27 C
Papeete
quarta-feira, 24 julho, 2024
27 C
Papeete
quarta-feira, 24 julho, 2024

Rip Curl Pro Bells Beach define as semifinais sem o Brasil na briga por título

Rip Curl Pro Bells Beach definiu as semifinais e ninguém do Brasil vai brigar por título na Austrália. A última esperança era Tatiana Weston-Webb, que não passou pela campeã mundial Caroline Marks e ficou em quinto lugar nesta quarta etapa do World Surf League (WSL) Championship Tour (CT) 2024. No Domingo de Páscoa, as quartas de final foram disputadas no Bowl de Bells e já foi anunciado que não haverá competição na segunda-feira, porque as ondas estarão muito baixas. O prazo vai até sexta-feira e será escolhido o melhor dia para fechar o campeonato mais antigo do surf mundial.

Certo mesmo é que novos nomes vão badalar o sino do troféu mais emblemático do esporte esse ano. As quatro classificadas para as semifinais e os quatro ganhadores dos últimos duelos do domingo, nunca venceram o tradicional Rip Curl Pro Bells Beach, sempre realizado na semana da Páscoa desde o primeiro Circuito Mundial em 1976. A gaúcha Tatiana Weston-Webb foi vice-campeã em 2018, mas só conseguiu surfar uma onda boa na bateria com Caroline Marks. A surfista da Flórida venceu por uma pequena vantagem de 11,94 a 11,76 pontos e a brasileira terminou em quinto lugar no evento.

A campeã mundial Caroline Marks ganhou por pouco da brasileira – Foto: @WSL / Ed Sloane

Os Estados Unidos são maioria nas semifinais das duas categorias. Caroline Marks vai disputar a segunda vaga para a grande final, com a também norte-americana Caitlin Simmers. A vencedora vai decidir o título com quem passar do confronto entre a francesa Johanne Defay e a costa-ricense Brisa Hennessy. No masculino, dois californianos de San Clemente se classificaram com os recordes do dia. O estreante na elite, Cole Houshmand, enfrenta o sul-africano Matthew McGillivray na primeira semifinal e na segunda tem o líder do ranking, Griffin Colapinto, contra o indonésio Rio Waida.

Depois de derrotar o tricampeão mundial Gabriel Medina no sábado, Cole Houshmand barrou o defensor do título do Rip Curl Pro Bells Beach com a maior nota do domingo, 9,07. Foi logo no início da bateria mais fraca de ondas do dia. O australiano Ethan Ewing só surfou uma que valeu nota 6,00 e Cole ainda conseguiu mais uma para vencer por 13,84 pontos. No duelo seguinte, entraram mais ondas e Griffin Colapinto usou os aéreos para fazer o maior placar do dia, 16,90 pontos com notas 8,50 e 8,40.

Griffin Colapinto fez a melhor apresentação do domingo em Bells Beach – Foto: @WSL / Aaron Hughes

Os dois californianos foram os que chegaram mais perto dos recordes do Gabriel Medina, que conseguiu uma nota 9,33 e totalizou 17,33 pontos na sua estreia no evento em altas ondas na terça-feira no Bowl de Bells. Griffin Colapinto assumiu a liderança do ranking com a vitória na etapa passada, o MEO Rip Curl Pro Portugal, enquanto Cole Houshmand é a grande surpresa da primeira das duas etapas seguidas da Austrália, que fecham a primeira metade da temporada 2024.

+ Medina detona WSL após eliminação polêmica em Bells Beach

Corte na elite

Ele e o indonésio Rio Waida vão disputar as semifinais de uma etapa do CT pela primeira vez. O sul-africano Matthew McGillivray já chegou nessa fase duas vezes e não conseguiu passar para a decisão do título. Ambas foram em Margaret River, onde acontecerá o corte na elite, de 34 para 22 homens e de 17 para 10 mulheres. Ou seja, serão mantidos para o restante da temporada e já com vagas garantidas no CT 2025, os 22 primeiros do ranking masculino e as top-10 do feminino.

Cole Houshmand derrubando favoritos a cada bateria em Bells Beach – Foto: @WSL / Aaron Hughes

O novato Cole Houshmand chegou na Austrália em 27.o lugar e no domingo alcançou a 17.a posição com a classificação para as semifinais. Seu adversário, Matthew McGillivray, também entrou no grupo dos 22 que serão mantidos, saindo da 23.a para a 13.a colocação. E o Rio Waida estava em 21.o e já subiu para um confortável décimo lugar. Os três ultrapassaram os brasileiros Italo Ferreira e Gabriel Medina, que caíram para a 18.a e 20.a posição, respectivamente. O mais bem colocado é Yago Dora na 15.a, ameaçada por Cole Houshmand, se ele passar para a final da etapa em Bells.

