionais da América do Sul e a sua nona edição acontece com apoio da Rip Curl, Corona, McDonalds, Monster Energy, ENARD – Ente Nacional de Alto Rendimiento Deportivo, mardelplata #TenemosTodo, Secretaría de Deportes da Argentina e da ASA – Asociación de Surf Argentina. A competição será transmitida ao vivo pelo WorldSurfLeague.com.

BATERIAS DO RIP CURL PRO PLAYA GRANDE 2023:

PRIMEIRA FASE MASCULINA:
1.a: Mateus Herdy (BRA), Joaquin Muñoz Larreta (ARG), Nicolas Hermida (ARG)
2.a: Tomas Lopez Moreno (ARG), Sebastian Olarte (URU), Juan Ruggiero (ARG), Jeronimo Ane (ARG)
3.a: Franco Radziunas (ARG), Santiago Medeiro (URU), Lautaro Rojas Thill (ARG)
4.a: Vitor Ferreira (BRA), Martin Ottado (URU), Maximus Petrina (ARG)
5.a: Nacho Gundesen (ARG), Julian Honores (ARG), Tomas Goransky (ARG)
6.a: Rodrigo Saldanha (BRA), Roberto Araki (CHL), Francisco Laxalde (ARG), Santiago Mena (ARG)
7.a: Gabriel André (BRA), Joaquin Reyes (CHL), Francisco Cosoleto (ARG)
8.a: Leandro Usuna (ARG), Nazareno Pereyra (ARG), Facundo Rondi (ARG)

PRIMEIRA FASE FEMININA:
1.a: Arena Rodriguez Vargas (PER), Vera Jarisz (ARG), Coco Cianciarulo (ARG)
2.a: Julia Duarte (BRA), Catalina Mercere (ARG), Maria Allebring (SUE), Josefina Ane (ARG)
3.a: Kalea Gervasi (PER), Lucia Cosoleto (ARG), Victoria Muñoz Larreta (ARG), Juana López Paolillo (ARG)
4.a: Melanie Giunta (PER), Brianna Barthelmess (PER), Ornella Pellizzari (ARG)

Receba nossas Notícias no seu Email

Últimas Notícias