22 C
Hale‘iwa
quinta-feira, 18 abril, 2024
22 C
Hale‘iwa
quinta-feira, 18 abril, 2024

Medina detona WSL após eliminação polêmica em Bells Beach

"Esse foi o pior julgamento que eu já vi. É algo que nós precisamos conversar a respeito, nós fingimos que isso não está acontecendo, mas está e é ruim para o esporte" - Gabriel Medina

Em entrevista que já entrou para a história, Gabriel Medina criticou com muita veemência e propriedade o julgamento da WSL após eliminação polêmica em Bells Beach. Com muita calma e classe também. Decepcionado ao extremo com o resultado da sua bateria contra o californiano novato no Tour, Cole Houshmand, a segunda do dia no round de 32 do Rip Curl Pro Bells Beach, Medina foi direto ao ponto dizendo ter sido o pior julgamento que ele já viu. Medina não afirmou que foi roubado descaradamente, como grande parte dos comentários que instantaneamente pipocaram nas mídias sociais. Ele simplesmente deu sua opinião: “é algo que nós precisamos conversar a respeito, nós fingimos que isso não está acontecendo, mas está e é ruim para o esporte”.

Na bateria em questão, Gabriel Medina, que se preparou muito para o campeonato, estava não só na liderança, mas com a prioridade a dois minutos do final. Cole Houshmand precisava de uma nota 6,98 para virar, quando uma onda aparentemente sem muito potencial entrou mais para dentro do pico de Winkipop. Meio deitada, com menos de um metro, a onda não chamou a atenção de Medina, que viu o californiano remar, subir na prancha e mandar sua primeira manobra com tempo ainda do brasileiro exercer seu direito ao bloqueio. Para supresa do próprio Cole, Medina tomou a chuveirada de sua primeira manobra na cabeça, imóvel na água.

Em retrospectiva, sua opção tática acabou se revelando falha, já que Houshmand seguiu na onda executando uma série de manobras até que ela fechasse. Só que isso é fácil de falar após o ocorrido. Naquele momento, Medina fez o que achou que era certo, ou seja, segurar a prioridade impedido que o Cole eventualmente encontrasse uma onda da série no tempo restante da bateria. Onda que acabou não entrando. Por melhor que Medina possa ser na sua leitura do mar, bola de cristal ele não tem.

A média do juízes foi 7,47. Um chegou a dar 7,8. Medina escutou o resultado ainda caminhando sobre as pedras na saída do mar. Imediatamente fechou a cara, e ao se aproximar de seu grupo de apoio na praia, a irmã Sophia, o padrasto Charles e o técnico Andy King, sinalizou que a onda de Cole tinha sido muito pequena. Dirigindo-se ao palanque com rapidez, trotando na areia da praia com a prancha debaixo do braço, ele ainda cumprimentou Cole de maneira elegante.

+Tá na hora de um debate sóbrio sobre julgamento

+“Achei justo”, diz George Pittar sobre sua bateria contra Ethan Ewing

Não se sabe se Medina pediu para ser entrevistado, ou se foi a repórter Laura Enever que o interceptou para escutar sua visão de como a bateria havia terminado. Fato é que ela começou muito mal a troca de perguntas e respostas. Em sua primeira frase. Laura afirmou que Medina havia cometido um grande erro ao deixar Cole prosseguir na onda. Foi a deixa que Medina precisava. Confira a transcrição do diálogo abaixo, que pode ser conferido também ao final do vídeo postado acima:

Laura Enever – Difícil final de bateria para você Gabe, tenho certeza que você está muito desapontado, um grande erro seu deixando aquela onda passar com prioridade.

Gabriel Medina – Eu cometi o erro? Isso é engraçado. Esse foi o pior julgamento que eu já vi. Isso é ruim para o esporte. Eu já passei por muitas questões de julgamento, mas talvez eu sinta que essa tenha sido a pior. É algo que temos que conversar a respeito. Nós fingimos que isso não está acontecendo, mas está e é ruim para o esporte. Eu espero que possamos evoluir, ficar melhor. Espero que eles escutem mais a gente. Mas é o que é e está acontecendo.

Laura Enever – Seu ponto de vista é que a onda (do Cole) era pequena demais?

Gabriel Medina – Oh, sim, eles (os juízes) deram como a melhor onda da bateria. A última onda era bem pequena, eu nem remei. Mas… Eu vou tentar focar no meu surf, mas isso é triste. Sabe como é? Tanta viagem. Tanta coisa em jogo quando viajamos. Nós vamos longe, nossa famílias ficam em casa, nós treinamos muito. É um sentimento ruim, te deixa chateado. Mas é o que é.

Receba nossas Notícias no seu Email

Últimas Notícias