Seleção brasileira

Já os outros quatro surfistas da seleção brasileira da WSL estão abaixo da linha de corte. No momento, o havaiano Ian Gentil está fechando a lista dos 22 com 9.010 pontos. Os irmãos Miguel e Samuel Pupo estão com 7.310 pontos e já precisam chegar nas oitavas de final do Western Australia Margaret River Pro para ultrapassar o Ian Gentil. É a mesma situação do Caio Ibelli, que está em 29.o lugar com 6.245 pontos. Já o Deivid Silva tem só 4.255 e terá que chegar nas semifinais para entrar no G-22.

A etapa de Margaret River será a quinta do CT 2024 e cada surfista descartará sua menor pontuação, ou seja, serão computados apenas quatro resultados no ranking da primeira metade da temporada. Yago Dora, Italo Ferreira e Gabriel Medina, trocarão 1.330 pontos da terceira fase, então tem que passar para as oitavas de final para melhorarem suas posições. O camisa 10 da seleção brasileira, Gabriel Medina, venceu o Western Australia Margaret River Pro no ano passado, batendo Griffin Colapinto na decisão.

Tatiana Weston-Webb descendo as famosas escadas de Bells Beach – Foto: @WSL / Aaron Hughes

Assim como os três, o time feminino do Brasil também está no grupo das top-10 que serão mantidas na elite. Tatiana Weston-Webb foi ultrapassada pela costa-ricense Brisa Hennessy no domingo, caindo do sexto para o sétimo lugar no ranking. Tati já foi campeã da etapa de Margaret River em 2021 e chegou nas quartas de final em Bells ganhando um duelo brasileiro com Luana Silva, que se manteve no perigoso nono lugar no ranking. O decisivo quinto desafio do CT 2024, será disputado entre os dias 11 a 21 de abril em Margaret River.

Transmissão ao vivo

Todas as etapas do World Surf League Championship Tour 2024 podem ser assistidas ao vivo pelo Sportv e Globoplay, parceiros de mídia da WSL no Brasil. Neste ano, a transmissão em português pelos canais da World Surf League, pela primeira vez está sendo produzida no Brasil e também pelo WorldSurfLeague.com e Aplicativo e Canal da WSL no YouTube, pode ser acessada a transmissão em espanhol.

SEMIFINAIS DO RIP CURL PRO BELLS BEACH:

CATEGORIA FEMININA – 3.o lugar com US$ 32.000 e 6.085 pontos:
1.a: Johanne Defay (FRA) x Brisa Hennessy (CRC)
2.a: Caroline Marks (EUA) x Caitlin Simmers (EUA)

CATEGORIA MASCULINA – 3.o lugar com US$ 32.000 e 6.085 pontos:
1.a: Matthew McGillivray (AFR) x Cole Houshmand (EUA)
2.a: Griffin Colapinto (EUA) x Rio Waida (IDN)

RESULTADOS DO DOMINGO NO BOWL DE BELLS:

QUARTAS DE FINAL – 5.o lugar com US$ 21.500 e 4.745 pontos:
1.a: Johanne Defay (FRA) 12,13 x 10,86 Ellie Harrison (AUS)
2.a: Brisa Hennessy (CRC) 15,83 x 11,74 Sawyer Lindblad (EUA)
3.a: Caroline Marks (EUA) 11,94 x 11,76 Tatiana Weston-Webb (BRA)
4.a: Caitlin Simmers (EUA) 15,50 x 14,07 Gabriela Bryan (HAV)

QUARTAS DE FINAL – 5.o lugar com US$ 21.500 e 4.745 pontos:
1.a: Matthew McGillivray (AFR) 12,17 x 12,16 Morgan Cibilic (AUS)
2.a: Cole Houshmand (EUA) 13,84 x 6,00 Ethan Ewing (AUS)
3.a: Griffin Colapinto (EUA) 16,90 x 11,83 Jake Marshall (EUA)
4.a: Rio Waida (IDN) 12,17 x 6,64 Kade Matson (EUA)

Receba nossas Notícias no seu Email

Últimas Notícias